Assalto megalomaníaco desperta terror em Criciúma; bandidos abandonam parte do dinheiro e moradores se aproveitam – Assista

Entre a noite de segunda (30) e madrugada dessa terça-feira (01), uma quadrilha sitiou o centro de Criciúma, no Sul de Santa Catarina, para assaltar duas agências bancárias, e deixou a população local em completo pânico. O grupo, fortemente armado, bloqueou ruas e acessos à cidade, usou reféns como escudos, disparou diversos tiros contra policiais e deixou explosivos pelas ruas – alguns deles, inclusive, foram acionados.

Segundo autoridades locais, os bandidos incendiaram também o 9º batalhão da Polícia Militar e o túnel que liga a região à cidade vizinha, Tubarão, em tentativa de impedir que reforços chegassem ao local dos assaltos. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou ainda que miguelitos (apetrechos de metal capazes de furar pneus de carros) foram espalhados pelo perímetro, para dificultar o trabalho dos bombeiros.

A ação começou por volta da meia-noite, se encerrou perto das 2h da madrugada e deixou ao menos duas pessoas feridas: um policial, que de acordo com a PM foi levado para um hospital e está em estado grave, e um vigilante, que não apresenta altos riscos. Os bandidos fugiram e ninguém foi preso até então.

Continua depois da Publicidade

À GloboNews, Anselmo Cruz, titular da Delegacia de Roubos e Antissequestro da Diretoria Estadual de Investigações Criminais de SC, classificou o episódio como “extremamente violento”. “Por volta de meia-noite, 30 criminosos fizeram um assalto com explosivos, confrontando policiais em diversos pontos, atingindo diversos imóveis. A mobilização das polícias permanece no sentido de localizar os autores. O trabalho da Polícia Civil é de investigação até chegar à autoria dos criminosos que realizaram ação”, declarou.

O delegado chamou atenção para o uso de fuzis calibres .50, 556 e 762, capazes de derrubar helicópteros. “Pelas condições, sabemos que não são criminosos de Santa Catarina, talvez do Sudeste ou Centro-Oeste do país. Foi uma ação inédita no Estado”, completou.

Ulisses Gabriel, delegado da Polícia Civil responsável pelo caso, confirmou ao G1 que o objetivo da quadrilha era chegar à tesouraria regional, anexa a uma agência do Banco do Brasil, onde foram encontrados 30 kg de explosivos. Os assaltantes também levaram dinheiro do cofre do banco, mas o valor total do roubo ainda não foi mensurado.

Durante a fuga, os bandidos abandonaram malotes cheios de cédulas, que se espalharam pela rua. Quatro pessoas foram detidas em flagrante por se apossarem das notas. De acordo com Ulisses, cerca de R$ 810 mil foram encontrados na casa dos suspeitos, mas esse valor não necessariamente é inteiramente proveniente do furto. “Essas pessoas detidas se aproveitaram do momento, não são da quadrilha [que praticou o assalto], avisou.

“Eles (assaltantes) não conseguiram carregar todo o dinheiro. Na verdade, tem quatro presos aqui que se aproveitaram da situação. O dinheiro ficou caído e quando a minha equipe chegou no local, inclusive tinha um individuo tentando carregar o dinheiro e a gente fez a abordagem”, acrescentou. Veja o vídeo:

Após o ataque, os criminosos deixaram o local em um comboio de dez a doze veículos, que mais tarde, foram encontrados abandonados na cidade de Nova Veneza (SC), a cerca de 18 km de Criciúma, em uma plantação de milho. Por ora, a polícia descarta uma possível fuga dos envolvidos por avião.

De acordo com Vitor Bianco Junior, da delegacia regional de Criciúma, as placas dos automóveis luxuosos usados pelos bandidos são de São Paulo. “Acreditamos que tenham vindo para a região há algum tempo para planejar a ação. Não dá para dizer qual facção estaria envolvida. É um tipo de ação a qual nossa região não está habituada”, enfatizou.

Nas palavras do prefeito local, Clésio Salvaro (PSDB-SC), a cidade viveu uma “noite de terror”. “É uma cena surreal. Criciúma nunca viveu algo parecido. Vivemos uma noite atípica, uma noite diferente, uma noite de terror para os padrões da nossa cidade. Realmente algo muito surreal, diferente de tudo que estamos acostumados a viver. O criciumense passou quase que toda uma noite acordado”, lamentou, em conversa com a GloboNews.

Em meio ao crime, seis funcionários públicos, que pintavam faixas de trânsito, foram mantidos reféns e colocados sentados, enfileirados, no meio da rua, pelos assaltantes. Salvaro, entretanto, garantiu que todos esses foram liberados, sem nenhum ferimento.

Prefeito de Criciúma pede que população fique em casa

Por volta da 1h da manhã, horário em que os ataques se intensificaram, o prefeito publicou um vídeo em seu Twitter, pedindo que a população não deixasse suas casas: “Tenho conversado com várias autoridades policiais… É um assalto de grandes proporções, bandidos muito bem preparados, então o pedido que faço nesse momento é que vocês continuem em casa, mantenham todos os cuidados, falem com seus parentes, amigos e mantenham-se protegidos. Vamos deixar a polícia cumprir seu papel. Vamos confiar na polícia do Estado de Santa Catarina”.

Repercussão na web

O caso vem sendo bastante mencionado nas redes sociais, e vários moradores de Criciúma publicaram vídeos, fotos e relatos sobre a ação da quadrilha. Confira os registros assustadores e impressionantes, abaixo: