Em novo documentário do Globoplay, Xuxa relembra encontros com João de Deus, mostra presente e resgata declaração dele que a surpreendeu

A nova série documental do Globoplay “Em Nome de Deus” chegou à plataforma na noite dessa terça-feira (23) após a exibição do primeiro episódio na Rede Globo. A produção acompanha a história do médium João de Deus, condenado à prisão por abusar sexualmente de centenas de mulheres, e traz Xuxa Meneghel para prestar um dos depoimentos. A apresentadora buscou o curandeiro com o objetivo de ajudar a mãe, Alda Meneghel, que morreu em 2018 em decorrência do Mal de Parkinson.

Em seu relato, que foi focado no segundo capítulo, mas também apareceu no quarto, Xuxa falou sobre seu arrependimento da amizade desenvolvida com João Teixeira de Faria ao longo dos anos. “Existe gratidão? Uma gratidão vestida de vergonha, porque a gente não pode ser grata por um monstro. É um monstro, é fato”, afirmou a estrela.

No entanto, ela explicou por que o médium trazia tanto fascínio antes das denúncias. “Existiram coisas que realmente ali eu poderia te dizer, eu vi ele operando, eu estava ali segurando, eu vi pessoas que falavam: ‘Não tenho um joelho, e ele me fez andar’. E uma pessoa não tinha joelho, cara!”, chocou-se a apresentadora.

Em relação à sua mãe, Xuxa contou que de fato chegou a ver algumas melhoras nela após os atendimentos. João de Deus acompanhou Alda até seu último dia de vida. “Quando ele a conheceu, ela estava no estágio três. Ela morreu no estágio cinco. Depois que ele fez as coisas, bem ou mal ela ficou mais em pé”, ponderou ela.

Xuxa deu um depoimento contundente no documentário (Foto: Reprodução/Globoplay)

Apesar disso, o mal de Parkinson continuou evoluindo rápido. “Depois ela parou de andar, parou de falar, parou de se mexer. Mas ele acompanhou esses piores estágios da doença. Qualquer alento, qualquer coisa que ele pudesse me oferecer, oferecer para minha mãe, para mim era ‘uau'”, descreveu.

“Se salva algum ente querido teu, se esse ente querido se sente melhor, o que você quer fazer para essa pessoa? Quer a minha calça? Toma. Quer a minha roupa? Toma. O que você quer meu? Assim era a reação que as pessoas tinham com ele”, completou a apresentadora.

Xuxa recebeu a equipe da Globo em sua casa para a gravação e exibiu um presente que ganhou de João de Deus. Segundo a artista, a pedra fazia parte de uma coleção pessoal dele e ficava na sala onde ele teria praticado os crimes sexuais. “Não é linda ela? Olha os detalhes dela. Ela tem uns raios escuros, como se fosse petróleo, sei lá o que que é aqui misturado”, mostrou.

Ela contou que quase se desfez do objeto, mas decidiu mantê-lo por perto. “Na realidade, eu ia quebrar ela, jogar ela fora. Falei: ‘Ah, acho que não merece’. Deixei ela aqui fora para receber chuva, limpar. Se ela tem alguma energia ruim, que saia, porque de onde ela veio não deve ter boas energias”, refletiu.

João de Deus foi condenado a 40 anos de prisão em janeiro deste ano (Foto: Reprodução/TV Globo)

Por fim, Xuxa surpreendeu com uma declaração que ouviu do próprio João de Deus. “Ele sempre falou, foi claro, que a vontade dele de ter várias mulheres é desde pré-adolescente. Ele disse: ‘Eu nem era homem e já gastava o pouco dinheiro que eu tinha com mulheres’. Ele falou algumas vezes: ‘Minha doença é mulher. E Deus me castigou algumas vezes por causa disso, porque eu usei o dinheiro que eu ganhava, que eu não podia estar recebendo para isso, porque eu queria ter mulher'”, relembrou.

Após o surgimento das denúncias a João de Deus, noticiados primeiramente pelo jornalista Pedro Bial em seu programa noturno na Globo, em dezembro de 2018, Xuxa já havia se pronunciado sobre o caso. Através de um vídeo em seu Instagram, ela contou que conheceu o médium através de uma matéria que fez e não foi ao ar, quando ainda estava na TV Globo. A rainha dos baixinhos também revelou que chegou a nutrir um carinho especial pelo médium após encontrá-lo pela primeira vez.

“Infelizmente me enganei, e me enganei feio. Venho aqui para pedir desculpa a vocês, porque já divulguei o documentário dele, disse que era uma pessoa legal e tudo. Me sinto na obrigação de dizer a todos vocês que tô até um pouco envergonhada com tudo isso”, desculpou-se aos seguidores. E em seguida deu a letra: “Falando em vergonha, eu queria também que vocês entendessem que essas pessoas não falaram no passado por vergonha, por medo, querendo esquecer tudo isso. Mas eu quero dizer a todos vocês, mulheres que passaram por isso, que eu tô com vocês, tá? Sinto muito, muito mesmo,  muito de verdade”. No final, ela ainda fez um pedido de que, se houvesse mais mulheres, que viessem à público. “Denunciem, porque pessoas como essa e outras precisam pagar por isso”.

“Em Nome de Deus” inaugura o núcleo de documentários do Globoplay. O trabalho levou 18 meses para ser concluído e conta com argumento e criação do próprio Pedro Bial, direção de conteúdo de Fellipe Awi e direção de Monica Almeida, Gian Carlo Bellotti e Ricardo Calil.

Das primeiras suspeitas da roteirista Camila Appel até a concessão de prisão domiciliar a João de Deus, em março deste ano, a série revela a vida paralela do líder espiritual, a sua ampla rede de proteção e denúncias de crimes graves. Além do depoimento de Xuxa, a produção ainda tem relatos exclusivos de vítimas do médium, incluindo o da filha dele, Dalva Teixeira, que afirmou ter sido abusado pelo pai aos dez anos de idade.

Os seis episódios estão disponíveis para assinantes do Globoplay, no Brasil e nos Estados Unidos. A série também será exibida no Canal Brasil, a partir desta quarta (24) até segunda-feira (29), sempre às 20h50. Confira o trailer: