Autópsia de Maradona constata causas da morte e levanta suspeita de negligência médica; saiba detalhes

Na noite desta terça-feira (22), a imprensa argentina divulgou detalhes da autópsia e da perícia toxicológica de Diego Armando Maradona, que faleceu em 25 de novembro. De acordo com os peritos, não foram encontradas drogas ilegais ou álcool no corpo do astro do futebol. No entanto, os resultados apontaram para a presença de psicofármacos – como medicamentos contra ansiedade e depressão.

Segundo a agência argentina de notícias Télam, a autópsia confirmou que Maradona veio a óbito por conta de um “edema agudo de pulmão secundário a insuficiência cardíaca crônica exacerbada”. A perícia também descobriu uma cardiomiopatia dilatada em Maradona. Conforme relatos prévios sobre as investigações, o coração do astro estava muito grande e pesava 503 gramas, o dobro do normal.

Diego Maradona foi o maior astro do futebol argentino e um dos maiores nomes do esporte pelo mundo. (Foto: Getty)

Além disso, a autópsia apontou para um “provável quadro cirrótico” no fígado, bem como uma necrose tubular aguda no rim. A emissora LaSexta ainda deu mais detalhes sobre a morte do craque argentino, afirmando que ele teria sofrido por oito horas antes de falecer. De acordo com o canal, os últimos momentos de Diego foram de “uma grande agonia que durou entre seis e oito horas, e não uma morte súbita”.

Continua depois da Publicidade

Todos os fatores descobertos na autópsia levantaram a suspeita de uma possível negligência dos médicos que cuidavam do ex-jogador. Um dos investigadores responsáveis pela autópsia falou sobre isso à agência Télam. “É tão importante o que apareceu como o que não surgiu nessas análises de laboratório. À primeira vista, confirmam que davam psicofármacos para Maradona, mas nenhum medicamento para combater sua cardiopatia”, disse.

Segundo ele, alguns dos psicofármacos registrados na perícia causam arritmia – o que não seria conveniente para alguém com problemas cardíacos. Diante disso, espera-se que os promotores responsáveis pela investigação do caso convoquem uma junta médica para avaliar se a morte de Maradona podia ser evitada. Em caso positivo, a equipe que cuidava dele poderá ser responsabilizada por seu óbito.

Continua depois da Publicidade

Horas antes da divulgação dos resultados, Gianinna Maradona lamentou as especulações a respeito dos resultados da autópsia de seu pai. “Todos os filhos da p*ta esperando que a autópsia do meu papai tenha droga, maconha e álcool. Não sou médica e ele estava muito inchado. A voz robótica. Não era a voz dele. Estava acontecendo e eu era a louca fora do sério”, escreveu ela.

A morte de Maradona abalou o mundo, especialmente por representar a perda de um dos maiores nomes do futebol na história. Como era de se esperar, não faltaram homenagens e discursos emocionantes para o eterno ídolo latino. Confira alguns deles, clicando aqui.