Famosos

Denúncia de ‘pacto de suicídio’ de R. Kelly com namoradas preocupa polícia, que toma atitude e se manifesta; saiba detalhes

Raquel Rodrigues - Publicado em 13/03/2019 às 10:09
Compartilhe: Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Pinterest Compartilhar no Whatsapp Compartilhar no E-mail

Na noite desta terça-feira (12), a polícia de Chicago fez uma batida no apartamento de R. Kelly na Trump Tower com medo de que suas namoradas estivessem tentando realizar um “pacto de suicídio”. No entanto, era um alarme falso. De acordo com informações da revista People, os policiais receberam uma ligação anônima em que podia ser ouvido que Azriel Clary, Joycelyn Savage e outras três mulheres estavam planejando tirar suas vidas. O pacto teria sido feito para impedir que o cantor fosse preso pelas acusações de estupro e abuso contra várias mulheres, incluindo menores de idade.

Os assessores do Departamento de Polícia de Chicago confirmaram à revista que estiveram na propriedade do cantor. “A polícia recebeu uma ligação de um interlocutor anônimo do estado dizendo que as pessoas no local iam realizar um pacto de suicídio. Então, a polícia entrou em cena conduzindo uma verificação de bem-estar”, disse o comunicado. Quando o advogado de R. Kelly, Steve Greenberg, foi questionado pela publicação sobre o episódio, ele comentou: “É ofensivo que alguém dê credibilidade a isso“.

As namoradas de R.Kelly: Azriel Clary e Joycelyn Savage. (Foto: Getty)

Antes do lançamento do documentário “Surviving R. Kelly”, em janeiro, uma das primeiras supostas vítimas do cantor, Lizzette Martinez, contou à People sobre esse pacto de suicídio com as mulheres que viviam em sua casa. “Eu estava no começo do comportamento predatório. Eu era… eu o conheci depois que ele se casou com Aaliyah. Eu estava mal, mas o que eu ouvi hoje é que ele está levando isso para outro nível e estou muito preocupada com as jovens da casa”, revelou ela.

E prosseguiu: “Quero dizer que a minha ansiedade está constantemente alta porque ouço os pais, ouvi dizer que há um plano em prática. Que ele (R. Kelly) colocou em prática que, se algo for descoberto, todos tomarão comprimidos e se matarão… Eu apenas não posso. Isso só parte meu coração. Estou com muita raiva dele”.

Na semana passada, Azriel Clary e Joycelyn Savage deram uma entrevista à jornalista Gayle King, do programa “This Morning“, da CBS, defendendo R. Kelly. Na conversa, as duas mulheres negaram que o cantor as tenha afastado de suas famílias, depois de já terem refutado alegações de que Kelly as mantém como reféns em sua casa há anos.

Os pais de ambas afirmam que as mulheres estão vivendo com Kelly contra sua vontade e são parte do que eles descrevem como um “culto sexual“. Na entrevista, Clary disse: “Estou chorando porque vocês não sabem a verdade. Vocês estão acreditando em alguma fachada que nossos pais estão dizendo. Isso é tudo mentira por dinheiro, e se vocês não conseguem ver isso, vocês são ignorantes e estúpidos”.

Os pais de Clary, Alice e Angelo, foram entrevistados para o documentário “Surviving R. Kelly” e alegaram que eles não tiveram contato com sua filha por quase três anos. Os pais de Savage, Timothy e Jonjelyn, também foram entrevistados para a produção e revelaram acreditar que o acusado esteja segurando sua filha contra a vontade dela.

Durante a entrevista com King, Clary, que conheceu Kelly quando ela tinha 17 anos, afirmou que nunca teve relações sexuais com o cantor enquanto era menor de idade, mas que seus pais a empurraram para tirar fotos e vídeos de natureza sexual com ele. Então, poderiam usá-los como chantagem, caso precisassem. Assista:

Em sua entrevista para King, R. Kelly também negou a veracidade das acusações: “Não são verdade. Se eles são velhos rumores, novos rumores, rumores futuros, não são verdade”. Ele também negou que mantinha meninas e mulheres em sua casa contra a vontade delas. “Eu não preciso. Por que faria? O quão estúpido seria para R. Kelly, com tudo que eu já passei durante a minha vida, aprisionar alguém, imagine quatro, cinco, seis, 50 mulheres — o quão estúpido eu precisaria ser para fazer isso?”, indagou.

E acrescentou: “É estúpido! Use o seu bom senso. Esqueça os blogs, esqueça o que você sente sobre mim. Me odeie ou me ame se quiser. Mas apenas use o seu bom senso. O quão estúpido seria para mim, com o meu passado maluco e tudo que eu já passei, dizer: ‘Ah, agora eu simplesmente sinto que preciso ser um monstro e manter garotas na minha casa contra a vontade delas, acorrentá-las no meu porão, e não deixá-las comer ou sair’”. R. Kelly reiterou que não fez nenhuma dessas coisas: “Não sou eu! Estou lutando pela p***a da minha vida!”. Veja a entrevista abaixo:

Nossa! Estamos em choque com cada desdobramento desse caso! Torcemos para que tudo seja resolvido em breve!