OMG! Taylor Swift faz desabafo, revela proibição de Scooter Braun e Scott Borchetta de tocar músicas antigas na TV, e pede ajuda dos fãs: “Vão me deixar usar com duas condições”

Se pensávamos que a polêmica havia chegado ao fim, foi um engano! Nesta quinta-feira (14), Taylor Swift usou suas redes sociais para fazer um novo desabafo sobre sua questão com Scott Borchetta e Scooter Braun, tensão que começou com a venda de sua antiga gravadora. Segundo a cantora, ambos a proibiram de apresentar um medley com seus grandes hits no “American Music Awards 2019”, no qual ela será agraciada com o prêmio de “Artista da Década”.

“Tenho planejado apresentar um medley dos meus hits ao longo da década na premiação. Scott Borchetta e Scooter Braun acabaram de me contar que não estou permitida a apresentar minhas canções antigas na televisão, porque eles alegam que isso seria regravar minhas músicas antes que eu tivesse a permissão, no próximo ano”, desabafou a diva, que acrescentou: “não sei mais o que fazer”.

Scooter Braun e Scott Borchetta acabaram comprando uma nova briga com Taylor Swift (Fotos: Getty)

Os poderosos da música também barraram o uso das produções de Taylor num novo documentário sobre sua carreira, que ainda nem havia sido anunciado. “Além disso – e esse não é o jeito que eu planejava dar a notícia pra vocês – a Netflix criou um documentário sobre a minha vida nos últimos anos. Scott e Scooter recusaram o uso de minhas músicas ou performances antigas para esse projeto, mesmo que não haja menção de qualquer um deles ou da Big Machine Records em nenhum momento do filme”, lamentou Swift.

Nesse processo, Scott e Scooter teriam estabelecido condições para permitirem o uso das canções na performance e no projeto. “Scott contou à minha equipe que eles apenas vão me deixar usar a minha música se eu fizer essas duas coisas: concordar em não regravar as novas versões das músicas no ano que vem (o que é algo que eu posso fazer legalmente e que estava esperando ansiosamente para fazer) e também disse à minha equipe que eu precisaria parar de falar sobre ele e o Scooter Braun”. Gente, que situação!

Como era de se esperar, Taylor defendeu até o fim que isso não faria sentido: “Isso é ERRADO. Nenhum desses homens teve uma mão em criar essas músicas. Eles não fizeram nada para criar a relação que eu tenho com os meus fãs”. Além disso, a estrela acredita que sua luta servirá de exemplo para outros artistas. “Sinto fortemente que dividir o que está acontecendo comigo poderia mudar o nível de atenção para outros artistas e potencialmente ajudá-los a evitar um destino parecido”, declarou.

Segundo Taylor Swift, ela só poderá apresentar seus hits antigos caso cumpra as condições dos empresários da Big Machine Records (Foto: Rich Fury/Getty Images)

Após ter concluído sua interpretação do recado dado, a dona do hit “Lover” clamou pelo apoio dos fãs. “A mensagem sendo enviada para mim é muito clara. Basicamente, ‘seja uma boa garotinha e cale a boca, ou você será punida’. Então é aqui que eu estou pedindo pela sua ajuda”, disse ela. Então, a musa pediu aos swifties que deixassem clara sua indignação aos empresários, assim como aos astros a quem eles agenciam.

“Por favor, peçam a eles para ajudarem com isso – eu estou esperando que, talvez, a gente possa dar algum bom senso para esses homens que estão exercendo um controle tirânico sobre alguém que apenas quer tocar as músicas que escreveu”, continuou.

Taylor Swift apresentando seus novos hits no “VMA 2019” (Foto: Noam Galai/Getty Images)

Antes do desabafo, Taylor também não conseguiu nada ao tentar contornar a situação por conta própria, por isso recorreu aos admiradores pelo mundo, e à exposição do caso. “Eu apenas quero poder apresentar MINHA PRÓPRIA música. É isso. Eu tentei resolver isso de forma privada através da minha equipe, mas não consegui solucionar nada”, queixou-se a cantora.

Dito isso, ela não pôde dar certeza sobre nenhum dos planos mencionados, devido aos entraves com Braun e Borchetta. “No momento, minha performance no AMA, o documentário da Netflix e qualquer outros eventos gravados que eu estivesse planejando fazer até novembro de 2020 são um ponto de interrogação. Eu amo vocês e achei que vocês deveriam saber o que está acontecendo”, finalizou a diva. Confira o post:

Ai, gente, que difícil… Até o momento, nem Scooter Braun, nem Scott Borchetta, ou representantes da Big Machine Records se manifestaram sobre o caso. Mas estamos atentíssimos para saber os desdobramentos que essa nova bomba terá!

Entenda o desentendimento

Em junho, após as notícias de que o empresário Scooter Braun havia comprado sua antiga gravadora, a Big Machine Label Group, Taylor Swift escreveu um longo texto em seu Tumblr oficial sobre como estava “triste e enojada” com o acordo — a Big Machine é dona de seu catálogo passado. De acordo com a Billboard, a venda custou em torno de 300 milhões de dólares.

“A ideia de Scott e eu trabalhando juntos não é nova, nós conversamos sobre isso desde o início da nossa amizade”, Braun falou em um comunicado à imprensa, referindo-se ao dono da Big Machine, Scott Borchetta. “Eu entrei em contato com ele quando percebi a oportunidade e, após muitas conversas, notei que nossas visões estavam alinhadas. Ele construiu uma companhia brilhante, cheia de músicas e artistas icônicos. Quem não gostaria de fazer parte disso?”, acrescentou.

Taylor Swift (Foto: Frazer Harrison/Getty Images)

A gente pode dizer uma pessoa: Taylor Swift. Em uma publicação emocionada, ela contou um pouco de todos os percalços que percorreu enquanto trabalhava com a Big Machine, e falou sobre sua decisão de deixar a gravadora. “Por anos, eu pedi, implorei para ter a chance de ser dona do meu próprio trabalho. Ao invés disso, eu recebi a oportunidade de assinar de novo com a Big Machine Records e ‘merecer’ um álbum de cada vez, um para cada novo que eu entregasse. Eu não aceitei porque eu sabia que, assim que assinasse o contrato, Scott Borchetta venderia a gravadora, e assim, venderia eu e meu futuro. Eu tive que fazer a escolha excruciante de deixar para trás todo o meu passado. Músicas que eu escrevi no chão do meu quarto e vídeos com os quais eu sonhei e paguei com o dinheiro que ganhei tocando em bares, depois clubes, depois arenas, e então estádios”, escreveu.

E continuou: “Alguns fatos curiosos sobre as notícias de hoje: Eu soube da compra do meu trabalho por Scooter Braun conforme foi anunciado para o mundo. Tudo o que eu conseguia pensar era o bullying incessante e manipulador que eu recebi das mãos dele ao longo dos anos”. A cantora, então, lembrou de sua treta gigante com o casal Kim e Kanye West, que tomou conta da internet. “Como na vez em que Kim Kardashian orquestrou e gravou ilegalmente o trecho de uma ligação de telefone para ser vazada, e depois Scott juntou seus dois clientes juntos para fazer bullying comigo online (vejam a foto). Ou quando o cliente dele, Kanye West, organizou um videoclipe de “revenge porn”, que deixou meu corpo nu. Agora, Scooter tirou de mim o trabalho da minha vida inteira, o qual eu não recebi a oportunidade de comprar. Essencialmente, o meu legado musical está prestes a cair nas mãos de alguém que tentou destrui-lo”, falou aos fãs e ao público.

(Foto: Reprodução/Tumblr Taylor Swift)

Taylor confessou que estava vivendo seu pior cenário. “Isso é o que acontece quando você assina um contrato aos 15 anos com alguém cujo termo ‘lealdade’ é, claramente, apenas um conceito contratual. E quando este homem diz ‘música tem valor’, ele quer dizer que o valor é dado a homens que não tiveram crédito nenhum em criá-la”, deu a letra. Ela ainda falou sobre o sentimento de traição que está sentindo: “Quando eu deixei o meu trabalho nas mãos do Scott, eu fiz paz com o fato de que, eventualmente, ele o venderia. Nunca, nos meus piores pesadelos, eu imaginei que o comprador seria Scooter. Sempre que Scott Borchetta ouviu as palavras ‘Scooter Braun’ saírem dos meus lábios, foi quando eu estava ou chorando, ou tentando não chorar. Ele sabia o que ele estava fazendo; os dois sabiam. Controlar uma mulher que não queria ser associada a eles. Perpetuamente. Isso significa para sempre”. 

No entanto, a cantora tentou focar em seu futuro, nas músicas que produzirá daqui para a frente, e ainda fez um aviso a todos os jovens artistas que ainda não encontraram a fama: “Ainda bem que agora eu assinei com uma gravadora que acredita que eu mereço ser dona de qualquer coisa que criar. Ainda bem que eu deixei meu passado nas mãos do Scott, e não o meu futuro. E, com sorte, jovens artistas ou crianças com sonhos no mundo da música lerão isso e aprenderão mais sobre como se protegerem melhor em uma negociação. Você merece ser dono da arte que você faz”. E Taylor acrescentou: “Eu sempre vou ter orgulho do meu trabalho passado. Mas, por uma opção mais saudável, ‘Lover’ será lançado dia 23 de agosto”. 

Para concluir, ela assinou o texto. “Triste e enojada, Taylor”, deixou seu recado final. Que situação, né? Veja o depoimento na íntegra:

https://taylorswift.tumblr.com/post/185958366550/for-years-i-asked-pleaded-for-a-chance-to-own-my