Cardi B explica por que não se separou de Offset após descobrir traição: “Somos nós contra o mundo”; Saiba detalhes

Sincerona! Sabemos que Cardi B é uma daquelas pessoas que falam tudo que dá na telha, né? A rapper estrela a próxima edição da revista Vogue norte-americana e, em entrevista, abriu o coração sobre a traição de seu marido, Offset. Os dois são pais da pequena Kulture, de 1 ano e 4 meses.

O casal chegou a anunciar a separação no final do ano passado, mas logo reatou o relacionamento. Muitos fãs da rapper criticaram a decisão, mas ela justificou sua escolha. “Quando eu e meu marido passamos por problemas — você sabe, ele me traiu e tudo mais — decidi continuar e trabalhar na relação com ele. Muitas pessoas ficaram bravas, muitas mulheres se decepcionaram comigo. Mas isso é coisa da vida real. Se você ama alguém e para de ficar com ele, está deprimida, mas suas redes sociais dizem para não falar com aquela pessoa porque ela traiu… E se você volta com a pessoa, a reação é tipo ‘Como você pode?'”, desabafou ela.

Em continuação, Cardi explicou que é capaz de perdoar, mas que tudo tem limites. “Todo mundo tem problemas. Eu acredito no perdão e rezei por isso. Eu e meu marido rezamos. Nós recebemos nossos pastores [em casa] e chegamos a conclusão de que somos nós contra o mundo. Quando você trai, está machucando a pessoa que mais te apoia. Porque fazer isso? Chegamos a um acordo. Pra mim, monogamia é o único caminho. Acabo com você se me trair”, alertou.

Ao falar sobre as críticas que recebe nas redes — incluindo aquelas relacionadas ao seu relacionamento — a artista foi incisiva. “Esse ano foi demais pra mim. Sinto que as pessoas estão cansadas de me ver ganhando. Procuro meu nome no Twitter e só vejo mensagens de ódio, mensagens de ódio, mensagens de ódio…”, disparou.

Ela ainda mostrou sua perspectiva sobre o feminismo, dizendo: “As mulheres sempre querem falar sobre feminismo e apoiar a todos, exceto se isso não se encaixar na sua categoria do que apoiar. Certas mulheres que afirmam ser feministas pensam apenas que um certo tipo de mulher deve representar isso. Por exemplo, você tem que ter um diploma universitário e tem que ser, praticamente, como uma senadora, a Madre Teresa ou uma santa cristã. Não, você não precisa. Feminismo significa estar em igual posição a de um homem. E eu estou”, garantiu.

Por fim, a morena relevou que a maternidade pode ser desafiadora, mas tira sua cabeça das coisas negativas. “Ser mãe é — como posso dizer? É uma pouco difícil equilibrar as coisas, mas é bom pra alma. Tipo, se estou brincando com minha filha, eu esqueço dos meus problemas”, concluiu.