Capa da Elle UK, Taylor Swift fala sobre “poder do pop” e revela quais músicas a ajudaram a superar “términos ruins”

Em meio às especulações sobre seu novo álbum e de que estaria trabalhando numa parceria com ninguém menos que Katy Perry, Taylor Swift surgiu poderosíssima nesta quarta-feira (27) como a capa da edição de abril da ELLE britânica, toda trabalhada em um look amarelo esvoaçante. Para a revista, a cantora falou sobre o “Poder do Pop” em um texto no qual relembra muitas músicas que a inspiraram ao longa da vida, inclusive aquelas que a ajudaram a superar “términos ruins” de relacionamentos.

Sou altamente tendenciosa, mas acho que a maneira como a música pode transportá-lo de volta a uma memória há muito esquecida é a sensação mais próxima que temos de viajar no tempo“, começou Taylor. “Até hoje, quando ouço ‘Cowboy Take Me Away’, de Dixie Chicks, imediatamente me lembro da sensação de ter doze anos de idade, sentada em uma pequena sala de madeira na minha casa na Pensilvânia. Eu estou segurando uma guitarra e aprendendo a tocar os acordes e cantar as palavras ao mesmo tempo, ensaiando para um show em uma cafeteria“.

Quando ouço ‘I Write Sins Not Tragedies’, do Panic! At The Disco, eu sou transportada de volta aos dezesseis anos, quando dirigia pelas ruas de Hendersonville, Tennessee, com minha melhor amiga Abigail gritando euforicamente as letras. Quando eu ouço ‘How to Save a Life’, de The Fray, ‘Breathe (2AM)’, de Anna Nalick, ou ‘The Story’, de Brandi Carlile, eu imediatamente me lembro de ter dezessete anos e estar em turnê por meses a fio“, relembrou a loira.

E ela continuou: “Quando eu tinha um dia em casa, entre longos períodos na estrada compartilhando uma van com minha banda e equipe, eu passava minhas raras noites de folga pintando sozinha com velas acesas no meu quarto – sozinha com essas músicas (Todas são da trilha sonora de ‘Grey’s Anatomy’. Meu compromisso com essa série realmente não conhece limites’). Estou convencida de que ‘You Learn’, de Alanis Morissette, ‘Put Your Records On’, de Corinne Bailey Rae, e ‘Why’, de Annie Lennox, realmente curaram meu coração depois de términos ou desilusões ruins”.

Embora tenha deixado claro que as músicas de outros artistas causaram grande impacto em sua vida, Taylor também explicou como sua própria música preservou memórias e a ajudou a superar as coisas. “Adoro escrever músicas porque adoro preservar memórias, como colocar uma moldura ao redor de um sentimento que você já teve. Eu gosto de usar a nostalgia como inspiração quando estou escrevendo músicas pelo mesmo motivo que gosto de tirar fotografias. Eu gosto de ser capaz de lembrar os momentos extremamente bons e extremamente ruins. Quero lembrar a cor do suéter, a temperatura do ar, o ranger das tábuas do assoalho, a hora do relógio quando seu coração foi roubado, partido, curado ou tomado para sempre“.

Além de afirmar que músicas de Drake e The Chainsmokers com Halsey estão surgindo a um nível cultural mais global por incluir “detalhes extremamente pessoais”, a diva relembrou sua turnê em que Camila Cabello se apresentou e finalizou, explicando como entende o sucesso da música pop.

Em turnê, eu pude ouvir multidões de estádios cantando apaixonadamente junto a uma jovem mulher de Cuba cantando sobre ‘Havana’. Acho que hoje em dia as pessoas estão buscando conexão e conforto na música que ouvem. Nós gostamos de ser confessados ​​e ouvir alguém dizer: ‘isto é o que eu passei’ como prova para nós de que podemos superar nossas próprias lutas. Nós realmente não queremos que nossa música pop seja genérica. Eu acho que muitos amantes da música querem um vislumbre biográfico do mundo do nosso narrador, um buraco nas paredes emocionais que as pessoas colocam em torno de si para sobreviver. Esse vislumbre da história do artista nos convida a conectá-lo ao nosso e, na melhor das hipóteses, nos permite a capacidade de atribuir essa música às nossas memórias. É essa aliança entre uma música e nossas memórias dos tempos que ela nos ajudou a curar, ou nos fez chorar, dançar ou fugir que realmente aguenta a prova do tempo. Assim como um ótimo livro”, concluiu.

Veja mais fotos do ensaio:

Se o tema da redação do Enem este ano for “música pop”, Taylor Swift já tirou 1000! Kkkkk Maravilhosa!!!