Revoltante! Veterinária frauda fila e toma terceira dose de vacina contra a Covid-19 em SP; MP investiga

É como diz o ditado: é por isso que o Brasil não vai para frente. Em uma publicação já deletada de suas contas do Instagram e Facebook, a veterinária Jussara Sonner, moradora de Arujá, na Grande São Paulo, afirmou ter furado a fila da vacina para se imunizar pela terceira vez. O episódio absurdo aconteceu no dia 30 de junho e foi documentado e exposto pela própria veterinária.

Em um texto no Instagram, junto a fotos de seus cartões de vacinação, a mulher revelou o motivo por trás da fraude. “Sei que nenhuma vacina é totalmente segura, pois não houve tempo para a realização dos testes. Mas como no início do ano tomei a ‘vachina’ (sic) estava bastante incomodada com isso”, começou, referindo-se à CoronaVac, imunizante do Instituto Butantan em parceria com a biofarmacêutica chinesa Sinovac. “Esperei o tempo necessário, três meses, e hoje consegui tomar a da Janssen. Agora me sinto mais protegida, é dose única e estou liberada para viajar para onde eu quiser. Agora sim que viro jacaré”, concluiu.

Nas fotos dos comprovantes publicadas por Jussara, é possível ver que ela foi vacinada com as duas doses da CoronaVac em 9 de fevereiro e 2 de março deste ano, na UBS Vila Fátima, em Guarulhos, São Paulo.

Jussara Sonner foi imunizada com a CoronaVac em fevereiro e março deste ano. (Foto: Reprodução / Instagram / UOL)

Já no dia 30 de junho, ela se vacinou novamente, desta vez com a dose única da Janssen, em outra unidade do mesmo município, a UBS Uirapuru.

Jussara Sonner tomou o segundo imunizante em 30 de junho. (Foto: Reprodução / Instagram / UOL)

Continua depois da Publicidade

Ao ser questionada por seus seguidores sobre como conseguiu burlar as regras, Sonner zombou do Sistema de Saúde. “Fui em um bairro meio que de favela em Guarulhos, onde não havia computadores para verificação online. Uma sorte! Anotaram meus dados numa folha timbrada. Quando cair no sistema será tarde demais”, escreveu ela. “Nem o comprovante de endereço olharam”, acrescentou.

A veterinária ainda zombou do sistema de saúde. (Foto: Reprodução / Instagram / UOL)

Nas postagens que faz nas redes sociais, a maioria já deletada, Jussara Sonner declarou voto no presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e compartilhou memes contra o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), responsável pela chegada da Coronavac no Brasil.

Continua depois da Publicidade

Investigação em curso

Após a polêmica, o caso de Sonner foi denunciado no Ministério Público de São Paulo por meio do portal “Fura-fila da vacina”. O MPSP afirmou que a denúncia foi recebida e encaminhada para a Promotoria de Justiça. Os promotores, por sua vez, pediram à polícia para que investigue a veterinária pelos possíveis crimes de falsidade ideológica e infração de medida sanitária preventiva, previstos no Código Penal brasileiro.

Já a Prefeitura de Guarulhos informou, em nota ao G1, que “tomou conhecimento nesta manhã das postagens da médica veterinária e imediatamente determinou que o caso fosse enviado ao Ministério Público Estadual para que ela seja investigada”. A instituição acrescentou, ainda, que “não mede esforços para promover uma vacinação célere e eficiente, criando critérios objetivos para a contemplação de sua população. Mas não se pode fechar os olhos para abusos e fraudes que visem burlar esse sistema, ainda mais baseadas em motivações desprovidas de amparo científico que possam prejudicar grupos prioritários para a vacinação, como neste caso”.

A Secretaria Municipal de Saúde de Guarulhos também abriu um procedimento interno para apurar que tipo de falha pode ter ocorrido neste caso em que a mesma pessoa foi vacinada duplamente com dois imunizantes diferentes.

É importante reforçar que não existe efeito benéfico da revacinação contra a Covid-19 dentro de um período de tempo tão curto. A informação é do médico Alexandre Naime Barbosa, chefe do Departamento de Infectologia da Unesp, que faz parte do Comitê de Covid-19 da Associação Médica Brasileira e da Sociedade Brasileira de Infectologia.