Após fã resgatar vídeo de 2014, Calvin Harris revela que sofreu parada cardíaca na época: ‘Me reanimaram no hospital’

Na madrugada dessa quarta-feira (20), Calvin Harris surpreendeu os fãs ao revelar um episódio preocupante de seu passado. Respondendo um fã no Twitter, o DJ contou que sofreu uma parada cardíaca, ainda em 2014, e precisou ser reanimado por uma equipe médica. Meu Deus!

Um seguidor publicou um vídeo antigo do set de Calvin no festival de música Electric Daisy Carnival, escrevendo que “nada se comparava à energia das apresentações do produtor naquela época“. “2014 foi um ano interessante pra mim. Começou comigo desbancando a mim mesmo do topo das paradas britânicas, e terminou com meu coração sendo reanimado numa sala de emergência… Esse tipo de coisa [performances ao vivo] aconteceu no meio termo”, escreveu.

A exposição do ocorrido deixou alguns dos seguidores de Harris aflitos. “Calvin, você não pode simplesmente dizer algo assim e não contar a história completa”, escreveu um usuário, pedindo por mais informações. “Meu Deus, felizmente você sobreviveu, e deu esperança para tantos outros pacientes cardíacos ao redor do mundo”, comentou outro. “Feliz em saber que você está bem e ainda está aqui”, celebrou mais um.

Histórico de saúde do DJ

Essa não é a primeira vez que Calvin fala sobre seus problemas de saúde. Ainda em 2014, o DJ foi diagnosticado com arritmia cardíaca e, como medida preventiva, decidiu abdicar do consumo de bebida alcoólica. Desde então, Harris parou também de cantar nas próprias músicas, deixando os vocais exclusivamente voltados a artistas convidados.

Em entrevista à BBC, na época, o produtor confirmou os motivos para largar do álcool. “Eu parei de beber porque estava me deixando doente. Estava afetando meu cérebro da pior forma”, explicou.

Em 2018, também em uma interação com seguidores no Twitter, o britânico lembrou, com arrependimento, de sua rotina no começo da carreira. “A última coisa que quero fazer é ter que beber duas garrafas de uísque toda noite, viver tomando pastilhas para garganta e dormir, e ficar num ônibus absolutamente fedorento o ano inteiro, para gritar em um microfone por 55 minutos e fingir tocar um teclado 5 vezes por semana. Deixei esses dias pra trás”, avisou.

– (Foto: Reprodução)