Header (1)

Idosa e diarista são encontradas carbonizadas em apartamento de luxo no RJ: “Crueldade sem tamanho”

Diarista Alice Fernandes da Silva e empregadora Martha Maria Lopes Pontes morreram na quinta (9); familiares desconfiam de incêndio criminoso

Duas mulheres foram encontradas mortas em um apartamento de luxo no Flamengo, na Zona Sul do Rio, na quinta-feira (9). O filho de uma delas disse ao g1 que pintores que fizeram um serviço na residência tentaram extorquir a dona da casa dias antes do ocorrido. “Uma crueldade sem tamanho”, lamentou Adriana da Silva Nunes, parente de uma das vítimas.

A diarista Alice Fernandes da Silva, de 51 anos, e a sua empregadora Martha Maria Lopes Pontes, de 77 anos, morreram vítimas de um incêndio no apartamento da patroa. O Corpo de Bombeiros informou que o primeiro chamado para socorro ocorreu às 16h55. Depois que o fogo foi controlado, os bombeiros encontraram os dois corpos carbonizados e acionaram a perícia para o local.

“Teve ameaça dos pintores contra a Dona Martha”, disse Diogo Fernandes, filho da funcionária. Ainda de acordo com ele, as vítimas tinham cortes no pescoço. Câmeras de segurança do prédio flagraram dois homens entrando no edifício por volta das 13h desta quinta.

Incendio Apto
Polícia investiga incêndio em apartamento de luxo no Rio. (Foto: Reprodução/TV Globo)

Diogo relatou que os pintores trabalharam na casa de Martha há três semanas e que tudo já tinha sido pago. Há quinze dias, os dois voltaram ao prédio, desta vez para um serviço em outra residência. O jovem disse que, na ocasião, a dupla tentou subornar a patroa. Diogo exemplificou a investida: “Um deles começou a falar que o pai estava passando mal e perguntou se [Martha] poderia ajudar com alguma quantia”.

“Teve outro episódio em que a Dona Martha estava sozinha. Ele foi lá de novo, colocou o pé na porta e a ameaçou, querendo dinheiro. Mas ela não deu”, narrou ele. “Ontem (quinta-feira), minha mãe estava trabalhando. O pintor conhecido como Carlos chegou com outro rapaz que nunca tinha ido lá e falou que iria falar com a Dona Martha”, continuou. Diogo ainda apontou que os homens estavam com os rostos cobertos.

“Aí aconteceu essa tragédia. Eles roubaram os celulares das duas e provavelmente mais coisas”, apontou. De acordo com reportagem da TV Globo, outros parentes e testemunhas já começaram a ser ouvidos pela polícia. A portaria do prédio funciona 24 horas por dia e todos os visitantes precisam ser identificados para adentrar o edifício. Foi confirmado que os dois pintores entraram com autorização de Martha no dia das mortes. A Delegacia de Homicídios está investigando o caso para averiguar se houve um incêndio criminoso.

Um vídeo publicado pelo jornal Extra mostrou o estado do apartamento após a ocorrência. No trecho, é possível ver todos os móveis e paredes completamente destruídos pelo fogo. O apartamento também estava, em partes, tomado por água. Assista:

“A Alice era uma mulher muito forte, amável, querida, mãe, coluna da casa. Uma mulher de fibra, muito cuidadosa com todo mundo, amável e todo dia tinha uma palavra de amor e carinho. Triste saber que a violência do Rio fez uma vítima tão cruel. Isso não foi uma morte, foi uma crueldade sem tamanho com uma pessoa que não merecia um fim desses”, desabafou Adriana da Silva Nunes, familiar de Alice Fernandes da Silva, à publicação. Confira o relato: