Sobrinha de Michael Jackson e ex-namorada de acusador se posiciona após denúncias de ‘Leaving Neverland’: ‘Totalmente enojada’; veja vídeo

A sobrinha de Michael Jackson (1958-2009), Brandi Jackson, alegou que as acusações de abuso sexual feitas por seu ex-namorado Wade Robson contra o tio dela são falsas. Em entrevista ao programa de rádio australiano “The Kyle and Jackie O Show”, ela disse que as declarações do dançarino no documentário polêmico “Leaving Neverland” são mentirosas e que nunca teria tomado ciência das acusações ao longo do tempo em que namoraram entre 1991 e 2001.

Quando assisti ao documentário fiquei totalmente enojada, para ser sincera com você. As coisas que ele diz são absurdas e completamente ridículas. Ele não estava falando do meu tio, ele estava descrevendo uma pessoa completamente diferente, e essa história mudou completamente ao longo dos últimos 15 anos. Tudo que ele já havia dito sobre o meu tio é o oposto do que está no documentário”, afirmou Brandi.

View this post on Instagram

💕

A post shared by Brandi Jackson (@brandijackson82) on

Durante a conversa, a sobrinha do Rei do Pop também declarou não ver sentido em Wade Robson alegar que estava com medo de ir para a cadeia antes (caso revelasse o abuso). Além de que ele já tinha mais de 18 anos quando testemunhou pela segunda vez contra Michael. Para ela, dinheiro é a única razão do ex-namorado acusar seu tio.

Se alguém abusa você quando tem 14 anos e você tem a oportunidade de denunciá-lo e afastar esse homem para longe pelo resto da sua vida para que ele não machuque mais ninguém, você faz. Eu entendo ele não ter feito isso quando era uma criança e estava com medo de fazer algo do tipo, isso faz sentido. Mas como homem adulto, não faz”, disse ela. Assista:

Desde que “Leaving Neverland” foi lançado em janeiro deste ano no Festival de Sundance, a família de Michael Jackson está declaradamente em guerra contra os acusadores e já fez diversas críticas ao material explorado no filme. O documentário foca em duas supostas vítimas de abusos sexuais cometidos por Michael Jackson: Wade Robson e James Safechuck.

Em seus depoimentos no filme, Robson e Safechuck contaram como teriam conhecido e se envolvido com o Rei do Pop. Eles teriam dito que o artista sempre pareceu ser uma pessoa doce e simpática, mas que as coisas não eram exatamente assim. Além disso, revelaram que Neverland, contava com vários quartos secretos nos quais ele poderia ficar a sós com as supostas vítimas sem ser incomodado. Quando vivo, Michael Jackson negou várias vezes qualquer acusação desse tipo.

De acordo com o jornal britânico Mirror, uma fonte disse que há uma pressão para Janet Jackson falar em defesa do irmão, no entanto, a cantora permanece em silêncio até o momento. Segundo o informante, a irmã do Rei do Pop sente que sua carreira sempre foi separada de sua família, e que ela gostaria de continuar assim. Será?!

Na semana passada houve discussões entre os Jacksons sobre o documentário e como isso afetará o legado de Michael. Todos queriam que Janet divulgasse uma declaração condenando o filme porque ela é o membro mais conhecido da família depois de Michael. Eles sentem que ela poderia ter feito mais para apoiá-lo contra as acusações“, revelou o informante, garantindo que tal postura tem causado um ‘racha’ na família.

Por conta do polêmico documentário, a compra de músicas de Michael Jackson despencaram. De acordo com o site da revista The Hollywood Reporter, as vendas de seu extenso catálogo, incluindo sucessos com Jackson 5 e The Jacksons, caíram 4%.

Veja o trailer do filme: