Após depoimento de Ashton Kutcher, serial killer tem sentença definida e pode encarar pena de morte; entenda envolvimento do astro no crime!

Fim do caso! Como noticiamos aqui, em maio, Ashton Kutcher teve de testemunhar em um julgamento de um serial killer, que foi acusado de um crime brutal. Meses depois, nesta quinta-feira (15), o veredito foi dado: Michael Gargiulo foi condenado pela morte violenta da amiga do astro de “Sexo sem Compromisso” em 2001!

O júri envolvido no caso começou a deliberá-lo nesta segunda-feira (12), de acordo com o TMZ. Com poucos dias, eles definiram a sentença do rapaz: ao final, ele foi realmente considerado “culpado”. Gargiulo teve duas acusações de homicídio, incluindo a morte de Ashley Ellerin com uma faca, além da tentativa de um terceiro assassinato.

O serial killer alegou ser inocente, por motivos de “insanidade mental”. Agora, o júri analisará e decidirá se ele estava ou não mentalmente são na época dos ataques. Caso rejeitem sua pleito de ‘não culpado’, o caso seguirá para a fase de pena de morte, segundo a People.

Depoimento de Ashton Kutcher

Em maio, Ashton prestou esclarecimentos sobre os acontecimentos na noite da morte de uma das vítimas. Na época, com apenas 22 anos de idade, o ator tinha marcado um encontro com Ashley Ellegrin, mas a moça foi assassinada cruelmente na mesma noite. O réu esfaqueou a garota 47 vezes.

Em seu depoimento, Kutcher contou que conheceu a garota no ano anterior, tinha marcado um “date” romântico depois que descobriram que ambos estavam solteiros. Quando a garota não apareceu, ele foi até o seu apartamento, mas ela já estava morta.

O protagonista de “The Ranch” disse que os planos foram combinados no início da noite para jantar ou beber. Porém, mais tarde o ator tentou falar com ela, mas suas ligações não foram atendidas, então ele decidiu ir até a casa da garota por volta das 22h30. Ele bateu na porta e ninguém atendeu, mesmo que as luzes estivessem acessas. “Eu apenas concluí que ela saiu com a amiga e desistiu de mim“, explicou o ator.

Ashton Kutcher presta depoimento. Foto: Getty

Preocupação com participação da cena

Kutcher ainda apresentou um álibi de que não teria nada a ver com o crime. Antes de ir até a casa da jovem, ele assistia ao “Grammy Awards” na casa da atriz Kristy Swanson. “Eu cheguei a acreditar que ela tinha chegado para o nosso encontro e eu estava atrasado e acabei a chateando“, relembrou.

No dia seguinte ao crime e sabendo o que tinha acontecido, Ashton Kutcher procurou as autoridades para contar o porquê das suas impressões digitais estarem na maçaneta da porta de Ellegrin. “Minhas impressões digitais estavam na porta e eu estava em pânico. Eu disse (a um policial): ‘Deixe-me contar o que aconteceu’“, revelou ao acrescentar que olhou a janela da frente e viu marcas de vinho no chão, porém os promotores afirmaram que na verdade se tratavam de manchas de sangue.

Ashton explica detalhes da noite em que foi até a casa de Ashley Ellegrin. Foto: Getty

Michael Gargiulo assassinou outras três jovens e está sendo considerado pela justiça norte-americana como um “assassino em série motivado por emoções sexuais“. Ele e Ashley moravam próximos um do outro, e o criminoso apareceu na casa dela sem ser convidado, após ter a ajudado com um pneu furado. Um amigo de Ellegrin garantiu que o viu do lado de fora da residência observando a movimentação na noite do crime.