Xuxa, Camila Pitanga, Fernanda Lima, Alice Wegmann e mais famosas se posicionam sobre denúncias de abuso sexual contra João de Deus

As centenas de casos de mulheres abusadas pelo médium João de Deus, noticiados primeiramente pelo jornalista Pedro Bial em seu programa noturno na Globo, continuam repercutindo. Desta vez, famosas que tem o costume de não se calar diante de situações polêmicas, usaram as próprias rede sociais para discutir e dar luz ao assunto.

Camila Pitanga, por exemplo, contou que visitava a casa de João de Deus em Abadiânia, e está mortificada com as recentes descobertas. “Indignação, perplexidade… Ainda estou digerindo os depoimentos contundentes contra João de Deus”, admitiu no Instagram. “Nos últimos anos frequentei a casa e, mesmo não tendo nada de negativo para relatar, não vou negar que o caso me choca com o crescente número de acusações. Como mulher, desejo que as investigações não cessem e contribuam para o fim de casos como este”, contou. No final, ela ainda mandou uma mensagem de apoio às vítimas: “Queria deixar minha solidariedade às mulheres que, corajosas, trouxeram à luz esses acontecimentos inadmissíveis. Vocês não estão sozinhas. Com todo o meu amor”.

A apresentadora Xuxa publicou um vídeo em seu Instagram, contando que havia conhecido João de Deus através de uma matéria que fez e não foi ao ar, quando ainda estava na TV Globo. A rainha dos baixinhos também revelou que chegou a nutrir um carinho especial pelo médium após encontrá-lo pela primeira vez. “Infelizmente me enganei, e me enganei feio. Venho aqui para pedir desculpa a vocês, porque já divulguei o documentário dele, disse que era uma pessoa legal e tudo.  Me sinto na obrigação de dizer a todos vocês que tô até um pouco envergonhada com tudo isso”, desculpou-se aos seguidores. E em seguida deu a letra: “Falando em vergonha, eu queria também que vocês entendessem que essas pessoas não falaram no passado por vergonha, por medo, querendo esquecer tudo isso. Mas eu quero dizer a todos vocês, mulheres que passaram por isso, que eu tô com vocês, tá? Sinto muito, muito mesmo,  muito de verdade”. No final, ela ainda fez um pedido de que, se houvesse mais mulheres, que viessem à público. “Denunciem, porque pessoas como essa e outras precisam pagar por isso”. Certíssima!

Outras atrizes que se manifestaram foram as engajadas Fernanda Paes Leme, Alice Wegmann, Maria Casadevall e Jacqueline Sato. As três compartilharam um texto da escritora Antônia Pellegrino, que viralizou em pouco tempo. Usando a mesma foto de João de Deus, elas deixaram a mensagem na íntegra no corpo do post: “A maior quebra de silêncio da história. Até hoje, 330 mulheres se uniram para denunciar o mesmo homem. Por assédio, estupro, pedofilia, incesto praticados há décadas. Décadas em que cada uma delas silenciou, foi desacreditada ou ameaçada de morte. Estas 330 mulheres não são loucas, mentirosas, invejosas. Elas são vítimas. Vítimas de um homem poderoso que usa Deus como sobrenome. Elas são vítimas de séculos de silenciamento. Mas o tempo das mulheres chegou. Empoderadas por todas as denúncias que vieram antes, no Brasil e no mundo, elas decidiram se unir e falar. É hora de investigar e punir quem tiver que ser punido. É hora de justiça. Parabéns pela coragem de todas as mulheres envolvidas nesta histórica quebra de silêncio. Nós estamos com vocês”.

View this post on Instagram

A maior quebra de silêncio da história. Até hoje, 330 mulheres se uniram para denunciar o mesmo homem. Por assédio, estupro, pedofilia, incesto praticados há décadas. Décadas em que cada uma delas silenciou, foi desacreditada ou ameaçada de morte. Estas 330 mulheres não são loucas, mentirosas, invejosas. Elas são vítimas. Vítimas de um homem poderoso que usa Deus como sobrenome. Elas são vítimas de séculos de silenciamento. Mas o tempo das mulheres chegou. Empoderadas por todas as denúncias que vieram antes, no Brasil e no mundo, elas decidiram se unir e falar. É hora de investigar e punir quem tiver que ser punido. É hora de justiça. Parabéns pela coragem de todas as mulheres envolvidas nesta histórica quebra de silêncio. Nós estamos com vocês. #ChegaDeAbuso #ninguemsoltaamãodeninguem #mexeucomumamexeucomtodas #xotapower 📷 Daniel Marenco

A post shared by Alice Wegmann (@alice.weg) on

A cantora e dançarina Maria Gretchen é outra que pediu para as mulheres denunciarem os abusos sofridos: “Denunciem mesmo. Lute pelos seus direitos. Nenhum homem pode achar que usa o nome de Deus em vão“, disse nas redes sociais. “Muito menos por um motivo absurdo desse”, concluiu, com as hashtags “ninguém solta a mão de ninguém” e “mexeu com uma, mexeu com todas”.

Ontem, a apresentadora Fernanda Lima já havia publicado uma mensagem de apoio às vítimas. Sem citar nomes, a dona de “Amor e Sexo” escreveu: “Quando uma mulher rompe o silêncio e denuncia uma agressão, a primeira reação desse sistema de opressão é questionar a vítima e nunca o agressor”. “Por isso, precisamos segurar a mão uma das outras e nos apoiar. Juntas, vamos denunciar, exigir justiça e assim sabotar as engrenagens do sistema de opressão machista e misógino”, concluiu, chamando suas seguidoras e o público para andarem de mãos dadas.

Para quem não acompanhou as notícias mais recentes, na última sexta-feira (7), o programa “Conversa com Bial” revelou supostos abusos cometidos pelo médium João de Deus durante os atendimentos espirituais que praticava em sua casa, no município de Abadiânia. A única mulher que aceitou mostrar o rosto foi a holandesa Zahira Lieneke Mous, apesar de centenas de mulheres já terem se manifestado a respeito dos abusos após a matéria sobre o assunto estourar. Durante entrevista com o jornalista, Zahira declarou que esperava “ajudar outras mulheres a saírem dessa sombra, porque nós não precisamos sentir vergonha. Ele tem que sentir vergonha. E todas as pessoas que o protegem para que ele continue fazendo o que faz”. De acordo com as vítimas, João de Deus se aproveitava de mulheres vulneráveis e fazia chantagens emocionais. Ao G1, o advogado do médium, Alberto Toron, negou todas as acusações, e declarou que ele está à disposição da Justiça para esclarecimentos.

O Ministério Público de Goiás criou um e-mail exclusivo para receber denúncias das vítimas de assédio: denuncias@mpgo.mp.br. Em apenas 30 horas, mais de 206 mulheres já enviaram seus respectivos relatos para o endereço eletrônico, segundo o G1. Diante do número expressivo, o MP-GO protocolou no fim da tarde desta quarta (12), o pedido de prisão preventiva de João de Deus, que será analisado pelo Fórum de Abadiânia.

ATUALIZAÇÃO [19h] – Lá fora, Oprah Winfrey também decidiu se posicionar. A apresentadora bilionária, que visitou João de Deus e a Casa Dom Inácio de Loyola com o programa “Oprah’s Next Chapter”, em 2012, disse que está do lado das vítimas. “Eu tenho empatia pelas mulheres que estão se apresentando agora e espero que a justiça seja feita”, afirmou a estrela, segundo o jornal Folha de São Paulo. O episódio do programa com a participação do médium foi retirado do YouTube de Oprah e de seu site oficial.