Fotojet (21)

Polícia apreende crânio humano em mala de boliviano em ônibus em SP, e passageira surpreende com vídeo do momento

Na tarde dessa segunda-feira (7), a Polícia Civil apreendeu um crânio humano durante a fiscalização de um ônibus na Rodovia Castello Branco, próximo à cidade de Itu, São Paulo. O resto mortal estava guardado na bagagem de mão de um passageiro boliviano, que foi encaminhado ao 4° Distrito Policial de Itu.

Às autoridades, o viajante explicou que o crânio pertencia ao irmão mais velho dele, morto na Argentina. O corpo então foi cremado e a ossada da cabeça foi guardada por uma questão de costume cultural e familiar. O rapaz disse ainda que pretendia levar o crânio para São Paulo, local onde mora.

Continua depois da Publicidade

O boliviano foi autuado pelo crime do artigo 17, da Lei 9434/97, que considera ilegal o transporte ou recolhimento de partes do corpo humano, sem previamente informar a procedência do mesmo. A ossada foi apreendida e deve passar por uma perícia técnica.

A história passou a ganhar vulto nas redes quando uma das passageiras publicou um relato mencionando o susto que levou, ao saber que seu ônibus de viagem passaria por fiscalização da polícia. Um vídeo do momento de apreensão dos restos mortais também foi compartilhado por ela. Veja:

O caso repercutiu na web e levantou questões sobre xenofobia. De fato, existe um ritual religioso na Bolívia chamado de “ñatitas”, que consiste em decorar crânios humanos com toucas, coroas de flor, chapéus e outros adereços, como forma de homenagear aqueles que partiram. Orações, cantigas e danças em torno da ossada também são gestos comuns. Devotos atribuem poderes milagrosos às caveiras, como capacidade de se comunicar com os vivos através de sonhos.