A$AP Rocky é declarado ‘culpado’ por caso de agressão na Suécia, mas não terá de cumprir mais tempo na prisão; entenda o porquê

Finalmente, temos uma decisão final do caso de A$AP Rocky. Ainda no mês passado, o rapper havia sido preso na Suécia, após se envolver em um conflito com alguns moradores locais. O assunto ganhou uma proporção enorme, chamando a atenção de diversas personalidades, como Kim Kardashian e até mesmo o presidente norte-americano, Donald Trump.

Segundo a CNN, A$AP foi considerado culpado de agressão pelo tribunal sueco nessa quarta-feira (14 de agosto). Entretanto, o artista, que estava atrás das grades em Estocolmo, até o início desse mês, não precisará cumprir mais pena de prisão.

A fonte ainda revelou que o tribunal rejeitou a alegação de autodefesa do artista. “Os réus alegaram que agiram em legítima defesa. Com base nas declarações de duas testemunhas, o tribunal conclui que os réus não estavam sujeitos a um ataque criminoso atual ou iminente. Portanto, eles não estavam em uma situação em que tinham o direito de usar a violência em legítima defesa. Nem podiam ter percebido que estavam em tal situação”, afirmaram os oficiais.

A$AP Rocky. (Foto: Christopher Jue/Getty Images)

Daniel Suneson, promotor público sueco, argumentou durante o julgamento que A$AP e os outros dois rapazes de sua comitiva – David Rispers e Bladimir Corniel – agrediram a vítima de 19 anos, Mustafa Jafari, chutando e espancando-o com uma garrafa de vidro enquanto o jovem estava deitado no chão.

A determinação de uma sentença condicional significa que A$AP Rocky estará sujeito a um período probatório de dois anos. O tribunal concedeu uma indenização à vítima “por violação da sua integridade e dor e sofrimento“. Os réus também foram intimados a pagar as despesas legais ao Estado.

Conhecido por sua música “Praise The Lord”, o astro de 30 anos, cujo nome verdadeiro é Rakim Mayers, foi libertado pelas autoridades do país e não precisou comparecer ao julgamento de hoje (14). Ao explicar a decisão de não o submeter a mais dias de prisão, a corte alegou que o crime não era “de uma natureza tão séria“.

Relembre o caso:

A$AP Rocky foi detido na Suécia no dia 3 de julho depois de um show, juntamente com outras três pessoas de sua equipe. O rapper foi preso no país após uma briga de rua e estava desde então, em uma cadeia com “condições desumanas”, segundo o TMZ.

Fontes com conhecimento direto sobre a situação de A$AP contaram ao site que ele estava dormindo em um tapete de yoga sem cobertores; que a água para beber no local não é potável e que a comida “miserável” não seria própria para o consumo. Pelos primeiros 5 dias, o rapper teria se alimentado com apenas uma maçã durante o dia inteiro.

Os insiders ainda revelaram que a prisão era imunda, com instalações pequenas demais para seres humanos e condições com grandes chances de levar a doenças. Aparentemente, o prisioneiro na cela ao lado de Rocky tinha vários problemas mentais e batia sua cabeça contra a parede de concreto todos os dias. Ele também arremessava suas fezes para todos os lados… E ninguém se preocupou em limpá-las.

O rapper, acusado de agressão agravada decorrente de uma briga de rua, divulgou um vídeo em sua defesa, que mostra a suposta vítima o assediando e, até mesmo, atacando fisicamente ele e sua equipe antes do incidente. “Nós não queremos brigar, cara. Nós não queremos ir pra cadeia”, o músico diz na gravação. Assista:

Pelo Instagram, A$AP escreveu: “Então, alguns viciados em drogas não são meus fãs. Nós não conhecemos esses caras e não queríamos problemas. Eles nos seguiram por 4 quarteirões e estava batendo na bunda de garotas que passavam. Me deem um tempo.”

 

De acordo com o TMZ, há um tratado, assinado pela Suécia e pelos Estados Unidos, que não estaria sendo respeitado. Segundo o acordo, quando um estrangeiro é preso, ele tem o direito de imediatamente ver um oficial do consulado de seu país. Entretanto, quando o oficial norte-americano chegou ao centro de detenção de A$AP, lhe foi negado acesso, justamente por conta das condições ali dentro.

Apenas dois dias depois, com muita insistência da equipe do rapper, o oficial do consulado pôde vê-lo, mas apenas na presença de dois guardas suecos. Eles não puderam conversar em privado e acreditam que aquela foi uma “tática clara de intimidação”.

Pela internet, diversos artistas comentaram o caso, mostrando apoio à A$AP. Até mesmo o presidente Trump se pronunciou em seu Twitter, após ser contatado por Kanye West e Kim Kardashian: “Acabei de ter uma boa conversa com Stefan Löfven que me assegurou de que o cidadão americano A$AP Rocky será tratado de forma justa. Da mesma maneira, assegurei que A$AP não era um risco e oferecei pagar pessoalmente pela sua fiança”.

A empresária e aspirante a advogada foi responsável por atualizar o genro do presidente, Jared Kushner, sobre o caso, e agradeceu aos esforços de todos que estavam ajudando no processo. “Muito obrigada @realDonaldTrump, @SecPompeo, Jared Kushner e todos os envolvidos nos esforços para libertar A$AP Rocky e seus dois amigos. O seu compromisso com a reforma da justiça é muito apreciado”, elogiou Kim.

Tyler, The Creator também mostrou solidariedade ao amigo: “Sem mais Suécia para mim, nunca”, ele escreveu.

Por fim, Shawn Mendes, que trabalhou em uma campanha publicitária recentemente com A$AP, postou: “Fique ao lado de A$AP Rocky. Apoie os direitos humanos”, seguido do link de uma petição à favor do rapper.

A$AP foi oficialmente acusado de agressão e violência só no último dia 25 de julho, por conta do envolvimento na briga de rua em Estocolmo.