#JustiçaPelaBianca: Polícia investiga desaparecimento de jovem na Penha, após testemunhas afirmarem que ela foi morta pelo ex — saiba detalhes

A Polícia Civil do Rio investiga o desaparecimento de uma jovem de 24 anos, moradora da Favela da Kelson’s, na Penha, Zona Norte do Rio de Janeiro. Segundo o G1, testemunhas afirmam que Bianca Lourenço foi morta pelo ex-namorado, que teria envolvimento com o tráfico de drogas local, pois ele não teria aceitado o fim do relacionamento.

De acordo com publicações que circulam em redes sociais, outra motivação absurda para o crime seria uma série de fotos de biquíni publicada pela jovem. “Vale como um alerta pras meninas, infelizmente todas nós estamos correndo esse risco”, lamentou uma internauta.

Em entrevista à Record TV Rio, o pai de Bianca contou que ela estava com uma amiga em um bar no Complexo da Penha quando foi surpreendida pelo ex-namorado e levada do local à força. Ele também afirmou que o homem matou e esquartejou a filha. “Ele já vinha a ameaçando há muito tempo. Ela teve que trocar de telefone, de número, teve fazer um monte de coisa para que ele não pudesse encontrá-la. Mas uma amiga foi parar lá perto com ela, no finalzinho da Penha, então ele foi lá e a buscou”, declarou.

À TV Globo, uma testemunha relatou que Bianca manteve o relacionamento por pouco mais de um ano, e as atitudes do ex demonstravam que ele é violento. “Esse cara já foi armado à Rodoviária atrás dela para não deixar ela viajar. Fechou a Avenida Brasil para sequestrá-la, mas não conseguiu. Ele não aceitava de jeito nenhum o fim do relacionamento”, disse.

Os familiares chegaram a receber informações de que o corpo da jovem estaria na comunidade Kelson, mas, após buscas, nada foi encontrado.

O caso está sendo investigado pela 22ª DP (Penha), com base no que a polícia tem visto desde segunda-feira (4) nas redes sociais. No entanto, não houve registro da ocorrência de desaparecimento ou do suposto homicídio na polícia. O pai de Bianca disse que a família teme ameaças, por isso não realizou o registro.

Continua depois da Publicidade

No Twitter, as hashtags #justicapelabia e #justiçapelabianca foram alguns dos assuntos mais comentados de hoje. “Não exista algo que explique alguém se sentir no direito de interromper a vida do outro por causa de fotos”, escreveu a youtuber Bryanna Nasck.

Confira a repercussão: