Brad Pitt explica por que tem se afastado cada vez mais das telonas: “Seleção natural”

Má notícia para o público: Brad Pitt está muito confortável com o fato de atuar menos no atual estágio de sua carreira. Durante entrevista para a revista GQ Australia, o astro se abriu sobre sua mudança de interesses dentro da indústria cinematográfica conforme fica mais velho. Brad, que em breve poderá ser visto no filme “Era Uma Vez… Em Hollywood”, de Quentin Tarantino, afirmou que cada vez mais prefere o trabalho de produtor, atrás das câmeras.

“Estou nos bastidores, no lado da produção, e eu gosto muito disso”, revelou o ator de 55 anos, que tem uma produtora bem sucedida, a Plan B. Em 2014, ele ganhou um Oscar por produzir o filme “12 Anos de Escravidão”. Contudo, ele acrescentou: “Mas eu faço cada vez menos e menos. Eu realmente acredito que, no geral, [a indústria] é um jogo de jovens — não que não haja papéis bons para pessoas mais velhas — eu apenas sinto que o próprio jogo avança naturalmente. Há uma seleção natural”.

O astro mostrou que, apesar disso, sua paixão por filmes está muito viva: “Estou curioso para ver qual é o futuro do [cinema], qual forma ele tomará. Eu realmente gosto dos serviços de streaming, porque estamos vendo mais e mais projetos de qualidade serem feitos. Estamos vendo mais roteiristas, diretores e escritores ganharem uma chance. Isso mostra quantas pessoas talentosas existem”. Brad afirma que há espaço tanto para o cinema tradicional, quando para as plataformas de streaming, como Netflix, Amazon e Hulu. Apesar de seu ponto de vista positivo, ele admite que pode estar errado. “Eu posso ser um dinossauro e não fazer ideia, cara. E o cometa pode estar a caminho”, observou.

Durante o bate-papo, ele também falou sobre trabalhar ao lado de Leonardo DiCaprio pela primeira vez. Apesar dos dois terem surgido na indústria praticamente ao mesmo tempo, os dois nunca haviam atuado lado a lado. “Este é um cara que realmente se dedica e dá tudo de si, então você sabe que é muito divertido poder trabalhar ao lado de um ator deste calibre. E ele é muito divertido”, disse. O tempo que passaram juntos foi tão satisfatório para Brad, que ele inclusive afirmou, durante uma conferência de imprensa no Festival de Cannes, que quer trabalhar ao lado de Leonardo mais uma vez. “Eu ri muito com ele. É aquele sentimento de saber que você tem o melhor do melhor do lado oposto da mesa, segurando a cena com você. Há um grande alívio nisso”, admitiu. E Brad ainda concluiu: “Nós temos as mesmas referências. Nós passamos [pela indústria] na mesma época. Experiências similares para rir a respeito. Espero que façamos de novo, foi incrível”.

Leonardo DiCaprio e Brad Pitt no Festival de Cannes. (Foto: Getty)

“Era uma vez em Hollywood” tem estreia marcada no Brasil para o dia 15 de agosto. O longa tem tudo para ser um sucesso e dar muito o que falar… Além de contar com os astros, a história é centrada na Hollywood dos anos 1969, mesma época dos assassinatos cometidos por Charles Manson (interpretado por Damon Herriman).

Na produção, Leonardo vive um ator de TV chamado Rick Dalton, que é vizinho da icônica Sharon Tate (Margot Robbie). Já Brad interpreta o amigo e dublê de Dalton, Cliff Booth. A dupla precisa navegar pela indústria cinematográfica conforme ela parece cada vez menos familiar. Em certo momento, o trailer nos mostra um Rick desiludido e revoltado com sua carreira em decadência. “É oficial, companheiro. Minha carreira acabou!“, anuncia ele para Booth. A partir daí, os parceiros se encontrarão envolvidos nos assassinatos da família Manson, que incluíram Sharon Tate, grávida de oito meses e meio, e mais outras quatro pessoas. Assista:

Estamos apenas loucos para ver esse filme! No elenco, também temos Al Pacino, como agente de Dalton; Dakota Fanning e Lena Dunham, como membros da família Manson; Damian Lewis, no papel do ator Steve McQueen; Emile Hirsch, Rumer Willis e Margaret Qualley.