Viúva de Chico Anysio, Malga Di Paula rebate carta aberta de Bruno Mazzeo e o responsabiliza por dívidas de apartamento: “Me bloqueou no WhatsApp”

O clima anda tenso entre Bruno Mazzeo e Malga Di Paula… Nesta segunda-feira (30), a viúva de Chico Anysio enviou uma carta aberta para a imprensa, dando mais detalhes dos bastidores conturbados da anulação do testamento do comediante e a forma como tem sido tratada, especialmente pelo intérprete do professor Raimundo na nova versão da “Escolinha”.

Logo no início da carta, a viúva afirma que está trazendo o imbróglio familiar a público porque Mazzeo a bloqueou no WhatsApp e não responde suas tentativas de contato. “Caro Bruno, finalmente encontrei uma forma de nos comunicarmos [pela imprensa], uma vez que você me bloqueou em seu WhatsApp, não responde meus e-mails e não me atende ao telefone”, alfineta.

Em outro trecho ela acusa os herdeiros de não terem fornecido uma lista reunindo todos os objetos e parte do patrimônio intelectual do humorista, morto em 2012. Por conta disso, Lug de Paula, que ficou de fora dos desejos finais do pais, não teria como fazer parte da partilha de bens. “Eu passei a defender que o material entregue a vocês deverá ser apresentado para a redistribuição, contemplando assim o seu irmão mais velho. Esta é uma questão moral”, alegou.

Bruno Mazzeo deu vida ao icônico personagem do pai, o professor Raimundo, em uma nova versão da “Escolinha”. Foto: Estevam Avellar/Globo

Malga Di Paula move um processo paralelo para ser reconhecida como única herdeira de um apartamento luxuoso na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, em que ela mora atualmente. Segundo ela, a propriedade acumulou diversas dívidas logo após Mazzeo assumir o papel de inventariante dos bens do pai. “Não havia dívida alguma enquanto esteve sob minha gestão”, garantiu.

Em uma carta enviada para o jornalista Ancelmo Gois, do jornal O Globo, na última semana, Mazzeo diz que a madrasta foi retirada da posição de inventariante, o que ela contesta em sua versão. “Por que eu deixei de ser inventariante e não recorri? Primeiro: eu não recorri pois não tinha interesse algum em continuar na função, principalmente por estar há um longo tempo com minha saúde debilitada devido a intermitentes crises de depressão, conforme laudo anexado ao processo”, começou.

Chico Anysio morreu em 2012, aos 80 anos, após parada cardiorrespiratória. Foto: João Cotta/Globo

“Segundo: enquanto inventariante, as funções podem não ter acontecido regularmente por conta do meu estado de saúde e pela falta de orientação adequada. Todavia, eu não tenho problema algum em falar sobre isso, já que a humildade, segundo meus princípios, é um dos valores que mais prezo, da mesma forma que Chico Anysio, meu falecido marido, também prezava”, finalizou.

Entenda o caso

No início do mês de março, o testamento de Chico Anysio foi anulado pelo juiz da 2ª Vara da Família da Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio. A decisão não foi explicada oficialmente, mas sabe-se que o documento desrespeitava uma das leis brasileiras, que proíbe uma pessoa de deserdar um filho e retirar sua mulher da divisão de bens. No caso, o humorista deixou de fora o filho Lug de Paula, reconhecido nacionalmente como intérprete do personagem Seu Boneco no programa “Escolinha do Professor Raimundo”.

Lug de Paula deu vida ao personagem Seu Boneco. Foto: Reprodução/TV Globo

Em entrevista para a revista Quem, a advogada do herdeiro esclareceu que a anulação do testamento vai além da exclusão do ator na partilha. “O testamento tinha erros técnicos jurídicos que levaram à anulação. Não fora só a questão do Lug não ter sido contemplado no testamento do Chico. Acontece que o documento cedia a integralidade dos bens, sem respeitar a legítima. Fora isso, o testamento mais parecia outro programa humorístico do saudoso Chico, determinando divisão de bens de forma incoerente. Como, por exemplo, dispondo sobre conteúdo dentro de lados de armários”, falou.

O jornalista Leo Dias chegou a noticiar que o patrimônio de Anysio era estimado em R$ 150 milhões, informação que foi contestada pelo filho de Chico, Nizo Neto. “Meu pai deixou de herança o legado e a obra, que é lindo! Financeiramente, não deixou nada. As pessoas acham que eu sou milionário, o que seria normal, tratando-se de um homem como a história de Chico Anysio. Ele foi um homem que não se organizou para deixar bens materiais”, confessou.

Nizo Neto ao lado de Otaviano Costa em nova versão do programa “Escolinha do Professor Raimundo”. Foto: Estevam Avellar/Globo

Em seu posicionamento, ele também falou sobre as dívidas do apartamento em que Malga Di Paula mora. “Para não dizer que ele não deixou nada, ele deixou um apartamento, o que ele morava, que vai ser dividido entre todos os herdeiros, que não são poucos. Detalhe: o apartamento está atolado em dívidas de IPTU e de condomínio. Ele também tinha duas lojas no Barra Garden [shopping] que também estão na mesma situação, cheia de dívidas. Eu acho que cada um [dos beneficiários na herança] vai ganhar no máximo uns 100 mil reais”, finalizou.

Na quarta-feira (25), Bruno Mazzeo quebrou o silêncio sobre os trâmites após assistir uma entrevista de Malga Di Paula no canal do YouTube de Antônia Fontenelle. Em carta enviada para o jornalista Ancelmo Gois, ele reafirmou que o testamento só foi anulado pelo fato de Lug ter ficado de fora. “A questão é moral. Um dos herdeiros necessários foi excluído da sucessão”, explicou.

Mazzeo também expôs que a madrasta a princípio concordou com a anulação do documento, mas agora pede que ele seja validado por interesse financeiro. “Ela apresentou no processo um inusitado ‘pedido de retratação’, para defender a validade do documento. Malgarete, sempre preocupada em parecer ética nas mídias que elege cuidadosamente para expor seus pontos de vista, passou a defender a tese de que um testamento que alija um filho não deserdado é válido. A razão? Meramente pecuniária”, afirmou.

O herdeiro ainda garantiu que a viúva não tem direito exclusivo ao apartamento que ela pede para ser reconhecida como herdeira: “Malgarete alega ser proprietária exclusiva do apartamento na Península, inteiramente adquirido com recursos de Chico Anysio, e pretende excluir esse imóvel do processo de inventário. A escritura de aquisição do imóvel claramente indica como adquirentes Chico Anysio – que pagou a respectiva compra – e Malgarete”.

No bate-papo com Antônia, Malga desabafou sobre o afastamento de todos os filhos de Chico Anysio dela logo após o falecimento do marido. “Nunca ninguém me respondeu. Se hoje, qualquer filho ligasse para mim, eu jamais deixaria de falar com um filho do Chico. Não há advogado no mundo que me proíba a falar com o filho do homem que eu amei. Acho um absurdo. Fico triste”, abriu o coração, emocionada.