Fotojet (29)

Menina de 13 anos é sugada por ralo de piscina, fica submersa, e registro da cena é assustador; assista

Uma adolescente de 13 anos, identificada como Maria Rita, se afogou ao ter o cabelo sugado pelo ralo da piscina em uma residência no Piauí. A menina permaneceu submersa por dois minutos e foi salva após ter o cabelo cortado com uma faca. O caso aconteceu na tarde do último domingo (5) em Água Branca, que fica a quase 100 km de Teresina.

Em entrevista ao G1, a mãe de Maria, a telefonista Rozana Pimentel, declarou que o acidente aconteceu enquanto a filha brincava com amigas dentro da água. “Ela mergulhou e o cabelo ficou preso. Ela pensou que alguém tivesse pisado no cabelo dela, tentou voltar, mas não conseguiu. Foi quando minha filha percebeu que foi o sugador. Ela manteve todo o controle, prendeu a respiração e começou a bater a perna para que alguém pudesse vê-la”, contou.

Continua depois da Publicidade

A tática deu certo. Adultos que estavam na casa se deram conta do perigo e logo foram acudir a jovem. “O pessoal foi até a água, tentaram soltar o cabelo dela, não conseguiram, desligaram a energia da casa e não deu certo”, lembrou Rozana. Foi então que uma das mulheres presentes na casa saiu correndo e encontrou uma faca em um balcão próximo à piscina. Ela deu o item para um homem que cortou o cabelo de Maria, que foi retirada da água desmaiada.

Na sequência, uma massagem cardíaca foi feita na adolescente, que acordou. Ela foi encaminhada para um hospital em Água Branca e ficou em observação até 23h30. Na segunda-feira (6), Pimentel levou a filha para fazer exames em Teresina. Maria Rita está bem e não precisou realizar mais procedimentos médicos.

Por fim, a mãe da garota fez um alerta: “Para mim, como mãe, ver ela saindo desacordada… eu vejo como um milagre. É um aparelho que a gente não sabe onde fica, não conhece, não tem noção, pelo menos eu não tinha. Agora que eu comecei a pesquisar. Eu espero que essa informação chegue a mais pessoas, que todos saibam o perigo que é uma piscina. A minha filha poderia ter morrido”.