TV / Séries

‘O Outro Lado do Paraíso’: Após humilhação, Raquel surpreende Nádia com carreira em novo encontro

Pedro Hosken - Publicado em 20/11/2017 às 20:19

Após ter sido humilhada por Nádia (Eliane Giardini), Raquel (Erika Januza) decidirá estudar bastante para se tornar uma juíza! Segundo informações do site Notícias da TV, a jovem não só conseguirá ocupar o cargo de magistrada como passará em primeiro lugar no concurso, deixando a antiga patroa em choque. A ideia de estudar para a carreira jurídica surgirá quando Raquel estiver conversando no quilombo com Mãe (Zezé Motta).

Penso em ser professora“, revelará, inicialmente, a menina à sábia, que a aconselhará. “É a coisa mais linda do mundo ensinar as crianças. Linda e importante. Mas Raquel, enquanto a gente ficar só aqui no quilombo, os brancos vão continuar pisando em cima. Jogando migalhas pra gente ficar quieto. Nós… só nós não, todos os negros, a gente precisa ter os empregos iguais dos brancos. A gente precisa mostrar que não nascemos só pra servir“, começará Mãe.

Elas terão um novo encontro...

Elas terão um novo encontro…

Quero que cê estuda as leis. Te quero doutora advogada. Ou juíza. Pra ajudar nosso povo. Pra contribuir pra igualdade dos negros“, recomendará, por fim, a personagem de Zezé Motta. “Direito. O estudo das leis. É uma carreira difícil. Tem que estudar muito. Não sei se consigo“, duvidará a jovem. “Consegue. Disseram que cê é menos que eles. Mas cê não é menos, Raquel. É mais. Estuda. A gente vai te dar todo apoio“, encorajará Mãe. “Tá certo, mãe. Vou estudar direito. O pai do Bruno não é juiz? A mulher dele não me pisou? Vou ser juíza também. Vou mostrar que sou mais forte que esse povo que me humilhou“, prometerá Raquel.

Com a passagem de tempo na narrativa prevista para acontecer no início do mês que vem, a jovem já surgirá como juíza num reencontro casual com Nádia. “Cursei direito. Prestei concurso para oficial de Justiça. Depois, para magistrada“, explicará ela, acrescentando ter conseguido escolher Palmas como sua cidade de trabalho por ter passado em primeiro lugar no concurso. “Primeiro lugar?“, indagará Nádia, incrédula. “Estudei muito. O povo do quilombo me ajudou. Não podia decepcionar meus irmãos“, argumentará a juíza.