(Foto: Getty/Divulgação/Ferrari)

Vice-presidente da Ferrari fala sobre atual estado de saúde de Michael Schumacher

Informações sobre Michael Schumacher são escassas. Nessa quinta-feira (30), entretanto, Piero Ferrari, filho de Enzo Ferrari, fundador da escuderia italiana, atualizou o público sobre o estado de saúde do ex-piloto, que se recupera de lesões cerebrais provocadas por um acidente de esqui, sofrido em dezembro de 2013, nos Alpes Franceses.

Em entrevista ao jornal italiano La Gazzetta dello Sport, o empresário e vice-presidente da Ferrari lembrou de momentos que viveu junto do alemão, e lamentou que muitas pessoas se refiram ao ídolo no passado. “Tive o prazer de ter o Schumacher como hóspede em casa e de beber uma garrafa de vinho tinto juntos. Ele gostava muito desses momentos de intimidade e tranquilidade. Era uma pessoa simples, clara, precisa, uma personalidade muito linear. Lamento que falemos dele hoje como se estivesse morto. Ele não está morto, mas não consegue se comunicar”, declarou.

Continua depois da Publicidade

Ainda na conversa, Piero se mostrou entusiasmado com o futuro de Mick, filho de Schumacher, que estreou este ano na Fórmula 1. “Ele está entrando em uma equipe que apoiamos. Espero que em 2022 ele receba um veículo com o qual possa mostrar suas habilidades”, comentou. Será que ele vai seguir o legado do pai nas pistas?

Curiosamente, há exatos 15 anos, no dia 1º de outubro de 2006, o heptacampeão mundial conquistava a última de suas 91 vitórias na F1, no GP da China. Relembre o momento:

O grave acidente de Michael Schumacher aconteceu enquanto o alemão esquiava na estação de Meribel, nos Alpes Franceses, no dia 29 de dezembro de 2013. Ele bateu a cabeça em uma pedra e, mesmo usando capacete, acabou entrando em coma. Desde então, a família optou por manter o estado de saúde do ex-piloto em sigilo.

O pouco que se sabe é que, do momento do acidente, até o dia 16 de junho de 2014, Schumacher ficou internado no Hospital de Grenoble, na França. Depois disso, ele foi transferido para continuar o processo de reabilitação em Lausanne, na Suíça, onde permaneceu até 9 de setembro daquele ano. Foi nessa data que o campeão deixou o hospital para receber tratamento em sua casa em Gland, também na Suíça.

A última atualização, até então, sobre o estado de saúde do ex-corredor havia sido feita em setembro de 2019 – ocasião em que, segundo o jornal francês Le Parisien, Schumi foi levado ao Hospital Europeu Georges-Pompidou, em Paris, para ser submetido a transfusões de células-tronco, em busca de conseguir uma ação “anti-inflamatória sistêmica”.

Há quinze dias, foi lançado na Netflix, um documentário que revê a vida e carreira de Michael. A produção mostra um “herói-humano”, mas esconde quaisquer polêmicas. Confira o trailer abaixo: