Header

Mensagens e áudios revelam o terror que agressor da procuradora causava nos funcionários: ‘Foi assustador!’; veja

Gabriela Samadello Monteiro de Barros conversou com a colega Thainan Maria Tanaka sobre o pavor que elas tinham do agressor, semanas antes do caso

O comportamento do procurador que agrediu a colega na Prefeitura de Registro já vinha preocupando os funcionários do local, semanas antes do caso. Nesta sexta (24), o g1 publicou um vídeo que mostra uma conversa entre Gabriela Samadello Monteiro de Barros, a vítima, e uma outra colaboradora.

Na conversa, por WhatsApp, Samadello e a agente administrativa Thainan Maria Tanaka, que também trabalha na administração municipal, comentaram sobre episódios de agressividade de Demétrius Oliveira de Macedo, que foi preso nesta quinta (23). O assunto foi iniciado no dia 27 de maio e seguiu até o dia 30 do mês. As duas até destacaram como “medida de segurança” nunca estarem na repartição pública apenas na companhia do procurador.

Continua depois da Publicidade

“O doutor Demétrius acabou de vir aqui, era 17h33, a ‘Pri’ (funcionária) falou com ele: ‘Voltou, doutor?’, mas ele nem a respondeu. Foi direto na sua sala e, depois enfiou a cabeça na sala da doutora Kátia. Veio para ‘quebrar o pau’, estava transtornado!”, escreveu Thainan. Nas mensagens do dia 27, a colaboradora relatou que ela e mais dois colegas ficaram amedrontados com o procurador. “Foi assustador”, pontuou ela. Um deles, chamado “Lucas”, teria, inclusive, trancado uma das portas para evitar contato com o homem. Samadello respondeu, em áudio: “Meu Deus, Thai, Meu Deus!”. Em seguida, a procuradora-geral escreveu: “Que medo“. Ouça e leia:

No dia 30 de maio, por sua vez, Gabriela, que viria a ser agredida semanas depois, disse que “precisava fazer alguma coisa” sobre o homem. Ao longo da conversa, ela apontou ainda que iria pedir o afastamento de Demétrius. Thainan contou que foi dormir tarde por conta de “ansiedade” gerada pelo comportamento do colega. Gabriela admitiu que também se sentia assim naquele momento e teve até “tremedeira“. Veja:

Em seguida, as colegas decidiram estabelecer algumas “regras” para trabalhar em tranquilidade e sem medo de Macedo. Elas combinaram que não iriam trabalhar após o horário de expediente, trancariam portas e promoveriam a união dos demais funcionários visando proteção. As duas falaram até mesmo de sempre ter testemunhas em caso de eventual agressão. Segundo as autoridades envolvidas no caso, os áudios trocados pelas duas deverão ser aproveitados durante o inquérito policial.

Na terça-feira (21), em uma entrevista concedida à TV Tribuna, Gabriela confessou que já temia um ataque de Demétrius. “Eu tinha medo, sim. Tinha medo de que fosse acontecer isso, mas não imaginava que fosse ser uma violência física, achava que fosse um ‘bate-boca’, uma discussão”, relatou a profissional. “Foi exposta a minha dignidade como mulher, fui desrespeitada como servidora pública. Foi um desrespeito brutal da minha personalidade como mulher”, disse Samadello. Assista a um trecho do depoimento:

Continua depois da Publicidade

Prisão de Demétrius

Na manhã desta quinta-feira (23), Demétrius Oliveira de Macedo foi preso. O homem, que agrediu a procuradora-geral da Prefeitura de Registro (SP) Gabriela Samadello Monteiro de Barros durante o expediente de trabalho, foi detido um dia depois de ter sua prisão preventiva decretada. Segundo o g1, ao prestar depoimento, o agressor não mostrou arrependimento pelo que fez.

Em conversa com o portal, a delegada da Divisão de Capturas da Polícia Civil de São Paulo, Ivalda Aleixo, que comanda o caso, revelou que Macedo se mostrou “muito incomodado” ao ser interrogado, porque havia muitas mulheres colhendo o depoimento. Durante o relato do agressor, ao ser questionado se estaria arrependido das agressões contra Gabriela, Demétrius afirmou que “não sabia responder“.

Demetrius Procuradora Espancada
Demétrius Oliveira de Macedo está preso após ser flagrado espancado uma procuradora-geral. (Fotos: Reprodução)

Conforme a denúncia de Thainan Maria Tanaka, o agressor tinha um histórico de “desprezo contra mulheres“. Na quarta-feira (22), as autoridades revelaram que Demétrius foi internado em um hospital psiquiátrico por familiares, localizado em Itapecerica da Serra, devido ao episódio de violência.

Relembre o caso

A procuradora-geral da prefeitura de Registro, no interior de São Paulo, foi agredida brutalmente por outro procurador do município nesta segunda-feira (20). De acordo com o G1, a situação ocorreu depois que Gabriela Samadello abriu um inquérito administrativo contra Macedo por mal conduta no ambiente de trabalho.

No vídeo filmado por outra funcionária, Demétrius apareceu dando chutes e socos em Gabriela na prefeitura onde ambos trabalham. Ele ainda proferiu xingamentos como “p*ta” e “vagabunda do c*ralho”. Como resultado das agressões, a procuradora ficou com o rosto ensanguentado. Um Boletim de Ocorrência (BO) sobre o caso foi registrado no 1º Distrito Policial (DP) do município.

Segundo o BO, o homem agrediu a procuradora primeiro com uma cotovelada na cabeça e continuou com socos no rosto. Gabriela informou à polícia que tentou se defender e até recebeu ajuda de uma funcionária, que foi empurrada contra a porta e bateu as costas na maçaneta. Veja o vídeo abaixo (Atenção: imagens fortes):

Macedo ingressou na prefeitura em 2011 e teve uma boa convivência com Gabriela até 2018, segundo o g1. Desde então, de acordo com a vítima, ele passou a complicar o ambiente de trabalho.