Fotojet (9)

Caso Lázaro Barbosa: Funcionária de padaria afirma ter atendido serial killer ontem; local fica próximo de base da polícia – Assista

Mas, gente?! Há 18 dias, uma grande força-tarefa em Goiás tenta prender Lázaro Barbosa, responsável pela morte de quatro pessoas de uma mesma família e sete outros crimes, como roubo, estupro e porte ilegal de arma de fogo. Desde o início das buscas, o bandido já trocou tiros com a polícia, fez reféns, invadiu chácaras e agora realizou mais uma proeza: ele teria sido visto em uma padaria nesta sexta-feira (25), comprando salgadinhos, a menos de um quilômetro de distância da base montada pelas autoridades, justamente para tentar capturá-lo!

Em entrevista para a TV Anhanguera, filial da TV Globo, uma moradora de Cocalzinho de Goiás, que não quis se identificar, garantiu ter atendido Lázaro dentro da padaria em que trabalha, já que todas as características físicas do homem correspondiam ao que foi divulgado na mídia. “Foi muito rápido e ele estava nervoso. Ele está bem diferente, está mais magro, está mais moreno, o cabelo está um pouco grande e ‘lambido’ para trás”, relatou.

[Ele estava com] blusa de frio, azul escuro ou verde escuro. Calça jeans cinza e sapato social, só que cheio de poeira e o cabelo como se tivesse acabado de tomar um banho”, descreveu. Mesmo tensa com a situação, a mulher revelou que tentou ganhar tempo para chamar a polícia, mas não deu muito certo. “Ele chegou e falou muito baixo: ‘Quanto é o salgadinho?’. Aí eu falei: ‘Só um minutinho’. Eu olhei para trás (para a proprietária do estabelecimento) e falei: ‘Nega, quanto que é o salgadinho?’. Quando ela olhou, já afastou e percebeu que era ele (Lázaro)”, disse.

Continua depois da Publicidade

“Ela falou: ‘É um real’. Aí eu falei: ‘Não, mas esse não é um real não, é?’. Estava tentando segurar ele para ela chamar a polícia”, completou a moça. Atento, Lázaro teria percebido o clima tenso e se apressado para deixar o local. “Quando ela pegou o celular no balcão, ele já tinha ido embora. Quando eu vi, ele estava do outro lado da rua com mochila nas costas e celular na mão”, relatou.

Suspeito
Mais de 200 policiais tentam encontrar Lázaro há 18 dias. Foto: Divulgação

Mesmo receosa, a dona da padaria, identificada como Rosimeire Lopes Ferreira Costa, aceitou conceder uma entrevista para o “Jornal Anhanguera” e falou brevemente sobre o ocorrido. “Eu percebi o nervosismo dela, pálida. Quando eu saí, ele viu o desespero dela, jogou [os saquinhos de salgadinhos] e saiu”, falou Rosimeire, acrescentando que a loja já estava prestes a fechar. “Minha amiga, achei que tinha que levar ela ao hospital. Ela estava passando muito mal. Eu fiquei num nervosismo, tô nervosa até agora pra falar a verdade”, declarou. Assista:

Durante o “Jornal Anhanguera”, o repórter Henrique Ramos acrescentou ao final da entrevista com Rosimeire Costa que a base da polícia fica muito próxima da padaria, a menos de um quilômetro. “Só fica do outro lado da rodovia”, especificou. Com as alegações das funcionárias, policiais passaram a vistoriar toda a área procurando por Lázaro. A Secretaria de Segurança Pública de Goiás (SSP-GO) informou à TV Anhanguera que todas as denúncias são checadas e que não descarta a possibilidade, mas não acredita que o bandido tenha ido à cidade. De acordo com o órgão, a maior probabilidade é de que ele esteja na mata no cerco montado pelos policiais. Confira a cobertura completa deste caso clicando aqui.