Após intervenção de Kim Kardashian e Donald Trump, A$AP Rocky é oficialmente acusado por agressão na Suécia; entenda o que deve acontecer com o rapper

Rakim Mayers, mais conhecido pelo nome artístico de A$AP Rocky, vem enfrentando uma situação muito complicada na Suécia, desde o início de julho.

O rapper, que está sendo mantido em custódia pela polícia local, foi oficialmente acusado de agressão e violência após envolvimento em uma briga em Estocolmo. De acordo com a Agência France Presse (AFP), dois membros da equipe de A$AP envolvidos na situação também serão julgados em data ainda não definida.

Responsável pelo caso, o procurador Daniel Suneson afirmou que um crime foi sim cometido, apesar das alegações do rapper de legítima defesa. “O inquérito se fez possível ao estudar os vídeos… Não mudou em nada ter acesso a muitos outros materiais além dos que já estavam disponíveis na internet”, alegou.

Daniel argumentou também que, além das evidências em vídeo, as declarações da vítima foram confirmadas por testemunhas locais. De acordo com o site TMZ, o procurador afirmou que não deve indicar uma sentença de 2 anos completos ao rapper, caso seja culpado. “Minha sentença vai ser definida com o andar do julgamento”, declarou, recomendando que o processo tenha início na próxima terça. Segundo a fonte da publicação, a bancada será composta por 4 juízes, dos quais 3 terão poder de decisão sobre o caso.

Na internet, diversos artistas têm comentado o caso, mostrando apoio à A$AP. Até o atual presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, se pronunciou em seu Twitter, após ser contatado por Kanye West e Kim Kardashian: “Acabei de ter uma boa conversa com Stefan Löfven que me assegurou de que o cidadão americano A$AP Rocky será tratado de forma justa. Da mesma maneira, assegurei que A$AP não era um risco e oferecei pagar pessoalmente pela sua fiança”.

A empresária e aspirante a advogada responsável por atualizar o genro do presidente, Jared Kushner, sobre o caso, agradeceu aos esforços de todos que estão ajudando no processo. “Muito obrigada @realDonaldTrump, @SecPompeo, Jared Kushner e todos os envolvidos nos esforços para libertar A$AP Rocky e seus dois amigos. O seu compromisso com a reforma da justiça é muito apreciado”, elogiou Kim.

Tyler, The Creator também mostrou solidariedade ao amigo: “Sem mais Suécia para mim, nunca”, ele escreveu.

Por fim, Shawn Mendes, que trabalhou em uma campanha publicitária recentemente com A$AP, postou: “Fique ao lado de A$AP Rocky. Apoie os direitos humanos”, seguido do link de uma petição à favor do rapper.

Relembre o caso:

A$AP Rocky foi detido na Suécia no dia 3 de julho depois de um show, juntamente com outras três pessoas de sua equipe. O rapper foi preso no país após uma briga de rua e está desde então, em uma cadeia com “condições desumanas”, segundo o TMZ.

Fontes com conhecimento direto sobre a situação de A$AP contaram ao site que ele está dormindo em um tapete de yoga sem cobertores; que a água para beber no local não é potável e que a comida “miserável” não seria própria para o consumo. Pelos primeiros 5 dias, o rapper teria se alimentado com apenas uma maçã durante o dia inteiro.

Os insiders ainda revelaram que a prisão é imunda, com instalações pequenas demais para seres humanos e condições com grandes chances de levar a doenças. Aparentemente, o prisioneiro na cela ao lado de Rocky tem vários problemas mentais e bate sua cabeça contra a parede de concreto todos os dias. Ele também arremessa suas fezes para todos os lados… E ninguém se preocupa em limpá-las.

O rapper, agora acusado de agressão agravada decorrente de uma briga de rua, divulgou um vídeo em sua defesa, que mostra a suposta vítima o assediando e, até mesmo, atacando fisicamente ele e sua equipe antes do incidente. “Nós não queremos brigar, cara. Nós não queremos ir pra cadeia”, o músico diz na gravação. Assista:

Pelo Instagram, A$AP escreveu: “Então, alguns viciados em drogas não são meus fãs. Nós não conhecemos esses caras e não queríamos problemas. Eles nos seguiram por 4 quarteirões e estava batendo na bunda de garotas que passavam. Me deem um tempo.”

De acordo com o TMZ, há um tratado, assinado pela Suécia e pelos Estados Unidos, que não estaria sendo respeitado. Segundo o acordo, quando um estrangeiro é preso, ele tem o direito de imediatamente ver um oficial do consulado de seu país. Entretanto, quando o oficial norte-americano chegou ao centro de detenção de A$AP, lhe foi negado acesso, justamente por conta das condições ali dentro.

Apenas dois dias depois, com muita insistência da equipe do rapper, o oficial do consulado pôde vê-lo, mas apenas na presença de dois guardas suecos. Eles não puderam conversar em privado e acreditam que aquela foi uma “tática clara de intimidação”.

Tenso, né? O que será que vai ser definido em tribunal? Vamos aguardar novos capítulos dessa história…