Géssica

Mulher que viralizou com cena de sexo durante show de Henrique e Juliano diz que foi estuprada: “Não aguento mais”

Géssica Gomes dos Santos afirmou que só teve conhecimento do crime quando recebeu o vídeo, e agora busca justiça depois de toda a exposição

A cabelereira Géssica Gomes dos Santos, de 31 anos, teve um vídeo exposto na internet no qual aparece em uma cena de sexo no show da dupla Henrique e Juliano no dia 5 de junho. Em entrevista ao G1 divulgada nesta terça-feira (21), ela denunciou que, na realidade, foi vítima de estupro durante o evento.

Géssica relatou que não se lembra de nada do que aconteceu e que só descobriu que havia sido abusada sexualmente ao receber o vídeo do crime no dia seguinte da apresentação, por uma pessoa que teve o objetivo de avisá-la sobre o ocorrido. “Eu lembro de estar bebendo cerveja, depois de uma luz no meu rosto e de falar ‘apaga a luz’, mas não tinha noção do que estava acontecendo, muito menos de que tinha alguém filmando. […] Minha vida não é mais a mesma depois dessa exposição toda. Eu quero expor a minha versão”, contou.

O caso está sendo investigado pela Policia Civil. No entanto, a mulher desabafou que a exposição do momento trouxe consequências não só para ela, mas como para toda a família. Casada e mãe de duas meninas, uma de 7 anos e outra de 15, ela foi acusada de que, junto com o marido, ganharia uma garrafa de uísque em troca de sexo. Mas Géssica garantiu que essa versão não é verdadeira e ainda suspeita que foi dopada. “Eu jamais faria uma coisa dessas, nem uísque eu bebo. Meu marido também nunca deixaria isso acontecer. Quem filmou e enviou o vídeo também divulgou meus perfis nas redes sociais e meu número”, afirmou.

Continua depois da Publicidade

A cabeleireira ainda disse que recebeu críticas, perdeu clientes no salão de beleza e não está conseguindo trabalhar porque as pessoas começaram ir pessoalmente até o local para fazer “piada”. Ela falou que foi ao 1º Distrito Policial de Aparecida de Goiânia, cidade em mora, no dia 7 de junho para fazer a denúncia, só que não foi bem atendida. “O homem que me recebeu disse que não valia a pena registrar, que logo as pessoas iam esquecer, que eu ia acabar me expondo mais, então voltei para casa. Mas a situação só piorava, cada dia mais gente publicava esse vídeo, então [no dia 13 de junho] fui à Delegacia da Mulher”, lembrou.

Géssica declarou que registrou um boletim de ocorrência na Polícia Civil sobre a divulgação das imagens, mas que foi orientada a ir à Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) de Goiânia. “Fiquei horas lá esperando para ser atendida, até que me falaram que a delegada que ia me ouvir teve que ir embora, pegaram meu telefone, falaram que iam me ligar, mas não recebi retorno deles”, explicou.

Continua depois da Publicidade

A Polícia Civil informou que “a vítima foi regularmente atendida e registrou ocorrência dias depois do fato“. Ainda de acordo com as autoridades, “foi instaurado inquérito para apurar o crime de divulgação de cena de estupro ou de cena de estupro de vulnerável, de cena de sexo ou de pornografia“.

Agora, a cabeleireira tenta volta com a vida de antes do acontecido, e busca por justiça .“Ninguém veio me perguntar se era verdade o que estavam dizendo sobre mim. Todo mundo me julgando, não aguento mais essas piadinhas, está afetando demais a mim, minha família, meu serviço”, falou. “Espero que seja feita justiça, que esse povo que está me difamando pague”, completou.

Continua depois da Publicidade

Ao G1, a assessoria da dupla Henrique e Juliano afirmou que não teve conhecimento sobre o caso. A assessoria do Infinito Particular, responsável pelo evento, contou que vai esperar a investigação da Polícia Civil ser concluída para se posicionar. O homem que aparece no vídeo ainda não foi identificado. Neste mesmo show, um rapaz foi baleado.