Amber Heard detalha supostas agressões de Johnny Depp em novas acusações e ator responde: “Novas mentiras”

Mais tristes relatos das brigas desse ex-casal! Nesta quinta-feira (11), o site Page Six divulgou detalhes de novas acusações de Amber Heard à Johnny Depp, em resposta a um processo feito por ele, após ela ter escrito e publicado um artigo sobre ter sobrevivido a violência doméstica. Nas informações divulgadas em documentos, a atriz narra uma série de supostas agressões e abusos enquanto estavam juntos, quando o astro supostamente exagerava em álcool e drogas. No entanto, ainda hoje (12), a defesa do ator rebateu todas as críticas em um comunicado à revista People.

Em seu depoimento, Amber contou que Depp abusava dos entorpecentes e drogas, tanto prescritas, quanto ilegais. E nessas condições, chegou até a ameaçá-la de morte. “Uma pessoa totalmente diferente, às vezes delirante e violento… Nós chamávamos aquela versão de Johnny de ‘o Monstro”, declarou. Posteriormente, a estrela também revelou guardar marcas e cicatrizes de alguns dos incidentes até hoje.

Entre os vários casos mencionados por Heard, um ocorreu durante uma viagem de avião, quando o artista já estava bebendo muito, e sentiu ciúmes dela, por atuar com James Franco no filme “Traumas de Infância”. “Logo, Johnny começou a jogar objetos em mim. Ao invés de reagir ao seu comportamento, eu simplesmente mudei de lugar. Isso não o parou. Provocativamente, ele empurrou o assento em mim enquanto eu andava, gritou comigo e me provocou ao gritar o nome ‘James Franco'”, recordou ela sobre o voo. “Em algum ponto, eu me levantei, e Johnny me chutou nas costas, me fazendo cair. Johnny jogou sua bota em mim enquanto eu estava no chão”, adicionou.

Amber Heard e Johnny Depp em 2015, época em que os relatos de agressões abordam. (Foto: Fred Duval/Getty Images for BFI)

Amber também descreveu uma outra ocasião, em uma viagem para a Austrália em 2015, quando Depp teria cometido alguns ataques por três dias sem parar. “Em um dos momentos mais horríveis e assustadores desse suplício de três dias, Johnny me pegou pelo pescoço e pela clavícula e me bateu contra um balcão. Tive dificuldades para me levantar, visto que ele me estrangulou, mas meus braços e pés continuaram escorregando e deslizando no álcool derramado e foram arrastados contra os cacos de vidro quebrado no balcão e no chão, o que repetidamente os cortou”, mencionou a atriz.

“Assustada pela minha vida, falei para o Johnny, ‘Você está me machucando e me cortando’. Ele me ignorou, continuou a me bater com a parte de trás de uma mão fechada, e batendo forte um telefone de plástico resistente contra uma parede com sua outra mão, até que ele estava quebrado em migalhas. Enquanto estava destruindo o telefone, Johnny machucou severamente seu dedo, cortando o topo dele”, detalhou Amber. Logo depois, ela disse que ele deixou mensagens no espelho no dia seguinte, escritas até mesmo com sangue.

Amber Heard e Johnny Depp, ainda casados, na premiere de ‘Aliança do Crime’, em 2015. (Foto: Getty)

Em resposta às novas alegações da artista, o advogado de Depp refutou o que foi dito por ela, em comunicado publicado pela People. “Um boato confrontado com a realidade da evidência requer novas mentiras para se sustentar. […] O arquivo de ontem, feito por uma mulher com uma prisão e encarceramento em seus antecedentes por abuso doméstico, apresentou as novas mentiras de Amber Heard”, rebateu a defesa.

Para conferir mais detalhes dos relatos, clique aqui.

Relembre o caso:

Amber Heard e Johnny Depp se conheceram nos sets de “The Rum Diary” (que aqui ganhou o título “Diário de um Jornalista Bêbado”), em 2011 e ficaram noivos em janeiro de 2014. O ex-casal chegou a celebrar a união por pelo menos duas vezes: a primeira na mansão do astro em Los Angeles e a segunda na ilha particular de Johnny, a Little Hall’s Pond Cay, nas Bahamas, ambas em fevereiro de 2015. O pedido de divórcio foi apresentado em maio de 2016, quando Amber acusou Depp de tê-la agredido fisicamente.

Ele alega que as acusações de abuso feitas pela ex-esposa são uma farsa elaborada, e quer pelo menos 50 milhões de dólares como compensação financeira. Em 2016, a atriz entrou com um pedido de divórcio acusando seu então marido de tê-la espancado após uma discussão em maio daquele ano. Como argumento, os advogados alegam que, desde então, “a atriz se tornou uma queridinha do Movimento #MeToo”, entre outros feitos ligados a direitos humanos e das mulheres.

Na época, no meio do processo, Amber e Depp assinaram uma ordem de restrição, juntamente com um acordo de confidenciabilidade, que proibia os dois de falarem do assunto publicamente.