Fotojet

Exclusivo: Elizabeth Olsen fala sobre “Multiverso da Loucura” e revela seu maior medo ao viver a Feiticeira Escarlate mais uma vez; assista

Em papo com Hugo Gloss, a intérprete de Wanda Maximoff detalhou desejos para o futuro da heroína no cinema

Após o sucesso estrondoso de “WandaVision” e o início de uma nova fase no MCU (Marvel Cinematic Universe), os fãs da gigante dos quadrinhos aguardavam ansiosos pelo retorno da Feiticeira Escarlate. Este dia finalmente chegou e Elizabeth Olsen está de volta em “Doutor Estranho no Multiverso da Loucura“. OMG!

Em entrevista concedida a Bruno Rocha, o Hugo Gloss, a atriz falou sobre o tão aguardado filme e o impacto que Wanda e Stephen Strange (Benedict Cumberbatch) têm na jornada um do outro. Para Elizabeth, os personagens são “farinha do mesmo saco” e, por isso, compartilham um forte conexão. “Nós não temos muitas cenas juntos, mas eu acho que temos um entendimento mútuo um do outro. E, porque eles compartilham algumas habilidades semelhantes, eles têm uma compreensão espiritual um do outro”, declarou Olsen.

Considerado um dos projetos mais insanos e ambiciosos da Marvel, “Multiverso da Loucura” é diferente da “receita” usada pelo estúdio em grande parte de seus filmes. A trama, que tem requintes de filmes de terror, mostra que o feitiço mal sucedido do Dr. Stephen Strange (Benedict Cumberbatch) para Peter Parker (Tom Holland) teve consequências piores do que as esperadas. O herói agora terá de enfrentar algumas criaturas de outras dimensões, incluindo Karl Mordo (Chiwetel Ejiofor) e uma versão aparentemente maligna do próprio Stephen, que vimos originalmente na série “What If…?”.

Continua depois da Publicidade

Como se todos esses problemas já não bastassem, Strange ainda “esbarrou” em uma catástrofe multiversal, que começou com os acontecimentos de “Loki” e “WandaVision” e que precisa, de toda maneira, ser impedida. Ciente de que não conseguirá enfrentar as ameaças sozinho, ele saiu em busca da ajuda de Wong (Benedict Wong) e de ninguém mais, ninguém menos que a rainha do caos, Wanda Maximoff.

Elizabeth Olsen como Feiticeira Escarlate em “Doutor Estranho 2”. (Foto: Reprodução/Marvel)

Em “Doutor Estranho”, Strange se refere à personagem como “um dos seres mais poderosos que ele conhece” e ela surge, realmente, em sua versão mais poderosa até hoje, após se dedicar ao estudo do Darkhold e descobrir a magia antiga que habita nela. Ao ser questionada sobre a evolução das habilidades da ruiva, Elizabeth relembrou a trajetória de Wanda desde seus dias em Westview, até o reencontro com Strange.

“Eu acho que na série… O que ela fez foi algo incrível e milagroso, mas o que ela descobriu através disso, foi que ela sempre esteve destinada a ser essa bruxa antiga e mítica, que esse é o destino dela. E aceitar isso, permite que ela tenha uma força ainda maior. E, para mim, quando ela cria confiança em ser essa mulher, isso a coloca em outro patamar. Se empoderar do seu poder e de quem ela é, a faz mais forte”, refletiu a atriz.

Continua depois da Publicidade

Esse empoderamento veio, também, após os diversos desafios que a feiticeira enfrentou. Aos olhos da estrela da Marvel, as mudanças internas de Wanda refletem diretamente em sua atitude como heroína (ou vilã!) e na maneira como se relaciona com o mundo à sua volta. “O sentimento mais predominante… Eu gostaria de dizer ‘clareza de pensamento’, mas isso não é bem um sentimento. Eu acho que é um grande e claro senso de si mesma. Acho que isso se traduz em ‘confiança'”, apontou.

Feiticeira Escarlate em “Doutor Estranho no Multiverso da Loucura”. (Foto: Reprodução/Marvel)

Maior medo

A primeira aparição de Maximoff no MCU aconteceu em 2015, no longa “Vingadores: Era de Ultron”. Ao longos dos sete anos dando vida à rainha do caos, a personagem já perdeu amigos, o irmão Pietro (Aaron Taylor Johnson), seu amor, Visão (Paul Bettany), e os filhos, os gêmeos Billy (Julian Hilliard) e Tommy (Jett Klyne), além de sobreviver a uma série de outros traumas.

Para a intérprete, houve um receio por seu retorno em “Multiverso da Loucura”, já que ela não queria repetir padrões. “Acho que o meu maior medo era repetir uma mesma narrativa várias vezes. É fácil dizer: ‘Ela perdeu essa pessoa, e essa pessoa, e essa pessoa’… Mas cada perda que ela teve tem a sua própria jornada”, avaliou Olsen. “E são questões particulares de cada filme ou série em que ela esteve. Nesse momento da vida dela, eu realmente acho que estamos afunilando a jornada da personagem para lugares que não vimos antes”, afirmou.

Wanda, Visão e os filhos, Billy e Tommy em “WandaVision”. (Foto: Reprodução/Marvel)

Os “lugares que não vimos antes” são exatamente o que Elizabeth gostaria de explorar no futuro do MCU. No entanto, quando questionada sobre a possibilidade de um filme solo da Feiticeira Escarlate ou até mesmo um segunda temporada de “WandaVision”, a atriz fez mistério. “Eu não estou sabendo de nenhuma dessas possibilidades, mas com a Marvel nunca se sabe! Eu nunca imaginei que eu traria essa personagem para uma série de TV. Então, eu realmente acho que qualquer coisa pode acontecer, contanto que haja uma boa história a ser contada”, disse ela.

Continua depois da Publicidade

“Se não houver uma boa história, não vejo o porquê de continuar a jornada da personagem. Mas qualquer que seja a história, acho rico que tenhamos meios diferentes de contá-la, agora que temos a possibilidade de fazer isso através da TV ou do cinema. Então, eu não tenho muita certeza do que vai acontecer, mas estou aberta a isso e adoraria continuar”, concluiu. Nós também estamos abertos, Lizzie!

“Doutor Estranho no Multiverso da Loucura” estreia nesta quinta-feira (5), nos cinemas de todo o mundo. Sob direção de Sam Raimi e com um time de gigantes no elenco, que inclui Benedict Cumberbatch, Elizabeth Olsen, Benedict Wong, Rachel McAdams, Xochitl Gomez e muitos outros, o filme promete arrebatar os fãs com drama, ação e até terror! Preparado para um encontro com a bruxa mais poderosa da Marvel? É só dar o play!