Vocalista da banda “The 1975” beija homem na plateia durante show em Dubai, em protesto às leis anti-LGBTQ+ do local: “Não faria nada diferente”

Que lugar melhor do que em cima do palco para expressar seus sentimentos e opiniões? Matty Healy, o vocalista da banda “The 1975”, aproveitou para tirar um momento em um show, que aconteceu em Dubai na última quarta (14), para protestar contra as leis anti-LGBTQ+ que são impostas no emirado.

Alguns vídeos feitos por fãs mostram Matty parando a apresentação no meio da música “Loving Someone” e indo em direção ao público. Logo em seguida, vemos ele beijando um homem na boca, em meio aos gritos da multidão. Ao voltar para o palco, o cantor declarou no microfone: “Te amo, irmão. Somos todos humanos, certo?”.

O caso teve grande repercussão, pois a homossexualidade é proibida no Emirado Árabe. Além disso, todo e qualquer tipo de demonstração pública de afeto é reprovada. Veja abaixo uma imagem capturada por um dos espectadores, do momento do beijo.

Matty beijando o fã. (Fotos: Getty/ Reprodução/Twitter)

Esse foi o primeiro show do grupo no local. Em sua conta no Twitter, o cantor comentou o caso que tem dado o que falar. “Obrigado, Dubai, vocês foram incríveis. Eu acho que não poderei voltar aí, devido ao meu ‘comportamento’, mas saibam que eu amo vocês e que não faria nada diferente se tivesse a chance de novo”, reiterou.

Continua depois da Publicidade

Em resposta, muitos seguidores agradeceram a atitude corajosa do artista. Uma das admiradoras declarou: “A quantidade de pessoas que você ajudou ali, criando um espaço seguro pra elas, é mais que inacreditável. Nós te amamos muito e obrigada por sempre ser você, independente do que os outros digam”. Um outro comentário ainda dizia: “O Matty me inspirou a me assumir para minha mãe hoje”.

Entretanto, alguns se demonstraram preocupados com o futuro do fã, beijado por Healy. “Matty, eu sei que você teve boas intenções ao beijar o fã em Dubai, mas por favor, olhe por ele. Ele provavelmente vai se encrencar com o governo e possivelmente ser preso por dez anos”, pediu uma seguidora.

No ano passado, o astro de 30 anos ajudou a financiar um centro comunitário LGBTQ+ em Londres e declarou ao jornal britânico The Observer: “Você pode se perguntar por que isso é necessário, e até se perguntar do que exatamente as pessoas ainda tem medo, mas infelizmente, eu acho que o estigma ainda existe mesmo em Londres, e ainda temos algum caminho a percorrer “.

E aí, o que vocês acham dessa atitude?