Files Health Virus Astrazeneca Britain

Milhares de brasileiros receberam vacinas vencidas contra a Covid-19, aponta estudo – Saiba se você foi um deles

Cerca de 140 mil doses da vacina AstraZeneca importadas pelo Brasil estão vencidas. De acordo com levantamento coordenado pela pesquisadora Sabine Righetti, da Universidade de Campinas (Unicamp), e Estêvão Gamba, colunista da Folha de São Paulo, 26 mil já foram aplicadas, mesmo fora da validade, na população. Os dados constam de registros oficiais do Ministério da Saúde.

Até o dia 19 de junho, os imunizantes com o prazo de validade expirado haviam sido utilizados em 1.532 municípios brasileiros, em sua maioria em Maringá (PR). A cidade paranaense vacinou 3.536 pessoas com o imunizante da AstraZeneca expirado (primeira dose em todos os casos). Logo em seguida, aparecem Belém (PA), com 2.673 doses aplicadas; São Paulo (SP), com 996; Nilópolis (RJ), com 852, e Salvador (BA), com 824.

Continua depois da Publicidade

As 114 mil doses restantes da vacina vencida foram distribuídas a estados e municípios do país e, segundo a Folha de São Paulo, é incerto se foram descartadas ou seguem sendo aplicadas. Os imunizantes expirados foram adquiridos por consórcio, sendo que um deles teve validade findada em 29 de março e o mais recente, em 4 de junho.

Os lotes podem ser conferidos na carteira individual de vacinação e quem tiver recebido os imunizantes vencidos, deve procurar uma unidade de saúde para orientações e acompanhamento. De acordo com o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra Covid-19, essas pessoas deveriam ser revacinadas pelo menos 28 dias depois de terem recebido a dose administrada erroneamente, porque na prática, é como se elas não tivessem se vacinado.

Astrazeneca
26 mil doses de vacina vencida foram aplicadas na população brasileira. (Foto: Divulgação)

O DataSUS (sistema de informações do Ministério da Saúde) também identifica todas as pessoas imunizadas com um código individual, acompanhado de informações sobre idade, grupo prioritário de vacinação, data da imunização e lote da vacina recebida. Já a data de validade de lotes consta no sistema do governo federal, o Sage (Sala de Apoio à Gestão Estratégica), que registra os comprovantes de entrega dos imunizantes contra Covid-19 por estado. Em cada um desses recibos há informações públicas sobre o número do lote vacinal, a data de validade, o fabricante e a data de entrega.

A Folha cruzou as duas bases – DataSUS e Sage – a partir do número do lote das vacinas. Foram consideradas todas as imunizações do país contra Covid-19 até 19 de junho. A maioria (70%) das doses aplicadas depois da validade é de um mesmo lote do Instituto Serum (Índia), identificado como “4120Z005”, vencido em 14 de abril e que continuou sendo aplicado depois dessa data pelo país. Para saber se você tomou uma vacina vencida, clique aqui.

Confira a seguir os lotes vencidos:

E5tvorhxmai4lts
(Foto: Reprodução/Folha de São Paulo)

Em nota, o Ministério da Saúde informou “que acompanha rigorosamente todos os prazos de validade das vacinas Covid-19 recebidas e distribuídas” e que “as doses entregues para as centrais estaduais devem ser imediatamente enviadas aos municípios pelas gestões estaduais. “Cabe aos gestores locais do SUS o armazenamento correto, acompanhamento da validade dos frascos e aplicação das doses, seguindo à risca as orientações do Ministério”, declarou a pasta. Estados e municípios, por sua vez, alegam que os dados do Ministério da Saúde é que estavam errados.