Flordelis volta às redes sociais e faz primeiro post sobre caso de assassinato com pedido e passagem bíblica; confira

Longe das redes sociais desde que foi denunciada pelo Ministério Público do Rio de Janeiro como mandante do assassinato do pastor Anderson do Carmo, Flordelis voltou ao Instagram e fez uma publicação sobre o caso na noite dessa terça-feira (01), um dia após a exibição de sua entrevista exclusiva ao “Conexão Repórter”.

Assim como fez no programa do SBT, a deputada federal novamente afirmou que era inocente e ainda lamentou que estava sendo julgada sem direito de se defender. Junto ao texto, a parlamentar publicou uma imagem com uma mensagem bíblica.

Continua depois da Publicidade

A passagem, de Efésios, capítulo 5, versículo 14, reforçou a aparência que Flordelis tentou passar, de que estava dizendo a verdade. “Assim, mantenham-se firmes, cingindo-se com o cinto da verdade, vestindo a couraça da justiça”, dizia o trecho.

“Muito tem sido dito na mídia, das formas mais cruéis, sem que eu tenha qualquer chance de defesa. Estou sendo condenada, sem nem ter direito a julgamento”, iniciou ela, que foi enfática. “Eu não tenho o que esconder, eu não mandei matar o meu marido”, afirmou.

Flordelis e pastor Anderson. (Foto: Reprodução/Facebook)

Em seguida, ela disse que estava sofrendo muito com a perda do pastor. “Se alguém perdeu com a morte dele, fui eu, ele era tudo pra mim, meu companheiro que me ajudava e me guiava, inclusive em todos os aspectos práticos da vida”, descreveu. “Olhem para a minha trajetória até agora, não há nada do que possam me acusar, sempre fui uma serva de Deus, vivendo o caminho que Ele traçou para mim”, pontuou.

A pastora, então, pediu para seus seguidores assistirem à entrevista que ela concedeu a Roberto Cabrini e mandou um recado: “Antes de me sentenciarem, me deem o direito de defesa. Eu sei que a verdade vai prevalecer”. Confira:

Continua depois da Publicidade

View this post on Instagram

Muito tem sido dito na mídia, das formas mais cruéis, sem que eu tenha qualquer chance de defesa. Estou sendo condenada, sem nem ter direito a julgamento. Eu não tenho o que esconder, eu não mandei matar o meu marido. Se alguém perdeu com a morte dele, fui eu, ele era tudo pra mim, meu companheiro que me ajudava e me guiava, inclusive em todos os aspectos práticos da vida. Olhem para a minha trajetória até agora, não há nada do que possam me acusar, sempre fui uma serva de Deus, vivendo o caminho que Ele traçou para mim. Antes de me sentenciarem, me deem o direito de defesa. Eu sei que a verdade vai prevalecer. Acessem o link da entrevista completa que concedi ao jornalista, Roberto Cabrini, do Conexão Repórter: bit.ly/3bkVhmE

A post shared by Flordelis ⚜️ (@flordelismk) on

Entenda o Caso

Um ano e dois meses após a morte do pastor Anderson do Carmo, as investigações concluíram que a viúva dele, a deputada federal Flordelis, foi a mandante do assassinato. Na segunda-feira (24), equipes da Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e Maricá (DHNSGI) e do Ministério Público Estadual do Rio de Janeiro cumpriram 11 mandados de prisão e outros de busca e apreensão contra a deputada, filhos e neta do casal e outros familiares.

Segundo a denúncia, Flordelis planejou o homicídio e foi responsável por arregimentar e convencer o executor direto e demais acusados a participarem do crime. A parlamentar também financiou a compra da arma e avisou da chegada da vítima no local em que foi executada. Ela foi indiciada pelo crime de homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio, falsidade ideológica, uso de documento falso e organização criminosa majorada.

Continua depois da Publicidade

No entanto, como tem imunidade parlamentar, a pastora não será presa agora. O processo de cassação de seu cargo já está em andamento. Na próxima semana, o planejamento do presidente da câmara, Rodrigo Maia, é reunir os líderes partidários e a mesa diretora para definir o que fazer. Após o Conselho de Ética analisar a situação, o caso vai para votação no Plenário da Câmara e, então, com a maioria de votos, 257, ela pode ser cassada.

Deputada Flordelis foi acusada de ser a mandante do assassinato de seu marido, o pastor Anderson do Carmo Souza. (Foto: Reprodução)

Por enquanto, outras pessoas já foram levadas pela polícia: Marzy Teixeira da Silva, filha adotiva do casal, Simone dos Santos Rodrigues, filha biológica, André Luiz de Oliveira, filho adotivo, Carlos Ubiraci Francisco Silva, filho adotivo, Adriano dos Santos, filho biológico, Rayane dos Santos Oliveira, neta, o ex-PM Marcos Siqueira e a esposa dele, Andreia Santos Maia. Saiba todos os detalhes, clicando aqui.