Após caso de racismo, Lea Michele é acusada de transfobia por modelo: “É uma pessoa muito desagradável”

Após Lea Michele ter sido acusada de racismo, outra denúncia envolvendo o nome da estrela de “Glee” veio à tona nesta quinta-feira (04). A modelo e atriz trans Plastic Martyr usou suas redes sociais para expor um caso de transfobia que teria acontecido com ela durante uma premiação há alguns anos.

Segundo a modelo, Lea teria reagido mal a sua presença num banheiro feminino. “Ela é uma pessoa muito desagradável. Anos atrás nós estávamos no Emmy e ela estava lá. Eu ainda estava no processo de transição e não era 100% ‘reconhecida [como mulher]‘ na época. Eu estava no banheiro, comecei a lavar as minhas mãos e pedi licença pra ela pra alcançar o sabonete. E ela disse: ‘Licença? Licença você! Você percebe que está no banheiro feminino?'”, relatou Martyr.

A modelo trans Plastic Martyr disse que Lea Michele teria sido transfóbica ao encontrá-la num banheiro feminino. (Foto: Getty)

“Eu me lembro de ir de me sentir linda naquele dia a sair daquele banheiro me sentindo consciente do meu corpo e envergonhada”, completou a atriz, nas redes sociais. “Isso não é pra enviar ódio ou cancelar a carreira de alguém. Mas para abrir os olhos das pessoas à transfobia que existe e ninguém comenta”, escreveu na legenda. Confira:

Em seu desabafo, Plastic continuou: “Pessoas trans não são inimigos, e nós não somos a parte engraçada das suas piadas. Já que o resto do mundo tenta nos silenciar, é nosso trabalho usar nossas vozes e compartilhar nossas histórias e experiências”. A atriz também pediu por respeito à comunidade. “Com sorte, algum dia em breve as pessoas começarão a entender e respeitar as pessoas trans, ao invés de nos tornar vilões ou zombar de nós”, finalizou. Até então, Lea não se posicionou sobre o caso.

Acusações de racismo

Nesta semana, Lea foi alvo de muitas críticas e acusações de racismo, após ter suas atitudes nos bastidores de “Glee” expostas pela ex-colega de elenco Samantha Marie Ware, que interpretou a Jane Hayward na sexta e última temporada da série.

Samantha Ware, em Glee, e Lea Michele (Foto: Divulgação/Getty)

Em resposta a um tuíte de Michele em apoio ao movimento “Black Lives Matter” e ao caso de George Floyd, Samantha afirmou que a protagonista havia transformado a produção em um ‘verdadeiro inferno’ para ela, e relatou um caso específico em que a estrela da série teria associado seu cabelo — black power — a uma peruca, indicando racismo em sua ação. Samantha seguiu, declarando que o caso a traumatizou e até a fez repensar sua carreira.

“Rindo muito. Lembra quando você fez do meu primeiro trabalho na televisão um verdadeiro inferno?!?! Porque eu nunca vou esquecer. Eu acredito que você tenha dito a todos que, se tivesse a oportunidade, ‘cag*ria na minha peruca’, entre outras microagressões traumáticas que me fizeram questionar minha carreira em Hollywood”, afirmou Marie Ware.

Pronunciamento e pedido de desculpas

Lea fez um pronunciamento após o caso, no qual afirmou que aprendeu muito nas últimas semanas e se desculpou pelos acontecimentos passados. “Uma das lições mais importantes das últimas semanas é que nós precisamos tirar um tempo para ouvir e aprender sobre as perspectivas de outras pessoas e qualquer papel que nós tenhamos interpretado ou qualquer coisa que podemos fazer para ajudar a visar as injustiças que enfrentamos”, iniciou a estrela.

Após as acusações de Samantha, Lea Michele se posicionou e pediu desculpas. (Foto: Getty)

Na sequência, a atriz queridinha de Ryan Murphy ressaltou que não se lembrava da frase de que “cag*ria na peruca” de Samantha, afirmou que nunca teve intenções racistas e ponderou os motivos que a levaram a ser vista de forma tão negativa pelos colegas de elenco. “Apesar de eu não me lembrar de ter feito essa declaração específica e nunca ter julgado outros por suas origens ou cor da sua pele, esse não é realmente o ponto”, refletiu.

“O que importa é que eu claramente agi de formas que machucaram outras pessoas. Seja minha posição e perspectiva privilegiadas que causaram com que eu fosse vista como insensível ou inapropriada por vezes, ou seja minha imaturidade, ou eu apenas sendo desnecessariamente difícil, eu me desculpo pelo meu comportamento ou qualquer dor que eu tenha causado”, acrescentou. Por fim, ela repetiu seu pedido de desculpas. Confira o post:

Nesta quinta-feira (04), Amber Riley quebrou o silêncio e falou pela ‘primeira e última vez’ sobre as acusações de racismo a Michele. Além dela, outras estrelas de “Glee”, como Heather Morris e Alex Newell também se pronunciaram sobre o caso. Naya Rivera e Melissa Benoist não se manifestaram diretamente, mas também demonstraram que tinham conhecimento sobre o comportamento da protagonista nos bastidores da série.