Após susto, Scarlett Johannsson critica atuação de paparazzi e relembra morte de princesa Diana: “Perseguidores criminosos”

Tenso! Prestes a estrear o aguardado filme “Vingadores: Ultimato”, Scarlet Johansson passou por um susto que a tirou do sério, e com razão! Segundo o site da revista People, a intérprete da Viúva Negra estava saindo da gravação do programa “Jimmy Kimmel Live!” nesta segunda-feira (8), em Los Angeles, quando foi perseguida por cinco carros que tinham os vidros escurecidos e luzes vermelhas acesas, indicando que todos se tratavam de paparazzi em busca de um clique da celebridade. É pra deixar qualquer um com o coração na mão mesmo!

Scarlet não estava dirigindo o veículo, mas tanto ela quanto os outros três ocupantes sentiram que suas vidas estavam correndo risco eminente, segundo a nota divulgada pela polícia para o site The Hollywood Reporter. Em depoimento enviado à revista People, a atriz relembrou a morte da princesa Diana ao criticar duramente a atuação dos paparazzi. “Mesmo após a morte trágica da princesa Diana, as leis nunca foram alteradas para proteger os alvos dos paparazzi sem lei. Muitos paparazzi têm antecedentes criminais e realizam atos criminosos para conseguirem suas fotos“, disse.

Scarlett Johansson. Foto: Getty

Após o incidente, Scarlett foi até um departamento de polícia de Hollywood e registrou o boletim de ocorrência, mas nenhuma atitude foi tomada em relação à situação. “Os paparazzi colocam a vida das pessoas em risco. Então eles poderiam esperar por dias em bairros tranquilos e carros disfarçados e tentar me seguir até um parquinho e fotografar meu filho e os filhos de outras pessoas em um lugar seguro que deve estar fora dos limites, mas não!”, indignou-se a artista que é mãe de Rose Dorothy, de 5 anos de idade, filha também do jornalista francês Romain Dauriac.

Engajada com movimentos militantes, Johannsson ainda convocou outras mulheres e celebridades para que se mobilizem para denunciar à polícia casos semelhantes: “Tudo isso [a perseguição] é perfeitamente legal. Depois do incidente de ontem, senti que era meu dever como uma cidadã preocupada que estava sendo perseguida perigosamente e perseguida para ir ao distrito local e buscar orientação lá. Eu encorajaria que outros em situação semelhante fossem à polícia“.

Princesa Diana. Foto: Getty

Para finalizar, ela invocou novamente a memória afetiva da sociedade para relembrar a morte de princesa Diana em um acidente de carro, no ano de 1996, enquanto ela fugia de fotógrafos na cidade de Paris. “Até que os paparazzi sejam considerados pela lei como os perseguidores criminosos que são, é apenas um jogo de espera antes que outra pessoa seja gravemente ferida ou morta, como a princesa Diana. As mulheres nos EUA são perseguidas, assediadas e amedrontadas, e uma lei universal para abordar a perseguição deve estar na vanguarda das conversas sobre a aplicação da lei“, analisou. Tomara que ela se recupere logo e que outras pessoas não precisem passar por isso também.