Fotojet (28)

Araçatuba: Vídeo mostra momento em que educador físico é rendido por bandido para ser usado como “escudo humano”; assista

A madrugada da última segunda-feira (30), entrou para a história de Araçatuba, no interior de São Paulo, após bandidos tomarem as ruas e protagonizarem mega assaltos em agências bancárias. Aos poucos, detalhes da operação criminosa estão sendo divulgadas pela mídia, a exemplo do vídeo que mostra o momento exato em que o professor de educação física Márcio Victor Possa da Silva, de 34 anos, foi rendido pelos bandidos para ser usado como “escudo humano”.

No vídeo divulgado pelo UOL nesta quarta-feira (1), o circuito interno de segurança de uma loja mostra o carro da vítima parado em uma esquina, próximo à praça Rui Barbosa, local onde foram feitos os roubos. Márcio sai do carro com os braços levantados, demonstra que não está armado, e em seguida segue junto com os bandidos, agora fora do alcance das câmeras. As outras duas pessoas que estavam no veículo não são feitas reféns, mesmo com a aproximação de um terceiro criminoso armado.

Infelizmente, após ser usado como “escudo humano”, o educador físico foi morto pelos bandidos. A família de Silva o reconheceu nas imagens chocantes que viralizaram nas redes sociais, mostrando ele e outro homem amarrados no capô e teto de um veículo. “O carro aparenta estar em alta velocidade e como ele estava no capô pode não ter conseguido se segurar e caído no asfalto”, teorizou Genival da Silva, pai do professor. O patriarca também suspeita que seu filho possa ter tentado fugir e, por isso, foi atingido pelos tiros.

O intervalo entre a abordagem feita pelos bandidos e a notícia da morte do filho foi de cerca de cinco horas. A polícia ainda não sabe precisar em qual momento, neste intervalo de tempo, a vítima foi morta. Segundo o pai do educador, Márcio Victor foi atingido por dez tiros. O corpo foi encontrado cerca de 700 metros de distância do local em que o professor foi rendido.

Aracatuba2
Reféns foram vistos até mesmo pendurados nos capôs dos carros. (Foto: Reprodução)

A ação criminosa roubou três agências bancárias, utilizando armamento pesado como fuzis de calibre .50 e 7.62. Drones foram utilizados para auxiliar a fuga de bandidos, e explosivos foram espalhados nas ruas. Ainda hoje, um homem de 47 anos foi encontrado morto em um terreno no Jardim Bela Vista, em Sumaré (SP). A vítima vestia um colete à prova de balas, e carregava estojo de munição de fuzil e R$ 800 em dinheiro contaminado com tinta e sangue. A suspeita é que o homem integrava a quadrilha que causou terror em Araçatuba. Pelos menos cinco suspeitos foram presos.

Continua depois da Publicidade

Durante uma coletiva sobre a entrega de doses da Coronavac ao Ministério da Saúde, o secretário de Segurança Pública de São Paulo, coronel Álvaro Batista Camilo, revelou que os bandidos teriam usado informações privilegiadas. “Precisamos trabalhar melhor a informação com os bancos e com a área federal. Ali era uma tesouraria do banco, uma central de distribuição de recursos do Banco do Brasil. É mais uma ação com informação privilegiada, e as investigações já estão andando para chegar aos autores”, declarou.