Incrível! Idoso faz pedido comovente nas redes sociais e viraliza: “Ajude-me a sair da falência”; Comerciante se emociona ao explicar apoio recebido — assista!

Nesta semana, o Seu Nelson Simeão viralizou nas redes sociais após a publicação de um pedido comovente. Por conta da quarentena pela pandemia do coronavírus, o idoso de 70 anos, que tem uma loja de jardinagem em São Paulo, ficou mais de 70 dias sem poder trabalhar. Mas seu cartaz pedindo ajuda aos internautas logo teve um resultado positivo!

Tudo começou com uma foto que circulou pela web, em que seu Nelson escreveu numa placa: “Ajude-me a sair da falência. Firma com 50 anos de vida”. Posteriormente, um Instagram foi criado para sua loja, no qual ele também pediu o apoio dos compradores. “Trabalho há 50 anos levando vida, através das plantas, para a casa de milhares de pessoas. Por causa da pandemia, meu negocio familiar está com problemas. Venha nos conhecer e levar uma plantinha para animar a sua casa”, afirmou. Olha só:

Em poucas horas, o pedido de Nelson tomou uma proporção enorme, tendo até mesmo esgotado os estoques da floricultura. Com a repercussão, muitos até se ofereceram para fazer doações ao senhorzinho – mas ele queria mesmo era trabalhar. “Seria um orgulho receber a visita de vocês… O que eu não quero, não por orgulho, são as doações. Eu quero a presença das pessoas que comprem pra ajudar”, disse ele em um vídeo.

Nesta quinta-feira (18), sua história chegou ao “Balanço Geral”, que mostrou como o movimento da loja do seu Nelson aumentou em quatro vezes. “Uma freguesa minha viu essa placa e quis tirar uma foto pra fazer uma placa pra loja dela. Ela acabou fazendo a foto e fazendo a tal propaganda. Aí no outro dia uma cliente pediu para eu tirar a foto com a placa, foi para o Instagram, daí foi sucesso total”, contou o senhorzinho.

Seu Nelson ficou emocionado ao lembrar como foi ajudado pelos clientes. (Foto: Reprodução/Record TV)

Em entrevista, o comerciante explicou que teve medo de perder o seu negócio por conta da crise. “Parou tudo, porque fiquei 70 e poucos dias em casa, sem fazer nada, fechado. Aí eu vi que ia perder a minha firma. Então eu resolvi vir no dia primeiro de junho e iniciar tudo de novo”, relatou Simeão.

Por sua idade avançada, seu Nelson faz parte do grupo de risco do coronavírus. Mas ele insiste que tem tomado os cuidados necessários: “Eu quase não tenho contato com os fregueses, eu fico mais ali no cantinho, recebendo”. Com os olhos marejados, o apaixonado por jardinagem reforçou mais uma vez que, ao invés das doações, prefere que as pessoas conheçam seu trabalho e comprem flores em sua loja.

Assista ao vídeo na íntegra aqui: