Após novos ataques racistas, Ludmilla rebate: “É tentativa de tirar nossa humanidade”; Artistas se manifestam em apoio à cantora — confira!

Na segunda-feira (15), Ludmilla expôs um “dossiê” dos motivos pelos quais se desentendeu com Anitta. Desde então, a artista tem sofrido uma série de ataques racistas. Mas nesta quarta (17), ela soltou o verbo sobre o assunto, rebateu as atitudes criminosas e foi apoiada por diversas artistas.

“Para quem insiste em me atacar desta forma, só tenho uma coisa a dizer: não vou me esconder. Continuarei falando e denunciando, buscando justiça para os culpados”, disse Ludmilla, afirmando que não é a primeira nem última vez que lida com a questão. “Tenho plena consciência do lugar que ocupo e do alcance da minha voz. E, justamente por isso, aprendo cada dia mais e não me calarei, seja sobre o racismo que acontece comigo, seja sobre aquele que vejo no dia a dia com os meus”, continuou a estrela.

Ludmilla rebateu os ataques racistas que sofreu após expor o dossiê de sua briga com Anitta. (Fotos: João Miguel Júnior/Globo)

Ludmilla também cobrou por uma postura antirracista de todos. “Onde estão seus amigos pretos? Com quantos pretos você convive? Como você contribui para mudar esse sistema – porque, sim, o racismo é estrutural. Nosso sistema foi construído em cima dele”, escreveu ela, que ainda falou do apoio “momentâneo” à causa pelas redes sociais. “E não, só postar quando convém não é o que vai mudar de fato nossa sociedade. Se você se cala diante da injustiça, você também está compactuando com ela”, completou.

Continua depois da Publicidade

Lud ainda finalizou: “Para cada ofensa racista, eu encontro pelo caminho pessoas incríveis e que me inspiram nessa nossa luta. E é por isso que eu continuarei usando a minha voz para denunciar, para cobrar justiça, para seguir adiante e de cabeça erguida. Há muito a ser transformado e estou cada dia mais atenta para aprender, cobrar e agir para que todas essas mudanças aconteçam”. Confira o longo desabafo:

View this post on Instagram

Não vai ser a primeira e, infelizmente, nem a última vez que terei que lidar com comentários racistas e respondê-los. E para quem insiste em me atacar desta forma, só tenho uma coisa a dizer: não vou me esconder. Continuarei falando e denunciando, buscando justiça para os culpados. Tenho plena consciência do lugar que ocupo e do alcance da minha voz. E, justamente por isso, aprendo cada dia mais e não me calarei, seja sobre o racismo que acontece comigo seja sobre aquele que vejo dia a dia com os meus. Já ficou bem claro que não basta não ser racista, é preciso ser antirracista. Você ouve nossa música, mas e no dia a dia, onde estão seus amigos pretos? Com quantos pretos você convive? Como você contribui para mudar esse sistema – porque, sim, o racismo é estrutural. Nosso sistema foi construído em cima dele. E não, só postar quando convém não é o que vai mudar de fato nossa sociedade. Se você se cala diante da injustiça, você também está compactuando com ela. Para cada ofensa racista, eu encontro pelo caminho pessoas incríveis e que me inspiram nessa nossa luta. E é por isso que eu continuarei usando a minha voz para denunciar, para cobrar justiça, para seguir adiante e de cabeça erguida. Há muito a ser transformado e estou cada dia mais atenta para aprender, cobrar e agir para que todas essas mudanças aconteçam. – @linocasouza

A post shared by Ludmilla (@ludmilla) on

Em outra postagem em apoio à Ludmilla, a artista voltou a se pronunciar. “O povo preto é potência e resistência. O racismo criminoso é uma tentativa de tirar nossa humanidade. Só que a gente não vai se calar e não vai abaixar a cabeça”, declarou ela. “Além de continuar denunciando, vou continuar fazendo meu trabalho como venho fazendo. Porque, aceitem, vai ter preta em posição de destaque, sim!”, concluiu. Olha só:

Ludmilla reforçou que não pretende calar sua voz, não importa o que aconteça. (Foto: Reprodução/Instagram)

Apoio de artistas

Várias artistas pretas manifestaram sua solidariedade à Ludmilla, após os ataques racistas. Foi o caso de Alcione. “Ludmila merece todo respeito não só pela cantora talentosa que é, mas por ser uma mulher que luta, vence e vencerá sempre. Vamos parar com a palhaçada, mexeu com ela mexeu com outra mulher preta: eu”, escreveu a Marrom. Em seu desabafo anterior, Ludmilla também havia afirmado que era chamada de “projetinho de Alcione” por Anitta. Dá uma olhada na fala de Alcione:

Alcione também manifestou seu apoio à Ludmilla, em meio aos ataques racistas. (Foto: Reprodução/Instagram)

Continua depois da Publicidade

Iza aproveitou o momento para fazer uma referência aos posts que bombaram nas redes sociais, após a morte de George Floyd e crescentes manifestações do movimento “Black Lives Matter” (Vidas Pretas Importam). “Lembram daquele quadrado preto? Não era enfeite. Era sobre a importância de se posicionar e falar sobre isso: combater o racismo”, disse a voz de “Dona de Mim”, repostando o texto de Ludmilla.

View this post on Instagram

Lembram daquele quadrado preto? Não era enfeite. Era sobre a importância de se posicionar e falar sobre isso: combater o racismo. ✊🏾 . #Repost @ludmilla • Não vai ser a primeira e, infelizmente, nem a última vez que terei que lidar com comentários racistas e respondê-los. E para quem insiste em me atacar desta forma, só tenho uma coisa a dizer: não vou me esconder. Continuarei falando e denunciando, buscando justiça para os culpados. Tenho plena consciência do lugar que ocupo e do alcance da minha voz. E, justamente por isso, aprendo cada dia mais e não me calarei, seja sobre o racismo que acontece comigo seja sobre aquele que vejo dia a dia com os meus. Já ficou bem claro que não basta não ser racista, é preciso ser antirracista. Você ouve nossa música, mas e no dia a dia, onde estão seus amigos pretos? Com quantos pretos você convive? Como você contribui para mudar esse sistema – porque, sim, o racismo é estrutural. Nosso sistema foi construído em cima dele. E não, só postar quando convém não é o que vai mudar de fato nossa sociedade. Se você se cala diante da injustiça, você também está compactuando com ela. Para cada ofensa racista, eu encontro pelo caminho pessoas incríveis e que me inspiram nessa nossa luta. E é por isso que eu continuarei usando a minha voz para denunciar, para cobrar justiça, para seguir adiante e de cabeça erguida. Há muito a ser transformado e estou cada dia mais atenta para aprender, cobrar e agir para que todas essas mudanças aconteçam. – @linocasouza

A post shared by IZA (@iza) on

Preta Gil, por sua vez, publicou um desabafo de Tia Má. “Não importa quem tem a razão nesta treta! Mas na briga entre duas grandes artistas brasileiras, o RACISMO é o grande protagonista! Antes de ser cantora, de ser uma compositora, Ludmilla é uma MULHER PRETA e quando ela sofre ataques racistas, todas nós sofremos também! Vidas negras importam?! Essa frase se popularizou aqui no Brasil, mas percebemos que é apenas uma frase de efeito, não se tem prática”, afirmou a jornalista.

Continua depois da Publicidade

“A animalização dos nossos corpos resulta em nossas mortes e não vamos aceitar! O racismo mata e enlouquece , e permitir isso é ser conivente com um crime perverso e brutal que nos aniquila! Tenha a sua opinião, mas não aceite a opressão!”, declarou Tia Má sobre o assunto, expondo uma série de falas racistas e homofóbicas voltadas à Ludmilla.

View this post on Instagram

Obrigada por esse post #Repost @tiamaoficial ・・・ Não importa quem tem a razão nesta treta! Mas na briga entre duas grandes artistas brasileiras, o RACISMO é o grande protagonista! Antes de ser cantora, de ser uma compositora, Ludmilla @ludmilla é uma MULHER PRETA e quando ela sofre ataques racistas, todas nós sofremos também! Vidas negras importam?!? Essa frase se popularizou aqui no Brasil, mas percebemos que é apenas uma frase de efeito, não se tem prática. É possível se posicionar sem atacar. A tentativa constante de tentar depreciar Ludmilla a partir da sua condição racial é o retrato do racismo no Brasil. Ninguém se reconhece racista, mas se sente confortável em atacar uma mulher preta chamando de MACACA, reforçando a ideia escravocrata e perversa de que pessoas pretas são animais. É preciso entender que esses ataques não são apenas contra uma artista, mas a todo coletivo de mulheres pretas do Brasil. A animalização dos nossos corpos resulta em nossas mortes e não vamos aceitar! O racismo mata e enlouquece , e permitir isso é ser conivente com um crime perverso e brutal que nos aniquila! Tenha a sua opinião, mas não aceite a opressão!✊🏾 #ludmilla #vidasnegrasimportam #racismo #mulherpreta #potenciasnegras #treta #ancestralidade #raizes #povopreto #povonegro #cantoras #povodeluta #somostodosludmilla

A post shared by Preta Gil 🎤 (@pretagil) on

Brunna Gonçalves, esposa de Ludmilla, também se posicionou. “Só de sermos mulheres, já somos excluídas e descriminadas. Imagina sendo uma mulher, PRETA e GAY? Fiz questão de escrever estas palavras em caixa alta para vocês perceberem que não há vergonha alguma nisso. Eu tenho muito orgulho dessa mulher preta, a minha mulher!”, deixou claro a dançarina.

Continua depois da Publicidade

“Vocês não imaginam a força, a garra e determinação que ela tem! E o quanto como mulher preta ela inspira não somente aos fãs, mas a nossa família também! Aprendam de uma vez por todas que cor da pele não define caráter de ninguém, mas que atitudes racistas mostram bem a falta de caráter de alguns. RACISMO AQUI, NÃO! Ludmilla, você é vida!”, completou Brunna. Olha só:

View this post on Instagram

Só de sermos mulheres, já somos excluídas e descriminadas. Imagina sendo uma mulher, PRETA e GAY? Fiz questão de escrever estas palavras em caixa alta para vocês perceberem que não há vergonha alguma nisso. Eu tenho muito orgulho dessa mulher preta, a minha mulher! Que hoje está mais uma vez sofrendo inúmeros ataques racistas aqui na internet por pessoas sem caráter. Vocês não imaginam a força, a garra e determinação que ela tem! E o quanto como mulher preta ela inspira não somente aos fãs, mas a nossa família também! Aprendam de uma vez por todas que cor da pele não define caráter de ninguém, mas que atitudes racistas mostram bem a falta de caráter de alguns. RACISMO AQUI, NÃO! @ludmilla você é vida!🖤✊🏽

A post shared by BRUNNA GONÇALVES OLIVEIRA (@brunnagoncalves) on

Anitta se manifesta

Mais cedo, a própria Anitta havia criticado os ataques racistas à Ludmilla, dizendo não ter conhecimento dos supostos fã-clubes envolvidos. “Criminosos covardes que se dizem meus fãs estão propagando mensagens de racismo e injuria racial nas redes sociais. Já disse e repito – isso é abominável e inadmissível! Minha equipe já está apurando tais perfis… Mas não me calarei ou me acomodarei frente a esses absurdos que tenho lido e que estão chegando até mim”, falou a artista, que afirmou ter acionado advogados para atuarem no caso.

Relembre o caso

Poucas horas após ter divulgado um dossiê sobre seu desentendimento com Anitta, com vídeo de conversas antigas, áudios e prints, Ludmilla foi vítima de um ataque racista na web. O comentário veio em resposta a uma publicação feita pela voz de “Verdinha”, questionando se deveria realmente expôr a ex-colega de trabalho ao público.

Continua depois da Publicidade

“Tem uma neguinha que precisa ir pro tronco [levar] uma bela chicotada”, escreveu um usuário, acrescentando em seu texto emojis de bananas e biscoitos. Não demorou muito para que Lud repudiasse a fala do perfil, que logo em seguida foi excluído da plataforma. “Vou enfiar o chicote no teu c*, racista”, disparou a cantora. Mesmo que deletada, alguns seguidores conseguiram capturar registros da mensagem. Confira:

Segundo Ludmilla, desde a briga por conta da composição de “Onda Diferente”, ela recebe ataques frequentes dos fãs de Anitta, que participaria de um grupo de mensagens com os presidentes de seus fã-clubes.“Eu tenho os fãs dela em todas as minhas postagens, em tudo que é propaganda que eu vou fazer, sempre querendo me diminuir, me desmerecer, com tudo que vocês possam imaginar. E se ela controla eles por que ela não manda eles pararem?”, questionou Lud, expondo uma série de prints com comentários racistas e homofóbicos.

Após sua briga com Anitta, Ludmilla vem sofrendo diversos ataques racistas e homofóbicos pelas redes sociais. (Foto: Divulgação)

Na segunda-feira (15), a dona do hit “Verdinha” fez um vídeo repleto de conversas antigas, áudios e prints, expondo os bastidores de sua discussão com Anitta. Vem saber todos os detalhes e conferir o vídeo, clicando aqui.