Samba da federação do Brasil, “besuntado” de Tonga e canção de John Lennon marcam a abertura das Olimpíadas de Tóquio – confira reações

Foi dada a largada! Na manhã desta sexta-feira (23), aconteceu a cerimônia de abertura das Olimpíadas de Tóquio, diretamente do Estádio Olímpico de Tóquio, na região de Shinjuku, no Japão. O palco para o começo da disputa sem precedentes (já que esta é a primeira edição adiada da história, de 2020 para 2021) recebeu centenas de atletas de todo o mundo, em um evento que teve como slogan a frase “unidos pela emoção”.

O intuito do tema foi mostrar que a competição e o “poder do esporte” podem levar coragem e esperança ao mundo, mesmo em um momento difícil como o que estamos enfrentando com a pandemia da covid-19. Para simbolizar a federação brasileira, foram escolhidos apenas quatro representantes para o desfile olímpico, respeitando o número mínimo de atletas e oficiais exigidos pelo COI (Comitê Olímpico Internacional).

Apesar de modesta, a passagem dos brasileiros pelo estádio foi emocionante! Carregando a bandeira verde e amarela, tivemos o craque do vôlei, Bruninho Rezende e a grande judoca Ketleyn Quadros. Ambos surgiram com um lookinho típico do nosso povo – bermuda e chinelo – e muito samba no pé. Espia só o momento:

Continua depois da Publicidade

A dupla foi acompanhada pelo chefe da missão e vice-presidente do COB (Comitê Olímpico Brasileiro), Marco La Porta e, ainda, um oficial administrativo. Mas não parou por aí, não! Mesmo sem comparecer à arena, os atletas brasileiros fizera sua parte e organizaram seu próprio desfile, diretamente da Vila Olímpica.

Vestidos com o uniforme oficial e esbanjando alegria, os esportistas demonstraram todo o espírito “brazuca” que trouxeram para a competição, enquanto passeavam pelo local, liderados por Bruninho. De emocionar! Olha só:

 

Continua depois da Publicidade

Besuntado de Tonga

O samba dos brasileiros, no entanto, não foi o único momento divertido da cerimônia! Como prometido, o porta-bandeira da delegação de Tonga, Pia Taufatofua, voltou a aparecer com o corpo completamente besuntado de óleo na abertura dos jogos.

O atleta de taekwondo havia prometido “novidades” para o evento, mas a única diferença de sua aparição nos jogos do Rio 2016 foi, aparentemente, a presença da máscara de proteção – o peitoral lambuzado ficou, como sempre, totalmente de fora (e a gente não tá reclamando não! Kkk).

 

A presença do atleta, é claro, chamou muita atenção na web e rendeu comentários pra lá de hilários nas redes sociais. O apelido de Pia, “Besuntado de Tonga”, foi até parar entre os tópicos mais comentados no Twitter ao longo da cerimônia. Socorro! Kkk Confira as melhores reações:

Continua depois da Publicidade

Continua depois da Publicidade

A parte mais engraçada, no entanto, ficou para mais tarde, quando o porta-bandeira de Vanuatu, Riilio Rii, chegou para “afrontar” o rei da besuntada. Também com o corpo cheio de óleo à mostra, o atleta de remo liderou a delegação de seu país no desfile pouco depois da entrada de Tonga. Confira reações:

Continua depois da Publicidade

Noite emocionante

A linda cerimônia de abertura das Olimpíadas 2020/2021 não foi feita apenas de memes! A noite também reuniu diversos pontos importantes da cultura japonesa, como vestimenta, arquitetura, luzes, artesanato e ainda o teatro. O evento também não deixou de retratar a dificuldade dos atletas na preparação em meio à pandemia e de homenagear as incontáveis vítimas da Covid-19.

No estádio, a atleta japonesa de boxe, Arisa Tsubata, demonstrou o difícil caminho percorrido até as Olimpíadas, correndo em uma esteira. “Isolada, mas não sozinha”, a jovem dividiu o palco com diversas outras pessoas, respeitando um distanciamento social que simbolizou as adversidades na realização dos jogos.

Continua depois da Publicidade

Durante o evento, o coral de crianças japonês Suginami Junior Chorus, acompanhado por artistas como John Legend, Keith Urban, Alejandro Sanz, Angélique Kidjo e comandado pelo maestro Hans Zimmer, fizeram um releitura do hino atemporal “Imagine”, composta pelo beatle John Lennon em 1971.

A canção, além de representar um mundo sem fronteiras e a paz e união entre os povos, também serviu como homenagem à ativista, cantora, compositora, cineasta e artista plástica vanguardista japonesa, e, também esposa do rockeiro, Yoko Ono, responsável pelos textos que inspiraram a composição de Lennon há 50 anos.

Enquanto o telespectadores acompanhavam o momento em casa, 1.824 drones desenharam o planeta Terra acima do estádio olímpico ao som do hino, que representa, até hoje a jornada do ex-beatle pela paz.

 

Por fim, a bandeira olímpica foi apresentada logo após o discurso do imperador japonês Naruhito. Seis atletas representaram os cinco continentes e a delegação dos refugiados que, pela segunda vez, participam dos Jogos. Na sequência, o grupo passou o bastão para profissionais da saúde que lutaram na linha de frente contra a Covid.

Enquanto a bandeira era hasteada, o hino olímpico ecoou na arena e pouco depois, a pira olímpica foi acesa pela incrível tenista Naomi Osaka. A esportista se destacou por ser uma mulher negra que, além de ex-tenista número 1 do mundo, foi a primeira atleta japonesa a conquistar um Grand Slam de tênis. Poderosa mesmo! Confira o momento: