Famosos

Após ter performance vetada no Grammy, Lorde costura texto feminista em vestido como forma de protesto

por Victoria Nascimento
há 3 meses

A única mulher indicada para a categoria Melhor Álbum do Ano, no Grammy 2018, Lorde não teve uma apresentação individual autorizada pelos organizadores da cerimônia. A decisão, claro, gerou polêmica e a cantora marcou presença no evento em clima de protesto.

lorde

Rainha de “Green Light”, ela resolveu sambar na cara da sociedade com um poema da artista neo-conceptual americana Jenny Holzer, membro da geração de feministas dos anos 1980, costurado no vestido Valentino vermelho escolhido para a noite. Protestar com arte… como não amar? O texto maravilhoso, chamado “Inflammatory Essay” (“Ensaio Inflamatório”), diz o seguinte:

Alegrem-se! Nossos tempos estão intoleráveis. Criem coragem, pois o pior é um presságio do melhor. Apenas uma circunstância terrível pode precipitar a queda dos opressores. O antigo e o corrupto devem ser destruídos antes que o justo possa triunfar. A contradição será aumentada. O julgamento será acelerado pela semeação das sementes de distúrbios. O apocalipse florescerá”.

Na legenda da foto, Lorde afirmou que essa atitude foi sua “rosa branca” se referindo ao item usado por muitos artistas em apoio ao Time’s UP no Grammy. Por exemplo, Miley Cyrus e Rita Ora.

miley rita

Ante da noite do Grammy, a crítica em relação a decisão do evento de não autorizar a apresentação solo de Lorde foi destaque no perfil da mãe da cantora. Sonja Yelich postou no Twitter a foto de um artigo recente publicado pelo “The New York Times” com o seguinte circulado em caneta azul:

“Das 899 pessoas indicadas nos últimos seis Grammys, [um relatório indicou que] apenas 9% eram mulheres. Neste ano ano, Lorde é a única mulher indicada para o Álbum do Ano; ela não vai se apresentar. Isso diz tudo”, Sonja escreveu na legenda da imagem. Revoltante mesmo, né?