Procuradora 4

Procuradora é espancada brutalmente por colega após abrir processo disciplinar contra ele, em SP; crime é registrado em vídeo chocante

Demétrius Oliveira Macedo deu socos e chutes na colega depois que o processo administrativo contra ele foi aberto por má conduta no trabalho

A procuradora-geral da prefeitura de Registro, no interior de São Paulo, foi agredida brutalmente por outro procurador do município nesta segunda-feira (20). De acordo com o G1, a situação ocorreu depois que Gabriela Samadello Monteiro de Barros, de 39 anos, abriu um inquérito administrativo contra o também procurador Demétrius Oliveira Macedo, de 34 anos, por mal conduta no ambiente de trabalho.

No vídeo filmado por outra funcionária, Demétrius apareceu dando chutes e socos em Gabriela na prefeitura onde ambos trabalham. Ele ainda falou xingamentos como “p*ta” e “vagabunda do c*ralho”. Como resultado das agressões, a procuradora ficou com o rosto ensanguentado. Um Boletim de Ocorrência (BO) sobre o caso foi registrado no 1º Distrito Policial (DP) do município.

Segundo o BO, o homem agrediu a procuradora primeiro com uma cotovelada na cabeça e continuou com socos no rosto. Gabriela informou à polícia que tentou se defender e até recebeu ajuda de uma funcionária, que foi empurrada contra a porta e bateu as costas na maçaneta. Veja o vídeo abaixo (Atenção: imagens fortes):

Continua depois da Publicidade

Em nota, a prefeitura de Registro expressou o mais absoluto e profundo repudio aos brutais atos de violência realizados pelo procurador municipal contra a servidora municipal mulher que exerce a função de procuradora-geral do município”. A administração municipal determinou a imediata suspensão do agressor e prejuízo no salário dele a partir de 21 de junho.

Procuradora
Procuradora mostra rosto ensanguentado após agressão. (Foto: arquivo pessoal)

O executivo ainda afirmou que a procuradora terá acompanhamento neste momento. “Reafirmamos nosso compromisso com a prevenção e enfrentamento a todas as formas de violência, principalmente aquelas que vitimizam mulheres. Os servidores da Procuradoria-Geral Municipal e da Secretaria de Negócios Jurídicos receberão todo apoio necessário, inclusive acompanhamento psicológico, completou.

Continua depois da Publicidade

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de São Paulo, subseção Registro, também repudiou a “inadmissível, covarde e grotesca agressão física praticada” pelo procurador municipal em nota. Um ofício contra Demetrius será apresentado na Comissão de Ética e Disciplina. “A agressão atingiu toda a advocacia e a toda a sociedade de uma forma geral, causando indignação permanente”, falou em trecho do comunicado