Fotojet (1)

Amber Heard afirma que ainda ama Johnny Depp, após ser condenada em julgamento movido pelo ex; assista

Em primeira entrevista após o julgamento, atriz falou sobre o veredito e revelou se guarda ressentimentos do ex

Amber Heard se manifestou, após ser condenada por difamação contra o ex-marido, Johnny Depp. Nesta quarta-feira (15), em novo trecho da entrevista para o Today, da NBC, a atriz afirmou que não guarda nenhum tipo de rancor do astro de “Piratas do Caribe” e que, apesar de tudo, ainda o ama.

“Eu não sou uma boa vítima, eu entendo. Não sou uma vítima agradável, não sou uma vítima perfeita. Mas quando testemunhei, pedi ao júri que me visse como humana e ouvisse as palavras diretamente dele”, disse ela.

Mesmo com o julgamento, no qual o ex-casal se acusou de abusos físicos e psicológicos, Heard garantiu que ainda nutre bons sentimentos, enquanto tenta seguir em frente: “Eu o amo. Eu o amava com todo o meu coração. E eu tentei o melhor que pude para fazer um relacionamento profundamente arruinado funcionar. Eu não consegui. Não tenho sentimentos ruins ou rancores em relação a ele. Eu sei que pode ser difícil de entender ou pode ser muito fácil de entender, se você já amou alguém, deve ser mais fácil”.

Continua depois da Publicidade

Esta é a primeira entrevista da atriz após o processo, no qual ela foi condenada a pagar uma indenização de US$ 15 milhões (cerca de R$ 71 milhões) ao ex-marido. Em outro trecho, ela disse que entende a decisão da Justiça norte-americana, mas afirmou que todo o ódio que recebeu e ainda recebe, principalmente vindo dos fãs do ator, era exagerado.

Johnny Depp acusou Amber Heard de difamação, após a atriz relatar ter sido vítima de violência doméstica. (Foto: Getty)

Apenas no TikTok, foram mais de 18,8 bilhões de visualizações na hashtag “Justice For Johnny Depp” – com vídeos que pediam justiça a Depp, e o defendiam, além de outros que criticavam e debochavam de falas de Amber. Enquanto o assunto ganhava a mídia, fãs também debatiam os argumentos para tentar causar algum impacto na decisão judicial.

“Mas mesmo sendo alguém que tem certeza de que eu mereço todo esse ódio, mesmo que você pense que estou mentindo, você não pode me olhar nos olhos e dizer que acha que eu tive uma representação justa nas redes sociais. Você não pode me dizer que acha que isso foi justo”, comentou Heard sobre o processo.

Continua depois da Publicidade

Dois anos após a separação oficial do casal, Johnny Depp acusou Amber de difamação. A história toda teve início em 2018, quando a atriz escreveu um artigo no “The Washington Post” afirmando ser uma sobrevivente de violência doméstica. Ela não citou o nome do artista, contudo, ele entrou com a ação judicial e expôs que o texto trouxe danos para a sua reputação.

Na entrevista, Amber foi questionada se queria “cancelar” Depp com a tal publicação e garantiu que o intuito era completamente diferente: “Claro que não. Não era sobre ele. O editorial não era sobre meu relacionamento com Johnny. Era sobre eu emprestar minha voz para um grupo cultural maior. Era importante para mim não falar sobre ele, ou fazer algo como difamá-lo. Eu tinha equipes de advogados revisando todos os meus rascunhos”.

Amber e Johnny se casaram em 2015 e se separaram 15 meses depois. (Foto: Getty)

Com a sentença favorável ao ex, Amber explicou que sente medo pelo futuro e novas brigas judiciais. “Estou com medo de que não importa o que eu faça, não importa o que eu diga ou como eu diga, cada passo que eu der apresentará outra oportunidade para esse tipo de silenciamento. O que eu acho que é o objetivo de um processo de difamação – é para tirar sua voz”, concluiu. A entrevista completa vai ao ar na sexta, 17 de junho.

Assista: