Após matéria no “Fantástico”, Mário Velloso se manifesta sobre “Festa Bico Calado”, realizada em sua casa durante pandemia: “Nunca foi a intenção fazer uma megafesta”

No último domingo (28), foi exibida no “Fantástico” uma reportagem sobre festas que seguem acontecendo na cidade de São Paulo, mesmo com a pandemia do novo coronavírus. Dentre as filmagens mostradas, estava a de uma moradora do Morumbi, que fez registros de uma rua lotada de carros e pessoas chegando a um evento sem máscaras.

A residência aonde foi feita a festança pertence ao DJ Mário Velloso, dupla de Diego Moura no projeto Radiømatik. Em entrevista para a GQ, o músico declarou que, inicialmente, a ideia era juntar algumas pessoas na propriedade para gravar uma live, já que o mercado musical foi um dos mais afetados pela quarentena e isolamento social, e as transmissões são maneiras de ajudar, não só os afetados pela doença, como os profissionais do meio cultural.

“A ideia era fazer uma live grande aqui em casa. Grande eu digo extensa, de tempo, cinco ou seis DJs, como um minifestival. Por causa de agenda, mas com tudo já organizado, a gente teve que mudar para outra semana. Aí um amigo me ligou e falou que era o aniversário dele, que queria fazer uma festa, mas mora em apartamento e perguntou: ‘Posso fazer uma coisa pequena na sua casa?’. Eu falei: ‘Pode’. Aí pensei que aproveitaria e faria uma live no meio”, disse.

Mário então alegou que as coisas fugiram do controle. “Saiu da proporção que era para ser. Era para ser uma coisa super pequena, iria ser extenso, como disse, com 12 horas de live – vai ser, vamos fazer ainda – e acabou que veio muita gente. Uma hora eu mandei fechar a porta obviamente e falei: ‘Gente, o que está acontecendo?’. Tanto que não era nem dentro da minha casa, era só na garagem”, comentou.

Imagem exibida na matéria do “Fantástico”. (Foto: Reprodução/Rede Globo)

O convite do evento, intitulado “Festa Junina – Bico Calado”, acabou circulando nas redes sociais e atraindo mais convidados. “O convite se espalhou e deu nisso. Tinha muita gente pra fora da casa, até peguei meu drone pra dar uma olhada lá fora e vi que tinha muita gente mesmo. Falei: ‘Cara, tô querendo encerrar’.

Velloso disse ter tentando dar fim na celebração, mas por conta de pedidos do amigo Ivo Kos, cedeu e deixou a festa seguir. “Ele me disse ‘não precisa, até porque acabou de passar um carro de polícia aqui e pediu para baixar o som’. Aí eu abaixei o som e não deu mais problema nenhum. Queria ter encerrado antes, mas era o meu amigo, aniversário dele, ele pedia, ‘por favor, vamos deixar mais um pouco’ e foi o que aconteceu”, tentou justificar.

A imagem também pedia sigilo através de emojis. (Foto: Reprodução)

Segundo estimativas do DJ, entre 80 e 90 pessoas participaram da comemoração, dentro de um espaço de quinze ou vinte metros quadrados: “Estava muito apertado, eu até fiquei preocupado. Me disseram que alguém espalhou o convite. Eu acho que o que deu o bafafá foi a quantidade de gente pra fora, que eu não queria que entrasse”.

Mário afirmou que esperava receber cerca de 30 convidados em sua casa. Esses, amigos que, nas palavras do músico, se encontram mesmo durante a quarentena. “Não é o que todo mundo recomenda, mas somos todos fora do grupo de risco e são pessoas que estão exercendo o livre arbítrio, que pensam ‘eu acho que eu posso ir, não vou ter contato com pessoas mais velhas’. A gente vem se encontrando, batendo papo, jantando. Era para serem só essas pessoas, mas como foi num sábado e, a cada semana que passa, o pessoal está mais aflito com essa coisa de ficar em casa, deu no que deu”, analisou.

Por fim, Velloso disse que tem sido alvo de mensagens de ódio nas redes por conta de um suposto “mal-entendido”. “O grande mal-entendido de tudo, pelo qual estou sendo linchado em rede social, é que estão falando que eu dei uma mega festa. Nunca foi a intenção fazer uma mega festa, nada disso. E não foi, pareceu que foi por causa da porta, com as pessoas que eu não queria que entrassem. Era para ser uma reunião de amigos, mas a coisa tomou uma proporção maior que a esperada, mas menor do que estão achando que foi”, concluiu.