Famosos

Harvey Weinstein usa Meryl Streep como “álibi” e atriz se revolta: “Atitude patética”

por Victoria Nascimento
há 3 meses

Meryl Streep teve seu nome citado por advogados do produtor Harvey Weinstein como álibi nos processos movidos contra ele de assédio e abuso sexual. A atitude da equipe do ex colega de trabalho deixou a atriz irritadíssima. Segundo comunicado divulgado pelo Daily Mail, Meryl classificou o comportamento do advogados de Harvey como “patético e explorador”.

A defesa do empresário usou nos autos do processo uma declaração de Streep em que ela afirma que Weinstein “não transgrediu sexualmente ou foi abusivo sexualmente em suas relações profissionais”. Comentário feito exclusivamente em relação ao comportamento dele com ela. Ainda de acordo com o comunicado, Streep afirmou: “Os advogados de Harvey Weinstein fizeram uso do meu (verdadeiro) depoimento – de que não foi sexualmente transgressor ou fisicamente abusivo em nossas relações profissionais – como evidência de que ele não teria sido abusivo com várias OUTRAS mulheres, é uma atitude patética e exploradora”.

A declaração de Meryl, divulgada pelo jornal britânico, ainda trouxe um pedido de justiça aos casos envolvendo o magnata do cinema. “Os atos criminais dos quais ele é acusado são de responsabilidade dele e, se ainda há qualquer justiça no sistema, ele deverá pagar por isso – independentemente dos vários bons filmes, feitos por boas pessoas, que o Harvey tenha sorte de ter comprado ou financiado”, declarou a atriz no documento.

Quando as denúncia contra Harvey foram divulgadas, Strepp teve seu nome envolvido em polêmicas após afirmar que não sofreu assédio da parte dele. Em dezembro de 2017, uma artista plástica espalhou por Los Angeles cartazes acusando Meryl de omissão. A foto trazia a atriz e o produtor acompanhada do texto “Ela sabia”, sobre os olhos de Meryl. Na época, a premiada veterana do cinema respondeu as acusações:

“Eu não conhecia os crimes de Weinstein, nem nos anos 90, quando ele a atacou, ou nas décadas seguintes, quando atacou outras. Não aprovo tacitamente a violação. Eu não sabia. Eu não gosto que mulheres sejam assediadas. Eu não sabia que isso estava acontecendo. Eu não sei onde vive Harvey, nem ele esteve em minha casa. Na minha vida, nunca fui convidada para ir para um quarto de hotel [com ele]. Estive no seu escritório uma vez, para uma reunião com Wes Craven para Música do Coração, em 1998. Nem todos os atores, atrizes e realizadores que fizeram filmes que Harvey Weinstein distribuiu sabiam que ele abusava de mulheres, ou que ele violou Rose nos anos 90, outras mulheres antes e outras depois. Só soubemos quando nos disseram”.