Harvey Weinstein pode chegar a acordo milionário com vítimas que o acusam de assédio sexual, sem precisar assumir culpa, diz The New York Times

O escândalo das denúncias de assédio sexual contra Harvey Weinstein pode estar chegando ao fim. De acordo com o The New York Times nesta quarta-feira (11), o magnata de Hollywood pode ter chegado a um acordo milionário com as vítimas, e ainda vai sair dessa história sem precisar assumir a culpa pelos crimes cometidos…

Na notícia, o jornal explica que a negociação ainda precisa de aprovação do tribunal e a assinatura final de todas as partes, mas tudo leva a crer que o processo será finalizado com o pagamento de 25 milhões de dólares, algo em torno de 103 milhões de reais. Caso tudo dê certo, o acordo permitirá que Harvey saia do processo sem admitir oficialmente sua má conduta e o valor poderá ser pago pelas seguradoras do estúdio Weinstein Co. Das contas bancárias pessoais de Weinstein só sairia o acerto de contas dos seus advogados, que pode chegar ao valor de 12 milhões de dólares (494 milhões de reais).

Embora a quantia seja significativa, a distribuição dela entre as vítimas não será integral. Na verdade, apenas 6,2 milhões de dólares (25 milhões de reais) serão divididos entre as 18 vítimas que moveram o processo em conjunto. Dessa forma, cada um vai faturar no máximo 500 mil dólares (2 milhões de reais). Os 18,5 milhões de dólares (76 milhões de reais) seriam destinados a uma ação movida pelo Ministério Público de Nova Iorque.

Harvey compareceu ao tribunal de Nova Iorque nesta quarta-feira (11). Foto: Getty

O valor também é destinado para futuros vítimas que iniciem processos contra Harvey. As denúncias seriam conduzidas por um profissional indicado pelo tribunal e ele alocaria os fundos de acordo com a gravidade de cada caso. Lembrando que esse acordo se restringe apenas a denúncia criada em conjunto por 18 vítimas espalhadas pelo mundo. O imbróglio judicial movido pela atriz Ashley Judd, por exemplo, segue tramitando sem qualquer interferência alguma.

Há dois anos, uma série de matérias publicadas pelo The New York Times colocaram Hollywood de cabeça para baixo. O jornal reuniu diversas denúncias de vítimas abusadas por Harvey Weinstein, considerado um dos executivos mais poderosos da sétima arte. Desde então, diversas celebridades chegaram a revelar terem passado por situações complicadas na presença do produtor. O movimento #MeToo surgiu em resposta ao escândalo como uma forma de apoiar quem tinha passado por isso e incentivando novas denúncias.