Fotojet (23)

Carmo Dalla Vecchia dá detalhes sobre gestação do filho, e revela “ajuda” de equipe de novela no nascimento: “Pedi quase de joelhos”

Paizão nota 10! No próximo domingo (8), os brasileiros celebrarão o Dia dos Pais. No clima da data, o GShow divulgou nesta terça-feira (3) um bate-papo com Carmo Dalla Vecchia, que apresentou ao público no mês passado o pequeno Pedro Rafael, fruto do seu casamento com o autor João Emanuel Carneiro. Na entrevista, o ator deu detalhes sobre a gestação, contou como ele e o marido dividem as tarefas para criar a criança, e ainda fez uma declaração de amor linda para o filho.

O artista explicou que Pedro foi gerado por uma barriga solidária, e nasceu no dia de seu aniversário, 21 de agosto. “O que parecia impossível, porque ele teria que passar das 40 semanas, e o danado passou cinco dias para nós dois podermos comemorar para o resto de nossas vidas juntos e nos lembrarmos sempre dessa data”, contou o ator. Carmo também falou sobre o processo de barriga solidária. “Acompanhei à distância, com cuidado e respeito à grande mulher que agradecerei por toda minha vida por ter gerado o meu filho. Não quis importuná-la com demandas que pudessem deixá-la desconfortável e foi uma experiência linda”, afirmou.

Juntos há 16 anos, Vecchia e João Emanuel “amadureceram” a ideia de se tornarem pais ao longo do tempo, uma vez que lhe faltavam referências próximas de dois homens que se tornaram pais. “Quando se fala de um casamento entre dois homens, tudo é novo demais e você tem poucas referências de outros casais que foram pais, então as questões que envolvem o nascimento de uma criança são nebulosas”, refletiu. “Buscamos conhecer casais que foram pais para entendermos melhor os processos de adoção, de barriga solidária e barriga de aluguel. Encontramos uma rede de pais fantásticos que sempre estiveram dispostos a compartilhar suas experiências e nos ajudar a entender melhor tudo isso”, explicou.

Continua depois da Publicidade

Quando concluíram que estavam prontos, eles seguiram em frente para realizar o grande sonho, o que não quer dizer que foi fácil. “O período de gestação do Pedro foi um dos mais lindos e um dos que mais trabalhei na minha vida. Estava gravando ‘Malhação’ e emendei com ‘Órfãos da Terra’, mais o espetáculo ‘Billy Elliot’, em São Paulo. O mais bonito é que em todos esses trabalhos, o tema paternidade surgiu com muita força”, recordou Carmo. Felizmente, o artista contou com a empatia e apoio dos colegas de trabalho para que tudo desse certo da melhor forma.

“Entre uma cena e outra, eu visitava um aplicativo que mostra o crescimento em semanas de um bebê virtual e ficava sabendo das mudanças por ali. Quando me convidaram para fazer Órfãos da Terra, fiquei feliz demais, mas meu filho iria nascer antes do término da novela”, lembrou. “Liguei e pedi, quase de joelhos, para me deixarem fazer o personagem, mas disse que precisava buscar meu filho, que iria nascer em agosto, e a novela terminava um mês depois. Elas vibraram com a novidade e permitiram que eu fizesse, sendo que Paul morreu um mês antes do término da novela. Sou eternamente grato (as autoras) Duca Rachid e a Thelma Guedes por isso”, contou.

Após os perrengues, Carmo e João já tiram de letra a paternidade, cada um da sua maneira. “João faz a bagunça e brinca o tempo todo, enquanto eu sou o que sabe das datas das vacinas e como foi a noite de sono. Em qualquer situação, quando surge Pedro, ambos paramos qualquer coisa que estamos fazendo, e o mundo vira o nosso filho. Ele vai no colo de um e logo pede o do outro. Me suja todo de comida, e eu acho lindo”, divertiu-se.

Continua depois da Publicidade

Carmo Dalla Vecchia também deixou um recado para que Pedro Rafael leia no futuro. “Filho, eu e seu pai estamos aqui para que você seja feliz e ajude outras pessoas a serem felizes também. Ninguém quer ser sozinho. E, se nós três temos a chance de fazer o mundo um pouco melhor, não vamos desperdiçá-la”, disse. Assim nosso coração não aguenta! Que família linda!

Fotojet (31)
Carmo Dalla Vecchia e o autor João Emanuel Carneiro são casados há 13 anos. Foto: Paulo Bellote; João Cotta/TV Globo

Homenagem para a família

Durante a repescagem do “Super Dança dos Famosos”, no mês passado, Carmo Dalla Vecchia aproveitou momentos antes de executar sua coreografia para mandar um recado ao marido e o filho. “É uma música que fala basicamente sobre sororidade, empatia, família e eu, pessoalmente, agora, gostaria de fazer uma homenagem muito grande à minha família e declarar o meu amor ao meu filho Pedro e ao meu marido João”, começou.

“Gostaria muito de declarar meu amor aos dois. Acho muito importante esse posicionamento pra que outras pessoas também possam ver isso e se sentir iguais. Sou um cara extremamente feliz, extremamente realizado, com uma profissão que amo, com amigos, com uma família que me aceita exatamente do jeito que sou”, celebrou o ator.

Por fim, Carmo Dalla Vecchia fez uma reflexão muito acertada a respeito do número crescente de crimes contra a comunidade LGBTQIA+ no Brasil. “A gente vive em um país que não é exatamente assim. Se meu exemplo ajuda na representatividade das outras pessoas, fico muito feliz. E gostaria de falar também que temos um recorde no Brasil muito triste. Somos o país que mais mata trans do mundo, mulheres travestis e transexuais. É uma coisa muito triste e muito feia. Isso fala da nossa educação ou da falta dela”, criticou. Assista ao vídeo na íntegra, clicando aqui!

Continua depois da Publicidade

Em entrevista ao GShow, o ator revelou por qual motivo tinha escolhido falar sobre sua vida íntima publicamente. “Eu fiz um discurso que eu acho que era uma coisa que eu já queria fazer há muito tempo, mas precisou de um período de amadurecimento meu. Achei que foi a hora certa”, opinou. Carmo Dalla Vecchia ressaltou que sair em defesa de uma pauta que lhe é tão pessoal, também faz parte de sua função social enquanto artista. “Não consigo enxergar um artista como se não tivesse uma missão no seu trabalho. Se você não tem a vontade, o desejo, de tocar o coração do outro para causar mudanças lá dentro, para que ele seja melhor e para que eu tenha a chance de ser melhor também, então é melhor escolher outra profissão, aconselhou. “Eu acho que cada um de nós escolhe uma luta, talvez a minha seja essa”, finalizou.