Noooth

Chris Noth: Quinta mulher acusa ator de abuso sexual, e revela ameaças: “Disse que arruinaria minha carreira”

Cantora e compositora Lisa Gentile deu detalhes sobre os abusos que teriam acontecido em 2002, e pediu apoio das atrizes de “Sex And The City”

Nesta quinta-feira (23), a cantora e compositora Lisa Gentile disse ser mais uma vítima dos abusos sexuais supostamente cometidos pelo ator Chris Noth. Ao lado da advogada Gloria Allred, a artista convocou uma coletiva de imprensa e deu detalhes dos assédios ocorridos no ano de 2002. Gentile é a quinta mulher que veio a público neste mês com acusações contra o intérprete de Mr. Big na série “Sex And The City”.

De acordo com os relatos divulgados pela Variety, a cantora afirmou que Noth a puxou, beijou e tocou seus seios à força. “Eu tentei fazer com que ele parasse”, lamentou em um trecho da entrevista. Gentile afirmou que no dia seguinte ao abuso, Chris a procurou e fez ameaças. “Ele disse que se alguma vez eu contasse a alguém sobre o que aconteceu na noite anterior, que ele arruinaria minha carreira, eu nunca cantaria novamente e ele me colocaria na lista proibida”, disse.

A artista revelou que conheceu Noth em 1998 no restaurante Da Marino de Nova Iorque, onde o ator era frequentador assíduo e ela era amiga do proprietário. Eventualmente, os dois se tornaram conhecidos e conversavam sobre música e show business. Durante uma noite no início de 2002, Chris ofereceu-lhe uma carona do restaurante para casa, e ela aceitou, já que os dois eram amigos. Ela disse que o ator perguntou se poderia subir apenas para ver onde ela morava.

Continua depois da Publicidade

“Ele começou a me beijar quase que imediatamente. Então se encostou na bancada da cozinha e me puxou com força contra ele, estava babando em cima de mim. Eu rapidamente fiquei desconfortável”, desabafou. Com a resistência, Gentile disse que o ator ficou “mais agressivo” e começou a apertar seus seios. “Continuei empurrando suas mãos para baixo enquanto ele empurrava as minhas para cima. Eu estava tentando fazer ele parar. Ele então forçou minhas mãos a puxar para cima sua camisa expondo sua barriga e então empurrou ainda mais forte minhas mãos para baixo em direção ao seu pênis. Eu finalmente consegui empurrá-lo para longe e sair de seu alcance e gritei: ‘Não, eu não quero isso’“, detalhou.

Gettyimages 1357974602
Chris Noth estreou recentemente “And Just Like That”, continuação de “Sex And The City”. Foto: Getty

A cantora recordou que depois disso, Chris Noth saiu do apartamento furioso e a xingando de “provocadora” e “vadia”. Por conta do tempo em que o crime teria acontecido, quase 20 anos atrás, a Justiça norte-americana já não abre um processo para investigar. No entanto, Lisa Gentile e sua advogada acreditam que é hora da lei ser alterada, justamente para dar voz às vítimas de abuso sexual. “Eu acredito que devemos ter nosso dia no tribunal para responsabilizar o Sr. Noth pelo que ele fez”, declarou a artista.

Gentile e Allred também convocaram as atrizes Sarah Jessica Parker, Cynthia Nixon e Kristin Davis, que recentemente apoiaram as vítimas que acusaram Noth, para que elas se unissem nesta luta. “Lisa e eu agradecemos suas palavras de apoio, e agora convocamos Sarah, Cynthia e Kristin a agirem, a falarem em apoio ao ato de sobreviventes adultos. Seu endosso deste ato seria importante”, justificou a advogada.

Continua depois da Publicidade

Ainda nesta quinta-feira, Chris Noth foi “emboscado” por paparazzi do PageSix em Nova Iorque, e foi questionado a respeito das novas acusações. O ator respondeu brevemente: “Você tem a minha [primeira] declaração, certo? Minha declaração já foi divulgada, eu encerro com a minha declaração. Agora vou deixar as fichas caírem onde puderem. Minha declaração é meu posicionamento, isso é tudo que posso dar”. 

Entenda o caso

Poucos dias após a estreia de “And Just Like That“, duas mulheres vieram a público acusar o astro de “Sex and the City” de tê-las estuprado em episódios distintos, nos anos de 2004 e 2015, em Los Angeles e na cidade de Nova York, respectivamente. Zoe e Lily (nomes fictícios) relataram suas histórias ao The Hollywood Reporter separadamente, em meses diferentes, e supostamente não se conheciam.

De acordo com elas, a divulgação do revival da série dos anos 1990 foi o gatilho que disparou as memórias difíceis do que elas teriam vivido. Zoe teria sido estuprada por Chris em seu apartamento em West Hollywood, na Califórnia, quando aceitou um convite dele para curtir a piscina do local. Na época, ela tinha apenas 22 anos e ele, 49. Lily, por sua vez, conheceu Noth quando trabalhava na área VIP de uma boate em Nova York. Ela deu seu número ao ator e, eventualmente, os dois se encontraram para beber. A jovem o acompanhou até o apartamento do astro, local em que Noth teria a obrigado a fazer sexo oral nele.

Law Order 1014x570
Chris Noth foi acusado de ter conduta inapropriada nos bastidores da série “Law and Order”. Foto: Reprodução

Além delas, a diretora e atriz Zoe Lister-Jones, de “Law & Order”, também expôs situações desconfortáveis que viveu com o ator. Em uma publicação no Instagram, no dia 16 de dezembro, ela relembrou momentos em que testemunhou comportamentos inapropriados de Chris, particularmente quando contracenou com ele no drama policial. “Ele (Noth) estava bêbado nas gravações. Durante a cena em que me interrogava, estava com uma lata de 650ml de cerveja escondida embaixo da mesa, e bebia entre os takes. Durante as filmagens, ele chegou bem perto de mim por trás, cheirou o meu pescoço e sussurrou: ‘Você cheira bem’. Eu não disse nada”, desabafou.

Continua depois da Publicidade

Chris Noth negou todas as acusações anteriores. Em resposta às mulheres que alegaram estupro e agressão no The Hollywood Reporter, o ator disse que os casos foram consensuais. Em resposta à mulher que anonimamente se apresentou ao The Daily Beast, um representante do Noth disse que a história era “uma invenção completa” e que “Chris não tem conhecimento de quem é esse indivíduo”.

“As acusações contra mim feitas por indivíduos que conheci anos, até décadas atrás, são categoricamente falsas”, disse o artista depois que a primeira denúncia foi publicada. “Essas histórias poderiam ter sido de 30 anos atrás ou 30 dias atrás – ‘não’ sempre significa ‘não’ – essa é uma linha que eu não cruzei. Os encontros foram consensuais. É difícil não questionar o momento em que essas histórias foram lançadas. Não sei ao certo por que elas estão surgindo agora, mas eu sei disso: eu não ataquei essas mulheres”.