Reu Julgamento Boate Kiss

Boate Kiss: Réu chora e passa mal ao chegar em julgamento do caso: “Não sou assassino”; assista

O julgamento do caso da Boate Kiss teve início na manhã desta quarta-feira (1º), mais de oito anos após a tragédia em Santa Maria (RS). Um dos réus, Luciano Bonilha Leão, chorou muito ao chegar hoje no Foro Central de Porto Alegre. Um vídeo divulgado por emissoras registrou o momento em que ele grita e alega sua inocência.

Nas imagens, é possível ver que Luciano estava muito abalado, em prantos, acompanhado por seus advogados. Assim que chegou ao local, ele não conversou com a imprensa, mas gritou em desespero: “Eu não sou assassino! Eu não sou assassino!”. De acordo com a denúncia do Ministério Público, o ex-produtor musical da banda Gurizada Fandangueira foi quem comprou e ativou os artefatos pirotécnicos que deram início ao incêndio.

Continua depois da Publicidade

Segundo o G1, o réu ainda passou mal após entrar no Foro. A publicação afirma que o homem, que tem 44 anos, precisou ser atendido no ambulatório do local. A expectativa é de que o julgamento siga por até 15 dias. Além dele, serão julgados os dois sócios da boate Kiss, Elissandro Callegaro Spohr e Mauro Londero Hoffmann, assim como o músico Marcelo de Jesus dos Santos.

Eles já ficaram presos por quatro meses, mas agora respondem pelo caso em liberdade. O Tribunal julgará os réus pelos crimes de 242 homicídios simples com dolo eventual – por todas as vítimas fatais da tragédia –, e 636 tentativas de homicídio – referentes a todos os que saíram feridos no incidente de 2013.