Camila Mendes relembra experiência aterrorizante na faculdade, quando foi drogada e abusada sexualmente, e revela luta contra distúrbio alimentar: “É uma maldição”

Admiramos muito nossa fadinha meio brasileira! Camila Mendes, mais conhecida por sua personagem Veronica Lodge na série “Riverdale”, tem vivido um período de ascensão em sua carreira. Sob os holofotes, a atriz é capa da edição de outubro da revista Women’s Health, na qual falou um pouco mais sobre suas batalhas pessoais.

Durante a entrevista, Cami explicou que sempre buscou por estabilidade em sua vida. Desde pequena, as mudanças de residência eram constantes, devido ao trabalho de seu pais, e mais tarde, o divórcio dos mesmos. Agora, sua carreira também faz com que ela passe muito tempo fora de casa. Mas a palavra lar tem um sentido mais abrangente para a jovem de 25 anos.

Para ela, um lar não precisa ser um lugar físico. Uma rotina definida ou hábitos repetitivos já trazem um conforto parecido e essa sensação de pertencimento. Esse tema é tão importante para a atriz, que ela tem até uma tatuagem na costela, escrita “criar um lar”. Quando questionada sobre como surgiu a ideia para a tattoo, Mendes explicou que fez após o primeiro ano de faculdade.

“Eu fiz logo após o meu primeiro período na faculdade. Eu tive uma experiência muito, muito ruim. Eu fui drogada por uma pessoa que me violentou sexualmente logo em seguida”, relembrou a morena durante o bate-papo, segurando o choro. A estrela também explicou que daquele momento em diante, tudo que entrasse em sua vida deveria lhe fazer se sentir segura e confortável. E o escrito em sua pele é um lembrete disso.

 

Ainda no ano passado, Camila revelou através de um post no Instagram que sofria de distúrbios alimentares, mais especificamente, bulimia. Na matéria, a atriz explicou que vem trabalhando em equipe com uma nutricionista e seu terapeuta, e os agradeceu pela ajuda. “Eu só melhorei recentemente. Isso ainda é uma maldição pra mim. Não é como se simplesmente fosse embora… Eu precisava de profissionais que eu confiasse para me explicarem coisas que não tinha conhecimento”, apontou.

Por fim, a artista lamentou que, durante sua adolescência, “ser magra” era importante, e não estar saudável. Hoje, ela buscar ser uma inspiração para seus fãs, passando a mensagem exatamente oposta. “Sua saúde importa, não sua aparência. Eu faço escolhas que são boas pra mim, não só pro meu corpo, mas para minha alma. E as vezes, essa escolha é tomar um sorvete simplesmente porque eu quero”, finalizou.

Maravilhosa! Com certeza Cami é um ótimo exemplo pra muita gente por aí!