Drake desabafa após polêmica com música de Pusha T: “Todo mundo está curtindo o circo”

Como contamos aqui na última quarta-feira, 30, Drake tem vivido tempos complicados com o rapper Pusha T. Recentemente, Pusha divulgou a música “The Story of Adidon” na qual acusa o dono de Hotline Bling de esconder um filho e usar “blackface” em campanha publicitária. Bom, a música é uma resposta ao “Duppy Freestyle”, de Drake, em que a noiva de “T” é citada.

O barraco ficou tão grande que Drake, nesta quinta-feira, 31, resolveu se manifestar. O comunicado oficial se refere apenas a imagem divulgada por Pusha em que o cantor aparece com o rosto pintado de tinta preta. Originalmente capturada pelo fotógrafo David Leyes, especulava-se que a foto teria sido tirada em 2008 em associação com a marca “Too Black Guys” ,de Toronto.

Depois da divulgação, o fundador da Too Black Guys afirmou que apesar de Drake usar as roupas da marca e ela apoiar a iniciativa, as fotos não são para um ensaio deles. Então, o rapper resolveu esclarecer e chamou de “circo” toda a polêmica envolvendo seu nome:

Eu sei que todo mundo está curtindo o circo mas eu queria esclarecer a imagem em questão. Isso não foi para uma sessão de fotos para uma marca de roupas ou da minha carreira musical. Esta imagem é de 2007, uma época em minha vida onde eu era ator e eu estava trabalhando em um projeto que era sobre jovens atores negros que lutavam para conseguir papeis, eram estereotipados e recebiam os mesmos papeis”.

 

Na época, Drake participava do seriado “Degrassi”, interpretando o personagem Jimmy Brooks. Na nota de esclarecimento ele não citou as alegações de Pusha sobre um suposto filho com a ex-atriz pornô Sophie.

Confira abaixo a tradução da nota completa de Drake:

“Eu sei que todo mundo está curtindo o circo mas eu queria esclarecer a imagem em questão. Isso não foi para uma sessão de fotos para uma marca de roupas ou da minha carreira musical. Esta imagem é de 2007, uma época em minha vida onde eu era ator e eu estava trabalhando em um projeto que era sobre jovens atores negros que lutavam para conseguir papeis, eram estereotipados e recebiam os mesmos papeis. As fotos representam como Afro-americanos foram erroneamente retratados no entretenimento. Eu e meu melhor amigo na época Mazin Elsadig, que também é um ator do Sudão, estávamos tentando usar nossas vozes para trazer consciência ao problemas que nós enfrentávamos todas as vezes como atores negros nas audições/testes. Isso foi para destacar e elevar nossas frustrações com nem sempre recebermos chances justas na industria e para estabelecer que a luta dos atores negros não havia mudado muito.”