Fotojet (26)

Miley Cyrus oferece “ajuda” para ensinar DaBaby sobre preconceito, e fãs da cantora se revoltam: “Devia ter ficado calada”; confira

Enquanto artistas como Anitta, Elton John, Dua Lipa, Demi Lovato e Madonna repudiaram publicamente os comentários homofóbicos, sexistas e sorofóbicos feitos pelo rapper DaBaby, teve gente que preferiu uma abordagem mais amigável para lidar com o músico. Nesta quarta-feira (4), Miley Cyrus usou sua conta no Instagram para incentivar o perdão, e dizer que está disposta a conversar com o artista e ensiná-lo o quão problemático foram suas falas recentes durante um show em Miami.

“Como um membro orgulhoso e leal da comunidade LGBTQIA +, grande parte da minha vida tem sido dedicada a encorajar o amor, a aceitação e a mente aberta”, começou a cantora. Em seguida, ela atribuiu a revolta das pessoas com os comentários feitos por DaBaby com a “cultura do cancelamento”. “A internet pode alimentar muito ódio e raiva e é o núcleo da cultura do cancelamento… Mas acredito que também pode ser um lugar cheio de educação, conversação, comunicação e conexão”, escreveu.

Continua depois da Publicidade

Miley argumentou que o “melhor caminho” para a evolução é perdoar e ensinar ao próximo tudo que já aprendemos. “É mais fácil cancelar alguém do que encontrar perdão e compaixão em nós mesmos ou dedicar um tempo para mudar corações e mentes. Não há mais espaço para divisão se quisermos continuar vendo o progresso! Conhecimento é poder! Sei que ainda tenho muito a aprender!”, declarou. Por fim, a artista demonstrou que está disposta a ajudar DaBaby. “Verifique suas DMs – adoraria conversar e ver como podemos aprender uns com os outros e ajudar a fazer parte de um futuro mais justo e compreensivo!”, compartilhou, com o usuário do rapper marcado na legenda.

O posicionamento de Cyrus não foi bem recebido pelos fãs. Muitos destacaram que DaBaby não era exatamente uma pessoa sem acesso a informações básicas sobre preconceito, muito menos demonstrou estar interessado em mudar sua opinião. “Não vou ter empatia por uma pessoa machista e homofóbica com 30 anos na cara e milhões no bolso, não sou eu que vou ensinar ele a ser uma pessoa decente. Miley teve a melhor intenção, mas com a pessoa totalmente errada. Devia ter ficado calada e não ter comprado isso pra ela!”, disparou um fã-clube.

 

“@MileyCyrus, você quer ensinar um homem com acesso à informação, negro, que possivelmente já sofreu racismo, a respeitar soropositivos e homossexuais? É tão difícil assim respeitar alguém?”, ironizou outro rapaz. “Eu não vou te defender desse cancelamento, Miley Cyrus”, brincou um internauta. “A questão é que DaBaby não quer ser educado, então é uma causa perdida”, afirmou Taylana Stan. “Uma coisa é a pessoa ser burra e não saber direito o que tá falando, outra coisa é a pessoa ser abertamente preconceituosa por vontade própria! Pra mim os dois ficaram com Deus”, declarou um terceiro.

Do outro lado, alguns admiradores da estrela ponderaram o discurso. “A mulher tem uma fundação que trabalha em prol disso [conscientização], independentemente do que ele fez, ela como uma ativista da causa fez a parte dela como intervenção”, explicou um rapaz identificado apenas como Hugo. “Gente, é complicado, porque a Miley como ativista, uma das lutas dela é ensinar, sim, seja quem for, não importa se ele for rico, até porque ser rico não quer dizer que você seja uma boa pessoa”, avaliou outra pessoa.

Vale lembrar que, logo após os absurdos ditos por DaBaby durante um de seus shows, ele fez um pronunciamento respondendo à repercussão negativa junto ao público. Na ocasião, o rapper não economizou no tom irônico e debochado, além de proferir mais uma série de comentários extremamente ofensivos ao referir-se à comunidade LGBTQIA+. As falas, que causaram ainda mais indignação nas pessoas, podem ser conferidas um pouco mais abaixo no texto.

No entanto, o discurso do rapper mudou na segunda-feira (2), logo após o final de semana em que o Lollapalooza Chicago cancelou seu show no festival, e outros dois eventos também o tiraram do line-up. Dessa vez, DaBaby reclamou de seu cancelamento, lembrou obstáculos que enfrentou na vida, e somente agora se mostrou aberto a aprender com seus erros.

Continua depois da Publicidade

“As redes sociais se movem tão rápido que as pessoas querem demoli-lo antes mesmo de você ter a oportunidade de crescer, educar e aprender com seus erros. Como um homem que teve que superar circunstâncias muito difíceis por conta própria, ter pessoas que conheço trabalhando publicamente contra mim — sabendo que o que eu precisava era educação sobre esses tópicos e orientação — tem sido um desafio. Eu aprecio as muitas pessoas que vieram até mim com gentileza, que me procuraram em particular para oferecer sabedoria, educação e recursos. Isso é o que eu precisava e recebi”, disse.

Após tantas oportunidades, ele finalmente se desculpou pelos “comentários dolorosos e gatilhos'” que fez sobre a comunidade LGBTQIA+  e as pessoas que vivem com HIV/AIDS. “Mais uma vez, peço desculpas por meus comentários mal informados sobre o HIV / AIDS e sei que a educação sobre isso é importante. Amor a todos. Deus abençoe”, encerrou. Embora tenha se desculpado, vale lembrar que o clipe mais recente de DaBaby, “Giving What Is Supposed To Give”, considerado “grotesco” pelo site Uproxx por abordar a homossexualidade e a AIDS de forma desrespeitosa, segue no ar.

Show de absurdos

Durante o festival “Rolling Loud”, em Miami, DaBaby decidiu fazer um discurso completamente preconceituoso e desnecessário. “Se você não apareceu hoje com HIV, AIDS ou qualquer uma dessas doenças sexualmente transmissíveis que farão você morrer em duas ou três semanas, coloque a lanterna do seu celular no ar”, começou. Em seguida, ele foi homofóbico ao falar com homens que se relacionam com pessoas do mesmo sexo. “Rapazes, se vocês não estão chupando um p*u no estacionamento, ponham a lanterna do celular no ar”, pediu.

Continua depois da Publicidade

A apresentação ainda ficou marcada por outro momento controverso. DaBaby convidou o rapper Tory Lanez para fazer uma performance ao seu lado. Acontece que o músico foi acusado de ter atirado em Megan Thee Stallion, em outubro do ano passado. Dito isso, vale apontar que antes do show do rapper, a artista esteve cantando no mesmo palco, e ela e DaBaby já trabalharam juntos na faixa “Cry Baby”. Depois dessa sequência de momentos sem noção, alguém na plateia jogou um tênis no cantor. Veja:

Primeiro posicionamento de DaBaby

Com a repercussão negativa do caso, o rapper apareceu nos stories do Instagram para se defender. “O que eu faço em um show ao vivo é para o público no show ao vivo. Isso nunca vai ser traduzido corretamente para alguém olhando um pequeno clipe de cinco ou seis segundos de sua maldita casa em seu telefone. Simplesmente não funciona assim”, argumentou. “Porque, independentemente do que vocês, filhos da puta, estão falando, e de como a internet distorceu minhas palavras, eu e todos os meus fãs no show, os gays e os héteros, não estamos nem aí”, continuou.

DaBaby seguiu alegando que o problema foi a repercussão na internet, porque as pessoas que estavam no show não se sentiram ofendidas. “Tinha clipes de todas as m*rdas, a noite inteira estava sendo gravada”, destacou. O rapper mandou as pessoas que não foram ao show “calarem a boca”, alegou que tudo fazia parte de sua postura como um “grande performer ao vivo”, e seguiu com mais uma sequência de comentários ofensivos.

Rolling Loud Miami 2021
Performance de DaBaby gerou polêmica na web. Foto: Getty

“Todas as luzes se acenderam, gay ou hétero. Você quer saber por quê? Porque mesmo meus fãs gays não têm a porra da AIDS… Eles não têm AIDS. Meus fãs gays, eles cuidam de si mesmos, eles não pegam isso… Eles não são viciados. Eu disse que se você não está chupando p*u no estacionamento, acenda a luz do seu celular. Você sabe o que meus fãs gays fizeram? Acenderam essa p*rra”, disparou.

Continua depois da Publicidade

DaBaby ainda se irritou com o fato de muitas pessoas estarem criticando seus fãs que são homossexuais, e que seguem o defendendo. “Meus fãs gays não vão aceitar isso. Eles têm classe. Eles não estão chupando p*u em nenhum estacionamento. Até meus fãs gays têm padrões”, alfinetou. “Não perturbem meus fãs gays, seus filhos da p*ta, e os façam se sentirem desconfortáveis ​​com a pele deles… Gay ou hétero, os dois, ou o que seja. Não importa nada dessa merda para mim. O que importa para mim, quando estou naquele palco, é dar um show para qualquer um e todos que estão lá e foi isso que eu fiz”, finalizou.

Novo clipe polêmico

“Surfando” na repercussão de seus atos, mesmo que esta seja negativa, DaBaby divulgou no dia 28 de julho o clipe de “Giving What It’s Supposed To Give”. De acordo com o site Uproxx, a produção teria sido filmada nas vésperas do show em Miami. A publicação definiu a produção como “pobre e grotesca”, principalmente pelo fato do rapper falar sobre a AIDS em um tom ofensivo e discriminatório. Segurando uma placa com o nome da doença escrito, ele saca uma arma, mata dois homens. Enquanto isso, ele canta: “Nós gostamos da AIDS, estou na sua bunda”, claramente relacionando a doença com o sexo anal.

Continua depois da Publicidade

Ainda, DaBaby aparece nu enquanto uma mulher faz sexo oral nele incessantemente, censurado apenas por uma outra placa. Mas a cereja do bolo ficou para o final… Após os créditos, o músico usa as cores do arco-íris, as mesmas que aparecem na bandeira da comunidade LGBTQIA+, e diz: “Não combata o ódio com ódio. Minhas desculpas por ser eu, do mesmo jeito que você quer a liberdade para ser você”.