Escola católica bane livros de “Harry Potter” da biblioteca, após reverendo afirmar que série contém feitiços e maldições “reais”; entenda!

Expelliarmus esse demônio do corpo das crianças! Kkk De acordo com o jornal The Independent, uma escola católica do estado do Tennessee decidiu banir os livros da série “Harry Potter” de sua biblioteca, após um reverendo chamar atenção para o modo como as obras retratavam mágica. De acordo com o membro do clero, a série infanto-juvenil conteria feitiços e maldições “reais”, e haveria o perigo das crianças “conjurarem espíritos maus” após a leitura.

O reverendo Dan Reehill explicou sua decisão em um e-mail aos pais dos estudantes da St. Edward Catholic School, em Nashville, declarando que ele tinha consultado exorcistas nos Estados Unidos e no Vaticano antes de banir os sete livros do bruxinho, escritos pela autora J. K. Rowling.

Cê tá metida com o capiroto, Hermione?! (Foto: Reprodução/Warner Bros)

“Esses livros apresentam mágica como algo tanto bom quanto ruim, o que não é verdade. Na realidade, é uma mentira inteligente. Os feitiços e maldições descritos nos livros são feitiços e maldições reais; quando um ser humano os conjura, corre o risco de trazer espíritos maus para a presença de quem está lendo o texto”, escreveu.

A superintendente das escolas da Diocese Católica de Nashville, Rebecca Hammel, afirmou ao jornal The Tennessean que o reverendo Reehill realmente mandou o e-mail, e que ele tem a palavra final no assunto, já que a Igreja Católica não tem uma posição oficial em relação aos livros de “Harry Potter”. “Cada reverendo tem autoridade canônica de tomar tais decisões para sua escola paroquial”, explicou. E acrescentou: “Ele está dentro de sua autoridade para agir dessa maneira”. A escola abriu recentemente sua nova biblioteca para os estudantes, e o catálogo entrou em revisão pela equipe, por isso a mudança repentina.

Os livros da saga “Harry Potter” foram acusados de conterem feitiços reais… eita! (Foto: Divulgação/Warner Bros.)

Apesar de serem contra a série de “Harry Potter”, Hammel garantiu que a escola não impedirá os alunos de lerem os livros — contanto que tenham a permissão dos responsáveis: “Os pais devem julgar se [“Harry Potter”] ou qualquer outro tipo de mídia é apropriada, e nós esperamos que eles apenas guiem seus filhos e filhas para entender o conteúdo, através das lentes da fé”. Para completar, ela garantiu que a escola não costuma censurar obras literárias. “Nós apenas nos certificamos que o que nós disponibilizamos em nossa biblioteca é apropriado para a idade dos nossos estudantes”, afirmou.

Já sabem, né, crianças? Nada de sair por aí fazendo “crucius” nos coleguinhas… de acordo com o reverendo, pode funcionar mesmo! Kkkk