Michele Transfobia

Engenheira sofre transfobia em live com influencers e políticos cristãos; Caso gera revolta e pedidos de respeito à vítima — assista e entenda!

A engenheira de sistemas Michelle Brea Soares, de 40 anos, foi alvo de comentários transfóbicos ao participar de uma live nesta semana. As falas disparadas e as atitudes vistas durante o “debate” geraram uma onda de indignação pelas redes sociai, rendendo muitos pedidos de respeito a ela, que é uma mulher trans.

A transmissão foi comandada pelo autodenominado “cristão conservador” Samuel Zalton. Estavam presentes a deputada estadual Ana Caroline Campagnolo (PSL), o vereador mineiro Nikolas Ferreira (PRTB), a influencer evangélica Ingred Silveira, entre outros. Soares foi convidada para falar sobre “Identidade de Gênero”, enquanto era colocada contra a parede, interrogada sobre questões científicas, e confrontada com argumentos das seis pessoas que participaram.

Michele Transfobia2
A engenheira Michelle Soares foi alvo de atitudes transfóbicas após ser chamada para live com jovens influencers e políticos cristãos. (Foto: Reprodução)

Na grande maioria dos momentos, Samuel e os participantes usaram apenas o pronome masculino para referir-se à Michelle, mesmo com ela pedindo para que seu nome e gênero fossem respeitados – o que deixou a convidada constrangida.

“Existe algo que nós cristãos acreditamos que é a liberdade de expressão. Nossa religião está em uma premissa, em princípios. Eu acredito que você respeita todas as religiões. Na nossa religião não existe essa distinção de sexo e gênero. Então, com relação aos meus princípios, da maneira que levo minha vida, eu devo te tratar sem negar os meus princípios”, afirmou Samuel, recusando-se a usar o pronome feminino. “Vou botar o JB aqui só de boa. Vou botar o Bolsonaro”, disse o vereador em certo momento.

Continua depois da Publicidade

Michelle, por sua vez, mencionou que este é seu nome legal, por isso, o nome e gênero têm de ser respeitados: “O artigo quinto da constituição federal prevê a liberdade de pensamento e de expressão. Da mesma forma que ela prevê essa tua liberdade religiosa e direitos e deveres iguais entre todos os brasileiros. Só que o limite da liberdade de expressão é a lei. Quando você incorre criminalmente em algumas coisas por causa da sua fé, isso é um problema”.

“Meu nome legal é Michelle”, reforçou ela, pouco após entrar na live. Ela também lamentou não ter sua identidade de gênero levada em conta no debate. “Quando entrei… a primeira coisa que vejo é você e a Ingred me tratando no masculino. A gente pode conversar no nível do respeito, ou na base da porrada. Eu gosto de conversar no nível do respeito, mas se você não consegue respeitar o meu gênero, a gente já começa difícil”, disse ela.

Continua depois da Publicidade

Apesar de todas as explicações, a gamer ainda assim foi chamada preconceituosamente de “O Michelle”, mas não se calou. “Minha certidão de nascimento diz isso, minha identidade diz isso, então eu sou ‘A Michelle'”, rebateu a convidada. Outro fator que chamou atenção foram as risadinhas e o tom de deboche utilizado ao longo da conversa.

Veja a íntegra (com mais de 5 horas) abaixo:

Michelle Soares se pronuncia

Foram várias as manifestações em apoio à Michelle, criticando a atitude daquela parcela de cristãos que a atacou. Neste sábado (19), a engenheira agradeceu pelo apoio e falou sobre o caso. “Queria agradecer todas as mensagens de apoio e carinho. Aquela live não me abalou, apenas me deu a oportunidade de mostrar como nós somos tratadas no Brasil. Só que dessa vez tinha uma câmera ligada e alguém que sabia se defender”, argumentou ela.

Web denuncia transfobia e pede por respeito

A live deu muito o que falar e viralizou no TikTok. Foram vários os usuários da rede social que demonstraram indignação com o tratamento dado à Michelle. A modelo e youtuber Andressah Catty foi uma das que mobilizou seus perfis e rebateu os ataques. “A única coisa que consegui ouvir nessa porcaria foi: vou usar da minha religião para ser completamente desrespeitoso com você e f*da-se”, disse ela. “A Michelle nessa live foi completamente desrespeitada em todos os níveis possíveis”, completou.

A youtuber também fez críticas à deputada estadual do PSL de Santa Catarina. “Com tanto problema social, com tanta gente na rua, e a deputada fazendo barraquinho na internet? Preocupada com projeto de não uso do pronome neutro?”, indignou-se Andressah sobre Campagnolo. Com a repercussão da história, a hashtag “Respeito Por Michelle” figurou entre os assuntos mais comentados no Twitter.

Continua depois da Publicidade

Por toda a web, foram vários os internautas que se denominam cristãos e que discordaram do comportamento desrespeitoso dos jovens para com Michelle. “Há séculos falsos cristãos usam da religião para ter poder, enriquecer e perseguir pessoas. A palavra de Deus diz que nem todo aquele que diz ‘Senhor, Senhor’ entrará no Reino de Deus. Deus é amor e respeito. O verdadeiro cristão respeita todas as pessoas”, escreveu o perfil de Helder Silva. “Vocês têm noção que uma mulher trans dividiu os cristãos, fazendo os próprios se voltarem contra a lgbtfobia de outros?!”, comentou outro perfil, com um compilado de pessoas defendendo a engenheira.

O tiktoker Mate Coutinho também fez duras críticas aos organizadores da live. “O próprio crente está agindo contra Cristo”, disparou. “Vocês estão representando uma parcela que não representa o evangelho. O evangelho de Jesus não é fazer com que pessoas entrem numa live pra serem acusadas”, continuou ele, demonstrando sua angústia através de vídeos.

Continua depois da Publicidade

“Vocês acham que Jesus tá orgulhoso? Jesus tá olhando pra cada um de vocês e está chorando agora. Vocês precisam se posicionar, mas vocês precisam humilhar uma pessoa pra isso? Precisam diminuir a condição de alguém? Precisam chamar a Michelle de ‘Ele’ porque não têm condição cognitiva de entender e respeitar uma pessoa?”, completou Coutinho, pedindo desculpas pela atitude de outros cristãos.

Em pleno mês do Orgulho LGTQIA+, a situação de desrespeito vivida por Michelle deixou milhares de pessoas abaladas, com muita tristeza por ela ter sido chamada ao vivo para participar daquela reunião que acabou apenas a diminuindo, de maneira muito preconceituosa.

Confira mais reações abaixo:

Continua depois da Publicidade